Piraquara

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Piraquara
Centro Histórico de Piraquara

Centro Histórico de Piraquara
Bandeira de Piraquara
Brasão de Piraquara
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 29 de janeiro de 1890 (124 anos)
Gentílico piraquarense
Prefeito(a) Marcus Tesserolli (PDT)
(2013–2016)
Localização
Localização de Piraquara
Localização de Piraquara no Paraná
Piraquara está localizado em: Brasil
Piraquara
Localização de Piraquara no Brasil
25° 26' 31" S 49° 03' 46" O25° 26' 31" S 49° 03' 46" O
Unidade federativa  Paraná
Mesorregião Metropolitana de Curitiba IBGE/2008 [1]
Microrregião Curitiba IBGE/2008 [1]
Região metropolitana Curitiba
Municípios limítrofes Quatro Barras (norte), São José dos Pinhais (sul), Morretes (leste) e Pinhais (oeste)
Distância até a capital 21 km
Características geográficas
Área 227,560 km² [2]
População 93 279 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 409,91 hab./km²
Altitude 897 m
Clima Subtropical Cfb
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,744 alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 389 803,393 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 4 531,97 IBGE/2008[5]
Página oficial

Piraquara é um município da Grande Curitiba, no estado do Paraná, no Brasil. Sua população, segundo a contagem realizada em 2010 pelo Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, é de 93 279 habitantes.

Piraquara, com seus mananciais, é área de proteção ambiental e responsável por cinquenta por cento do abastecimento de água da grande Curitiba. Atualmente, abriga o maior complexo penitenciário do Paraná. O atual prefeito é Marcus Tesserolli[6] , do Partido Democrático Trabalhista. O aniversário da cidade é em 29 de janeiro e seu padroeiro é Senhor Bom Jesus dos Passos. Piraquara realiza ainda, uma vez por ano, a Festa do Carneiro no Rolete.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

"Piraquara", segundo Silveira Bueno e Eduardo de Almeida Navarro, é um vocábulo indígena que significa "toca dos peixes". Do tupi pirá: peixe e kûara, buraco, cova, cavidade, esconderijo[7] . Outra interpretação traduz como "comedor de peixe", isto é, "pescador". De pirá: peixe; e guara: comedor.

História[editar | editar código-fonte]

Antes da chegada dos primeiros europeus à região atualmente ocupada pelo município de Piraquara, a mesma era frequentada, durante o verão, por índios carijós (um ramo dos índios guaranis), os quais viviam, durante a maior parte do ano, no litoral[8] [9] . O povoamento de origem europeia dos Campos Gerais de Curitiba teve início por volta de 1660, nos trabalhos de mineração à procura de ouro realizados pelos bandeirantes, vicentistas e portugueses. Arraial Grande foi um dos núcleos fundados por mineradores: dele, se originaram Curitiba, o atual município de São José dos Pinhais e o de Piraquara.

Igreja de Bom Jesus dos Passos; em 1898, a Baronesa do Cerro Azul doou a imagem do padroeiro
Antiga estação ferroviária

O mineiro Manoel Picam de Carvalho, um dos pioneiros da colonização do município de Araucária, acompanhando as lutas pela procura do ouro no planalto curitibano, fundou, por volta de 1700, uma fazenda, formando um pequeno arraial de mineração no local onde, hoje, se encontra o município de Piraquara. Em 1731, Manoel Picam de Carvalho vendeu a sua fazenda a Antônio Esteves Freire e a dona Isabel da Serra, sua sogra. Nessa época, além da fazenda já referida, havia outras nas vizinhanças que, em conjunto, formavam um povoamento que recebeu a denominação de Piraquara.

Apesar de sua antiguidade, o povoado de Piraquara permaneceu estacionário durante muitos anos, como parte integrante do Distrito Policial, depois Município de São José dos Pinhais. Seu progresso, especialmente nos setores da agricultura e da pecuária, iniciou com a vinda de imigrantes europeus, principalmente italianos que, em 1878, aqui chegaram em número aproximado de 350 pessoas e fundaram a Colônia Santa Maria, atual Nova Tirol. Outro fator de progresso da localidade ocorreu em 1885 com a inauguração da Estrada de Ferro do Paraná, ligando o litoral paranaense a Curitiba, com os trilhos passando por Piraquara, onde foi construída uma estação.

Em 1885, a povoação foi elevada a freguesia, com a denominação de Senhor Bom Jesus de Piraquara. Em 1890, passou à condição de vila, desmembrada de São José dos Pinhais e com a nova denominação de "Deodoro" em homenagem ao marechal Manoel Deodoro da Fonseca. Ainda em 1890, foi criado o município, com sede na Vila Deodoro, o qual voltou a denominar-se Piraquara em 1929.

