Piper Navajo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Setembro de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Trechos sem fontes poderão ser removidos.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing.
Piper PA-31 Navajo - Uma alternativa razoável aos bimotores turboélice

O Piper Navajo é uma aeronave bimotor executiva a pistão de pequeno porte, com capacidade para transportar seis passageiros em viagens intermunicipais e interestaduais, projetada e fabricada nos Estados Unidos pela Piper Aircraft a partir da década de 1960 e interrompida na década de 1980, cuja proposta na época era a de oferecer a agropecuaristas, empresários e executivos americanos e de outros países uma alternativa mais acessível e econômica do que aviões bimotores turboélices.[1] [2]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Entre as várias vantagens técnicas apresentadas pelos aviões de propulsão turboélice incluem-se a altitude mais elevada de cruzeiro e a velocidade mais elevada de cruzeiro. Neste aspecto de comparação, o único problema dos aviões turboélice de pequeno porte é o custo operacional mais alto, se comparado com aeronaves de tamanho similar com motores a pistão.

A grande maioria das unidades de Piper Navajo (conhecido também como Piper PA-31) foi fabricada sem pressurização.

A configuração básica de assentos adotada no Piper PA-31 Navajo é de sete assentos, incluindo o assento para o piloto, com corredor central na cabine de passageiros, mas sem a opção de toalete. A velocidade de cruzeiro ficou limitada a cerca de 300 km / h na versão com motor aspirado (PA-31-300) e cerca de 350 km / h na versão turbo (PA-31-310).

Nos primeiros anos de fabricação, havia a opção de motorização Lycoming IO-540 de 300 hp, aspirado e, posteriormente, foi disponibilizada a motorização Lycoming TIO-540 turbo de 310 hp. De qualquer forma, a proposta de uma aeronave executiva mais barata e econômica pela Piper foi muito bem aceita no mercado aeronáutico mundial, um grande sucesso de vendas com quase 4.000 aeronaves vendidas nas décadas de 1960, 1970 e 1980, incluindo as versões licenciadas para fabricação em outros países, incluindo o Brasil.

Posteriormente, foram criadas mais algumas versões do Navajo, a versão PA-31-350 ou Navajo Chieftain, foram introduzidos motores com turbo compressor de 350 hp e a versão PA-31P ou P-Navajo (P de pressurizado), com motores Lycoming TIGO-541 de 425 hp.

O PA-31-350 Navajo Chieftain foi lançado na década de 1970, com motor turbo mais potente de 350 hp, com um aumento de aproximadamente 60 centímetros de comprimento na cabine de passageiros, com capacidade aumentada para até oito passageiros, com uma porta de acesso para passageiros na parte traseira esquerda da fuselagem, com escada embutida.

O Navajo pressurizado, por sua vez, ganhou reforços na estrutura e um motor de 425 hp.

No Brasil[editar | editar código-fonte]

No Brasil, a Embraer produziu sob licença da Piper o modelo EMB 820 Navajo Chieftain que foi carinhosamente apelidada dentro do meio aeronáutico de "Navajão".[3]

Ainda hoje é possível encontrar no Brasil uma boa quantidade de aeronaves Navajo no mercado de aeronaves usadas, por preços bem razoáveis e em bom estado de conservação.

Mercado[editar | editar código-fonte]

O trem de pouso do Piper Navajo tem amortecedores de longo curso e pela capacidade de pousar e decolar em pistas de pouso sem pavimentação é usado por agropecuaristas como o meio de transporte para visitas às suas fazendas e também por empresários e executivos para visitas às filiais de empresas, fornecedores e revendedores.

Também no Brasil, foi projetada uma versão adaptada para maior velocidade de cruzeiro, com motores turboélice Pratt & Whitney PT6-A, que recebeu a denominação Embraer Carajá.

Ficha técnica[editar | editar código-fonte]

  • Pista de pouso: Aprox. 1.200 metros (lotado / dias quentes / tanques cheios);
  • Capacidade (Navajo PA-31): 6 passageiros;
  • Capacidade (Navajo Chieftain): 8 passageiros;
  • Velocidade de cruzeiro (Navajo PA-31-300): Aprox. 300 km/h (300 hp);
  • Velocidade de cruzeiro (Navajo PA-31-310): Aprox. 350 km/h (350 hp);
  • Velocidade de cruzeiro (Navajo Chieftain): Aprox. 350 km/h (350 hp);
  • Teto de serviço (aspirado): Aprox. 5.000 metros;
  • Teto de serviço (turbo): Aprox. 6.500 metros;
  • Motorização (Navajo PA-31-300): Lycoming IO 540 aspirado (300 hp);
  • Motorização (Navajo PA-31-310): Lycoming TIO 540 turbo (310 hp);
  • Motorização (Navajo Chieftain): Lycoming TIO 540 turbo (350 hp);
  • Motorização (P-Navajo): Lycoming TIGO 541 E1A (425 hp);
  • Peso máximo decolagem (PA-31-310): Aprox. 2.800 kg;
  • Peso máximo decolagem (Chieftain): Aprox. 3.100 kg;
  • Peso máximo decolagem (P-Navajo): Aprox. 3.500 kg;
  • Preço (Chieftain): Aprox. US$ 385 mil (usado / bom estado de conservação);
  • Preço (PA-31-310): Aprox. US$ 350 mil (usado / bom estado de conservação);
  • Preço (Carajá): Aprox. US$ 750 mil (usado / bom estado de conservação);

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]