Piraí do Sul

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Piraí do Sul
Pirai do Sul.JPG

Bandeira de Piraí do Sul
Brasão de Piraí do Sul
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 1947 (67 anos)
Gentílico piraiense
Prefeito(a) Valentim Zanello Milléo (PSD)
(2013–2016)
Localização
Localização de Piraí do Sul
Localização de Piraí do Sul no Paraná
Piraí do Sul está localizado em: Brasil
Piraí do Sul
Localização de Piraí do Sul no Brasil
24° 31' 33" S 49° 56' 56" O24° 31' 33" S 49° 56' 56" O
Unidade federativa  Paraná
Mesorregião Centro Oriental Paranaense IBGE/2008 [1]
Microrregião Jaguariaíva IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Castro, Jaguariaíva, Doutor Ulysses, Arapoti, Tibagi, Ventania
Distância até a capital 184 km
Características geográficas
Área 1 403,067 km² [2]
População 23 425 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 16,7 hab./km²
Altitude 1 036 m
Clima subtropical Cfb
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,73 alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 276 077,875 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 11 437,01 IBGE/2008[5]
Página oficial
Monumento ao governador Moisés Lupion
Fábrica da Swedish Match

Piraí do Sul é um município do estado do Paraná, no Brasil.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O nome "Piraí" é uma referência ao Rio Piraí, que banha o município.[6] O termo provém da língua tupi, significando "rio dos peixes", através da junção de pirá (peixe) e 'y (rio)[6] . A expressão "do Sul" foi acrescentada para diferenciar o município do município de Piraí, no estado do Rio de Janeiro.[6] [7]

História[editar | editar código-fonte]

Até o século XVII, a região era habitada pelos índios caingangues[8] . A partir desse século, a região começou a ser desbravada pelos descendentes de europeus.[9] Tropeiros cortavam periodicamente este chão, através do histórico Caminho de Sorocaba, levando tropas e gado à feira de Sorocaba, na Capitania de São Paulo, trazidos de Viamão, nos pampas gaúchos.[9]

Sorocaba era a principal praça para comercialização de gado e tropas em todo o Brasil Colônia[10] , Neste trajeto, muitos pousos de tropeiros e currais de gado surgiram, sendo estes de suma importância,[10] pois eram necessários para o descanso dos viajantes[10] e para a alimentação dos animais, que se fartavam no capim vicejante e natural dos Campos Gerais.[10] Muitos destes pousos se transformaram em vilas e cidades, a exemplo de Rio Negro, Lapa, Campo Largo, Ponta Grossa, Castro e Piraí do Sul.[9]

A primeira denominação do atual município de Piraí do Sul foi Bairro da Lança[9] . O início do povoamento de origem europeia deu-se em princípios do século XVII,[11] numa área de terras localizada no Vale do Rio Piraí e pertencente ao padre Lucas Rodrigues França, filho do capitão-governador João Rodrigues França,[11] que figura entre os primeiros povoadores dos Campos de Curitiba,[12] sendo fundador de arraiais de mineração e dono da sesmaria que deu origem a Piraquara.[10]

Alguns anos depois, estabeleceram-se Manoel da Costa Ferreira e Ana Mendes Tenória, no que foram seguidos por outras famílias, aumentando consideralmente a povoação do Bairro da Lança.[9]

Em meados do século XVIII, os moradores dos bairros do Piraí, Lança, Fundão e cercanias movimentaram-se para construirem uma capela.[9] A pequena igreja foi levantada no local denominado Campo Comprido, sob a invocação de Nossa Senhora de Sant'Ana, em terreno dado pelo casal Manoel da Costa Ferreira, que ainda cedeu trinta novilhas e quatro touros, para término da construção.[9] Após muito trabalho, e dedicação extrema de Ana Mendes, a capela foi erguida.[13] Os paramentos e a imagem da santa foram comprados por Manoel da Costa.[13] A morte, porém, veio supreende-lo, quando dedicava seus últimos dias à execução da obra que idealizara juntamente com sua esposa, na satisfação de seu desejo religioso de criar uma nova freguesia na povoação de Piraí.[9] Pouco tempo depois, faleceu Ana Tenória.[9]

