Piranha-vermelha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaPiranha-vermelha
Piranha Luc Viatour.jpg

Estado de conservação
Status iucn2.3 LC pt.svg
Pouco preocupante
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Actinopterygii
Ordem: Characiformes
Família: Characidae
Subfamília: Serrasalminae
Género: Pygocentrus
Espécie: P. nattereri
Nome binomial
''Pygocentrus nattereri''
Sinónimos
Serrasalmus nattereri

A piranha-vermelha (Pygocentrus nattereri) é uma espécie de peixe de água doce da família Characidae. Tais peixes habitam as bacias dos rios Amazonas, Paraná e São Francisco. Possuem coloração avermelhada, com cabeça e dorso acinzentados e chegam a medir até 30 cm de comprimento. Também são chamados de chupita, coicoa, piranha-caju e piranha-vermelha-da-amazônia. Muitas vezes temida por causa de seus ataques agressivos e frenéticos, a piranha-vermelha tem uma reputação de um predador voraz e agressivo, com dentes afiados e apetite insaciável.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Existem duas explicações etimológicas para a origem do nome "piranha":

  • junção dos termos tupis pirá ("peixe") e anha ("dente"), significando "peixe com dente"
  • junção dos termos tupis pira ("pele") e raim ("o que corta"), significando "corta a pele"

Seu nome científico, por sua vez, foi dado em homenagem ao naturalista Johann Natterer.

Habitat e Distribuição Geográfica[editar | editar código-fonte]

A piranha-vermelha ocorre nas bacias do Amazonas, Araguaia-Tocantins, Prata, São Francisco e em açudes do Nordeste brasileiro. A piranha-vermelha normalmente é encontrada em rios de água branca e, em alguns riachos e lagos. Em certas áreas, pode habitar também florestas inundadas (tais como aquelas encontradas em toda a Amazônia brasileira).

Amplamente distribuída por todo o continente sul-americano, a piranha-vermelha é encontrada em rios tropicais de água doce na Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, Guiana, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela.

Descrição[editar | editar código-fonte]

Pygocentrus nattereri

Peixe escamoso; corpo romboide, arredondado e comprimido; focinho curto, arredondado, mandíbula saliente e dentes triangulares afiados. Entre todas as piranhas é a que possui o focinho mais rombudo. Embora seja extremamente variável em sua aparência, a piranha-vermelha herdou esse nome por causa, da coloração avermelhada na barriga e na mandíbula característica da espécie, geralmente mais intenso e profundo nos machos, enquanto que o resto do corpo normalmente é cinzento, com escamas salpicadas prateadas, as vezes marrom-cremoso nas laterais. Manchas escuras muitas vezes aparecem atrás das guelras, e a barbatana anal geralmente é preta na base, enquanto as nadadeiras peitorais e pélvicas variam do vermelho ao laranja. Alcança no máximo de 20 a 30 cm de comprimento total e um peso calculado em 2,5 kg

Ecologia e cultura[editar | editar código-fonte]

A piranha-vermelha é a espécie mais comum de piranha na Amazônia. Ocorre em rios e lagoas de águas barrentas e vive em cardumes pequenos ou até com mais de 100 indivíduos. É uma espécie piscívora e, como forma grandes cardumes, pode ser muito perigosa em determinadas situações. Em algumas regiões, a piranha-vermelha é bastante apreciada, sendo pescada principalmente para fazer o famoso caldo de piranha, considerado afrodisíaco e estimulante.

Piranha-vermelha no Prague sea aquarium

As tribos indígenas da Amazônia utilizam os dentes afiados das piranhas, para confecção de pontas de flechas. Por ser um peixe que está sempre à procura de comida, seja de peixe ou qualquer outro animal, a piranha é muito fácil de ser capturada. Sua carne é bastante apreciada. Pescadores, quando querem pescar piranhas, colocam pedaços de carne com sangue na água, que é o principal atrativo para elas. Podem ser criadas em aquários isoladas de outros peixes, pois podem devorá-los.

Dieta[editar | editar código-fonte]

Mandíbula de piranha-vermelha , mostrando os dentes afiados e triangulares

A piranha-vermelha é um peixe omnívoro e se alimenta principalmente de peixes, insetos e invertebrados aquáticos, como moluscos e crustáceos. Pode também se alimentar de qualquer animal terrestre pequeno que encontrar cruzando o rio ou lago, bem como frutas, sementes, algas e plantas aquáticas. Os dentes afiados e triangulares fazem da piranha-vermelha um animal extremamente eficiente ao abocanhar o alimento, e a disposição da sua poderosa mandíbula e focinho dão ao peixe a capacidade de atacar e morder com uma força extraordinária. Podem atacar em cardumes abatendo presas muito maiores e as devorando em poucos minutos, o que dá a fama amedrontadora a esses peixes. Em grupo, conseguem devorar um animal de grande porte, como uma vaca, em segundos. O motivo pelo qual as piranhas conseguem devorar com tanta rapidez é pelo fato de que elas não mastigarem, e quando atacam em grupo, cada piranha arranca um pedaço e se revezam continuamente.

Comportamento e reprodução[editar | editar código-fonte]

As piranhas-vermelhas vivem em cardumes, embora não apresentem um comportamento de caça em grupo. Ocasionalmente, as piranhas-vermelhas entram em um "frenesi", onde o cardume ataca uma presa e a devora em poucos minutos. Esse comportamento particular contribui para a reputação da piranha-vermelha como predadora voraz, mas os "frenesis" normalmente não são ataques aleatórios, e geralmente são o resultado de provocação a elas ou por fome. São as piranhas mais agressivas da Amazônia.

Cardumes de piranhas-vermelhas

Casos de ataque de piranhas a humanos e rebanhos são extremamente raros. Na verdade são bastante tímidas para com animais grandes ou humanos dentro da água e extremamente adaptadas a caçar peixes (normalmente menores). Caçam em bandos e dão ênfase para peixes moribundos ou feridos. Caso tenha um indivíduo ferido e/ou moribundo no próprio grupo, este pode ser atacado e devorado pelos seus companheiros, ocorrendo o canibalismo na espécie. A piranha vermelha é a espécie mais bonita e agressiva de todas, possui mandíbulas fortes que poderiam deceparar facilmente um dedo humano. Apesar da agressividade, são excelentes pais.

Quando estão em época de acasalamento adquirem uma coloração escura com belas escamas prateadas cintilantes. A reprodução das piranhas-vermelhas ocorre por volta de Abril e Maio durante a estação chuvosa, geralmente com um pico ao longo de um período de dois meses, que pode variar dependendo da localização. A fêmea põe cerca de 5.000 ovos sobre a vegetação recém-submersa em um ninho construído pelo macho. O macho constrói um ninho de folhas próximo à margem ou troncos, onde serão depositados e fecundados os ovos. Durante o processo de desenvolvimento dos ovos e larvas o macho defende ferozmente seu ninho e faz suaves movimentos com a cauda próximo ao ninho para melhorar a oxigenação e evitar a proliferação de determinados fungos e bactérias. Os alevinos, quando se tornam maiores, costumam se infiltrar no meio de cardumes de pacus pois se parecem muito com eles, e quando podem, devoram alguns indivíduos do grupo.

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Piranha-vermelha
Ícone de esboço Este artigo sobre peixes é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.