Pirambu (Fortaleza)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pirambu
—  Bairro do Brasil  —
Mapa de Fortaleza com destaque para o bairro Pirambu
Mapa de Fortaleza com destaque para o bairro Pirambu
Distrito Fortaleza (Sede)
Município Fortaleza
Limites Norte: Oceano Atlântico
Sul: Álvaro Weyne e Carlito Pamplona
Leste: Jacarecanga
Oeste: Cristo Redentor
Subprefeitura Secretaria Executiva Regional (SER) I
Fonte: Não disponível

O Bairro Pirambu é um bairro pobre e está localizado na área litorânea da zona oeste da cidade de Fortaleza - Ceará. [1]

A praia é sua maior extensão limítrofe. Alguns mapas, quando referem-se ao bairro, abrangem áreas que se localizam além dos limites configurados pela Prefeitura de Fortaleza, incorporando os bairros do Pirambu e Cristo Redentor, além de uma parte de outro bairro chamado Barra do Ceará. Isto ocorre porque esta área, no passado, era denominada de Grande Pirambu.

História[editar | editar código-fonte]

Cartodromo do Pirambu.

Um dos primeiros momentos da História do Ceará, no qual o Pirambu é citado, é a seca de 1932, quando neste local foi instalado um dos Campos de Concentração no Ceará. O Campo do Pirambu ou Campo do Urubu, como ficou este conhecido.[2]

O Pirambu já foi divulgado na mídia como um grande favela que ocupava todo o litoral oeste de Fortaleza. Este cenário começou a mudar a partir dos anos 1960, quando os moradores contam com o apoio do Partido Comunista Brasileiro (PCB) e da Igreja Católica junto à imprensa Jornalística. A Igreja desempenhou papel fundamental, com a criação do Plano de Recuperação do Pirambu em maio de 1960. A principal figura da igreja foi o Padre Hélio Campos, que contribuiu para chamar a atenção da Administração pública pelas emissoras de rádio e jornais para atender a demanda dos moradores do Bairro. Com a ajuda do Padre Hélio Campos, ocorreu no dia 01 de Janeiro de 1962, a Marcha do Pirambu, cujo o objetivo foi reivindicar a desapropriação das terras obtidas com o Decreto Lei nº1058 de 25 de maio de 1962. Esta passeata reuniu 20 mil pessoas no seu percurso até o centro da cidade.

Após a Marcha do Pirambu, o Bairro contou com o apoio de políticos influentes, como o então Ministro de Viação e Obras Públicas do governo de João Goulart, senhor Virgílio Távora. Neste momento, as terras passaram a pertencer à União. Esta instância concedeu à igreja a responsabilidade de administrá-las. Não suportando as ações impostas pela Congregação, os moradores entraram em conflito com esta. Na tentativa de apaziguar e desarticular o movimento, o Padre Hélio Campos foi transferido para o Maranhão, e o Grande Pirambu foi dividido com a construção de duas paróquias, originando dois bairros com seus respectivos nomes, a paróquia da Nossa Senhora das Graças e a do Cristo Redentor. Esta divisão também promoveu a origem de líderes comunitários que formaram várias associações na luta pela melhoria do Pirambu.

Em 1973 foi construída a avenida Presidente Humberto de Alencar Castello Branco (Leste-Oeste), com o objetivo de ligar a zona industrial na Barra do Ceará à zona portuária do Mucuripe. A partir deste momento, o Pirambu recebe nova delimitação, passando a ser dividido pela avenida Leste-Oeste. Deste modo, Pirambu é somente a parte do lado do mar, enquanto que os moradores do lado oposto tentam se distanciar da imagem ruim associada ao lado do litoral. Neste momento ocorre a transformação da praia da Leste-Oeste em local de lazer popular.

Curiosidade: Pirambu, em tupi-guarani, quer dizer peixe-roncador, daqui vem nome deste bairro, o qual foi dado devido ao peixe Sargo-de-beiço, também conhecido como Pirambu.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Pirambu.

Sua população é de aproximadamente 400 mil habitantes,[3] [4] que se dividem nos bairros que compõem o Pirambu: Tirol, Nossa Senhora das Graças, Cristo Redentor e Quatro Varas. Após a divisão do Grande Pirambu em bairros, o Pirambu, atualmente, é denominado Bairro Nossa Senhora das Graças pela prefeitura de Fortaleza.

  • Área - O Grande Pirambu, o qual é formado pelos bairros Barra do Ceará, Quatro varas, Pirambu e Cristo Redentor, abrange uma área de 586,1 km².
  • Demografia - O Pirambu é o bairro que apresenta maior densidade populacional do Brasil, com mais 40 mil habitantes por km².[4]
  • Limites - Ao norte pelo oceano Atlântico, ao sul pela avenida Presidente Castello Branco (Leste-Oeste), ao leste pela rua Jacinto de Matos (Parque da Costa Oeste) e ao oeste pela avenida Pasteur.

Esporte e cultura[editar | editar código-fonte]

Time amador de futebol de praia na praia Leste-Oeste.

Há vários projetos sociais ligados ao bairro, dentre estes, existem escolinhas de futebol de salão, onde os treinos ocorrem, principalmente, no parque da Costa-Oeste. O Pirambu também contempla vários times de futebol amador, tanto futebol de campo como de praia.

O principal ponto para práticas esportivas é o parque da Costa Oeste, o qual abrange duas quadras para futebol de salão e um campo.

No Pirambu encontra-se o Centro Cultural Chico da Silva, onde organizam-se encontros, eventos, cursos de dança, música, teatro, folclore, lazer, reciclagem com arte, embalagem e o cursinho alternativo.

Pirambu no mundo[editar | editar código-fonte]

Em uma história em quadrinho da Marvel Comics publicada em 2006, o personagem do X-men chamado Wolverine passa suas férias em Fortaleza, mais precisamente, no bairro Pirambu. Apesar de não identificar em qual período histórico se passa a trama, os elementos culturais dão pistas de que tenha sido na de década de 1950, quando o Pirambu já era uma grande área de retirantes de secas, tendo sido alvo prioritário do recrutamento de mão-de-obra barata para trabalhos em condições desumanas em várias regiões do Brasil. No enredo, ele se depara com a vida dura dos meninos de rua.[5]

Personagem importante[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

Documentário Peixe Roncador : Tem objetivo de tentar demonstrar a relevância que o mar possui para os moradores mais antigos da região do bairro do Pirambu, localizado na cidade de Fortaleza, Ceará. “Peixe Roncador” é um trabalho que requer uma observação direta do bairro e do comportamento dos seus moradores, através da captação de imagens e da memória discursiva dos mais idosos. É um filme de não-ficção, que representa um mundo que já ocupamos, tornando visível a matéria de que é feita a realidade social.

Link: http://vimeo.com/waleskasantiago/peixeroncador

Notas e referências

  1. Bairros de Fortaleza
  2. Currais humanos Diário do Nordeste.
  3. Densidade populacional de Fortaleza (PDF) PMF-IPLAM e IBGE - Censo 2000.
  4. a b Banco Popular Pirambu será oficialmente inaugurado nesta sexta-feira Jangadeiro Online em 27/11/2008.
  5. Wolverine no Ceará Revista Super Interessante. Visitado em 04 de Janeiro de 2009.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]