Mortos os protetores e fundadores da Capela de Sant'Ana do Piraí, em pouco tempo, quase tudo ficou em ruínas, graças ao involuntário abandono.[9] Em 1765, o vigário Manoel Francisco Vilela, visitador ordinário da Paróquia de Santos, em viagem à região constatou a situação, reuniu os paramentos e as sobras de imagens e as transportou para Curitiba, até que a capela do Piraí fosse reconstruída.[9] Passou muito tempo, e em meados do século XIX os moradores do Bairro da Lança ergueram uma capela, na qual intronizaram a imagem do Senhor Menino Jesus.[9] Não demorou muito e em torno da igreja levantaram-se diversas casas, efetivando uma povoação.[9] Deste período nominam residentes na localidade as seguintes famílias: João Lança, Joaquim Guerreiro, Jaoquim Bueno do Amaral, Alfredo Moreira, Mariano Casemiro, Avelino Marcondes, Joaquim Rolim, Francisco Carrano, Francisco Gioff, Joaquim Gabriel, Júlio Moreira, Balduíno José Teixeira e outros.[14]

Em 12 de abril de 1872, através da Lei Provincial 329, o povoado de Lança foi alçado à categoria de Freguesia, sendo denominada Freguesia de Pirahy, sob a invocação do Senhor Menino Deus, com território pertencente ao município de Castro.[15] [14] Pela Lei Provincial nº 631, de 5 de março de 1881, Piraí foi transformado em vila, com território desmembrado do município de Castro.[14] A instalação solene ocorreu em 24 de julho de 1882, ocasião em que foram empossados os primeiros Camaristas de Piraí.[14]

O Decreto-Lei 199, de 30 de dezembro de 1943, alterou a denominação do município para Piraí-Mirim.[14] Em 1º de fevereiro de 1946, através do Decreto-Lei 441, o município passou a ser sede de comarca.[14] Sendo que, em 10 de outubro de 1947, através da Lei Estadual 2, foi novamente alterada a denominação, desta feita para Piraí do Sul, termo que se perpetuou na historiografia paranaense.[14]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Sua área é de 1 403 km²[15] , representando 0,7039 por cento do estado, 0,249 por cento da região e 0,0165 por cento de todo o território brasileiro. Localiza-se a uma latitude 24°31'33" sul e a uma longitude 49°56'56" oeste, estando a uma altitude de 1036 m.[16]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, em 1991 o município possuía 19 414 habitantes; em 1996, a população passou para 19 862 pessoas; em 2000, os habitantes aumentaram para 21 647; conforme dados de 2007, a população foi estimada em 23 170 habitantes[15] e, em 2010, a estimativa é de 23 425 habitantes.[17]

Dados do Censo - 2010

População Total: 23 425[17]

Domicílios particulares ocupados: 7 231

Média de moradores em domicílios particulares ocupados: 3,23

Densidade demográfica(hab./km²): 16,69

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil):

Expectativa de vida (anos):

Taxa de fecundidade (filhos por mulher):

Taxa de Alfabetização:

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,730

  • IDH-M Renda: 0,665
  • IDH-M Longevidade: 0,686
  • IDH-M Educação: 0,840

Meio ambiente[editar | editar código-fonte]

O bioma do município é caracterizado como cerrado e mata atlântica.[15]

No município, está localizada a Floresta Nacional de Piraí do Sul, com o objetivo principal de assegurar a preservação da Araucária, árvore que está ameaçada de extinção.[18]

Administração[editar | editar código-fonte]

  • Prefeito: Valentim Zanello Milléo (2013-2016)
  • Vice-Prefeito: Helder Tito Avais de Mello

Economia[editar | editar código-fonte]

Piraí do Sul abriga entre suas atividades econômicas as Cooperativas Castrolanda, Batavo, Perdigão, indústrias metal-mecânicas e Central que atuam no município, além de vocação predominante para a produção de papel, papelão, indústrias madeireiras, para consumo interno e tipo exportação.

O município é responsável pelo abastecimento de praticamente todo o país, no que diz respeito à produção de fósforos de segurança.

Piraí do Sul se destaca nacionalmente como um dos maiores produtores de galinácios, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística de 2009, o município figurava na terceira posição nesse segmento, atrás de Rio Verde, no estado de Goiás e Nova Mutum, no Mato Grosso.[19] Em 2010, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística demonstrou que Piraí do Sul possui o segundo maior alojamento de galos, frangas, frangos e pintos do Brasil, com 10 800 000 aves, atrás somente do município de Rio Verde, o qual possui 11 000 000 de aves.[20]

Turismo[editar | editar código-fonte]

No dia 21 de dezembro de 1999, o Governo do Estado do Paraná instituiu Piraí do Sul como Polo Turístico Religioso, devido ao Santuário de Nossa Senhora das Brotas.[21]

Em 2004, Dom Sérgio Arthur Braschi, bispo diocesano de Ponta Grossa e secretário do Conselho Episcopal Regional Sul II da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, em atendimento ao pedido do coordenador geral do Grupo de Trabalho do Projeto "Caminho das Tropas", Jorge Rosas Demiate, formulado por decisão dos secretários de turismo do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e São Paulo, declarou, em âmbito diocesano, que o santuário existente nos bosque de Piraí do Sul se constitui em "Marco Religioso do Caminho das Tropas".[21]

Em 18 de maio de 2011, foi firmado o protocolo entre o prefeito de Nova Trento, Orivan Jarbas Orsi, e o então prefeito de Piraí do Sul, Antonio El Achkar, na Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, em Curitiba, com a intenção, entre Piraí do Sul, com o Santuário de Nossa Senhora das Brotas e Nova Trento, com o Santuário de Madre Paulina, de desenvolver um circuito de turismo religioso sustentável entre os dois municípios, firmando uma parceria entre as prefeituras e incorporando vários roteiros turísticos, de modo a permitir o desenvolvimento das regiões onde os caminhos ocorrem.[22]

Atualmente, a Festa de Nossa Senhora das Brotas é uma das mais tradicionais festas religiosas do Estado do Paraná,[23] realizada anualmente em 27 de dezembro, dia de Nossa Senhora das Brotas,[24] e acontece desde 1880.[25] Por esse motivo 27 de dezembro é feriado municipal em Piraí do Sul.[26]

Filhos ilustres[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  6. a b c Municípios de Abrangencia. Site Oficial do Núcleo Regional de Educação de Ponta Grossa. Página visitada em 31 de outubro de 2010.
  7. NAVARRO, E. A. Método moderno de tupi antigo: a língua do Brasil dos primeiros séculos. 3ª edição. São Paulo. Global. Ática. 2005. p. 42.
  8. MILLHARCH, A. Tabloide digital. Disponível em http://www.millarch.org/artigo/pesquisa-revela-maior-grupo-de-pintura-rupestre-no-sul. Acesso em 2 de março de 2013.
  9. a b c d e f g h i j k l m História. Site Oficial do Município de Piraí do Sul. Página visitada em 31 de outubro de 2010.
  10. a b c d e FERREIRA, João Carlos Vicente. O Paraná e seus municípios. Maringá, PR: Memória Brasileira, 1996. 525 p.
  11. a b Piraí do Sul. EcoViagem.com.br. Página visitada em 31 de outubro de 2010.
  12. PEREIRA, Cláudio Nunes (2008). Genealogia Tropeira do Paraná nos séculos XVII, XVIII e XIX. Google Groups. Página visitada em 31 de outubro de 2010.
  13. a b FERREIRA, João Carlos Vicente. O Paraná e seus municípios. Maringá, PR: Memória Brasileira, 1996. 526 p.
  14. a b c d e f g FERREIRA, João Carlos Vicente. Piraí do Sul. Projeto Paraná da Gente. Página visitada em 31 de outubro de 2010.
  15. a b c d IBGE :: Cidades@ :: Piraí do Sul - PR. ibge.gov.br. Página visitada em 29/04/12.
  16. PERFIL DO MUNICÍPIO DE PIRAÍ DO SUL. ipardes.gov.br. Página visitada em 29/04/12.
  17. a b c d e f IBGE :: Censo 2010. ibge.gov.br. Página visitada em 29/04/12.
  18. BRA-052: Ibama quer fechar estrada na Floresta Nacional (em português). Premioreportagem.org.br. Página visitada em 28/07/11.
  19. IBGE :: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. ibge.gov.br. Página visitada em 29/04/12.
  20. IBGE :: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. ibge.gov.br. Página visitada em 29/04/12.
  21. a b Panfleto da Campanha do Devotos de Nossa Senhora das Brotas e São Frei Galvão, Kugler Artes Gráficas, 2010 p.2 - 3.
  22. Piraí do Sul e Nova Trento firmam parceria pioneira para o desenvolvimento do turismo religioso (em português). Piraidosul.pr.gov. Página visitada em 19/05/11.
  23. Rota dos Tropeiros (php) (em português). rotadostropeiros.com.br. Página visitada em 28/12/10.
  24. Nascimento de Jesus motiva as celebrações religiosas do mês (phtml) (em português). Gazeta do povo. Página visitada em 28/12/10.
  25. Festa de Nossa Senhora das Brotas (php) (em português). prdagente.pr.gov.br. Página visitada em 30/12/10.
  26. DATAS COMEMORATIVAS (html) (em português). Piraidosul.pr.gov.br. Página visitada em 30/12/10.
  27. REQ 20/2009 PL250207 => PL 2502/2007 - Projetos de Lei e Outras Proposições - Câmara dos Deputados Acessado em 5 de julho de 2011

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Paraná é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.