Hino do Município[editar | editar código-fonte]

Letra por João Rodrigues de Oliveira Melodia por Aldo Ademar Hasse

Piraquara hospitaleira cercada de verdes serras quantas belezas tu encerras nesta paisagem brasileira

Os teus floridos recantos a formosa cercania dão-nos amor e alegria enche noss'alma de encantos

Teu povo bravo e altaneiro do progresso é construtor é valente benfeitor do trabalho é pioneiro

Tua gente homenageamos entoando a tua canção à cidade tradição que tanto nós sempre amamos

Segues em busca da glória cidade dos sonhos meus serás guiada por Deus na fulgente tragetória

Em ti a alma aflita terá a mais segura guarida porque serás em toda a vida orgulho do Paraná

Economia[editar | editar código-fonte]

Antigo armazém de carga da Rede Ferroviária, atualmente é Centro Comercial.
Remanescente da mata das araucárias, na entrada da cidade.

A estação de trem, aberta em 1885, fez surgir em seu entorno o povoado: serrarias e engenhos de mate ali se instalaram. As araucárias, abundantes na região, foram durante muito tempo o principal motivador econômico.

Contudo, na atualidade, o município possui um dos mais baixos IDHs da Grande Curitiba e caracteriza-se como cidade dormitório. Por situar-se na área de proteção ambiental da Bacia do Rio Iraí, as atividades industriais da cidade possuem inúmeras restrições legais e ambientais, o que acaba limitando o desenvolvimento econômico do município.

Nos últimos anos a cidade tem investido no turismo de aventura e no agroturismo, além de fazer parte da Rota do Pinhão.

Órgãos de Comunicação[editar | editar código-fonte]

Piraquara possui quatro jornais locais, além de outros de circulação nacional e estadual que podem ser encontrados. Os quatro jornais produzidos no próprio município são: Tribuna dos Mananciais (o mais antigo em circulação), o jornal Classideal (que estava sediado em Quatro Barras, mas transferiu-se para Piraquara e circula, principalmente no município), e o Diário de Piraquara (o único diário produzido na cidade e que é disponibilizado em site do mesmo nome, mas que também circula em versão impressa - www.diariodepiraquara.com.br). Em 2011 foi criado o Jornal É Notícia com sede em Piraquara com circulação em toda Região Metropolitana, especialmente em Piraquara, Pinhais, Quatro Barras, Colombo, Campina Grande do Sul e São José dos Pinhais, o Jornal É Notícia mantem um dos blog's mais acessados da região - (www.editorajornalenoticia.blogspot.com.br). Recentemente foram criados os jornais Nascentes do Iguaçu, Folha Seca e Folha do Guarituba, todos com circulação no município.

Pontos de interesse[editar | editar código-fonte]

Restaurante Obra Prima - construção de 1923
Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Piraquara
Centro Histórico

No Centro Histórico de piraquara, é possível se conhecer as antigas casas dos operários da estrada de ferro que corta o Centro da cidade, além dos antigos prédios como o Armazém, o Casario, a antiga Prefeitura e a Igreja Matriz.

Circuito Trentino

A cidade foi o único município paranaense a receber imigrantes do Trento; a Colônia Imperial Santa Maria do Novo Tirol da Boca da Serra foi fundada em 1878, por 59 famílias trentinas. Neste local, é possível se conhecer as tradições dos antigos imigrantes, resgatando a cultura e as tradições de tal região, além do intercâmbio tecnológico e o agroturismo.

Festa do Carneiro no Rolete

Evento que ocorre na Colônia Santa Maria do Novo Tirol, o almoço oferece pratos típicos como paleta, linguiça, risoto e sanduíche com hambúrguer de carne de carneiro. À tarde, é oferecido café colonial. Uma missa na Igreja Nossa Senhora da Assunção também faz parte da festa, além de shows com músicos locais e feira de produtos como queijo, linguiça, vinho, mel, conservas, geleias e sucos.

Baile do Pato

Esta casa de baile foi criada em 1958 por Heinrich de Souza. Tem esse nome devido à comida servida: pato assado. Heinrich, descendente de alemães, era conhecido como Seu Souza e faleceu em 2002. A posse da casa passou então a seus sobrinhos. Na Região metropolitana de Curitiba da década de 1980, os bailes ali realizados tinham grande afluxo de público, podendo ser considerados uma típica manifestação cultural de então, que persiste nos dias de hoje.

Reservatório do Carvalho

Primeiro sistema de abastecimento da capital paranaense. [10]

Cemitério Assunção

Cemitério fundado em 1880 por italianos.

Cidades-Irmãs[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  6. http://agoraparana.uol.com.br/cidade/piraquara/7574-piraquara.html
  7. NAVARRO, E. A. Método moderno de tupi antigo: a língua do Brasil dos primeiros séculos. Terceira edição. São Paulo. Global. 2005. 463 p.
  8. CASIMÓVEIS ASSESSORIA IMOBILIÁRIA. Disponível em http://www.casimoveis.com/text/139295.html. Acesso em 7 de fevereiro de 2013.
  9. BUENO, E. Brasil: uma história. Segunda edição. São Paulo. Ática. 2003. p. 18-19.
  10. Reservatório do carvalho é um local exuberante Paraná-Online
  11. http://www.dp.jor.br/jornal/index.php/piraquara/799-festa-trentina-em-piraquara-reune-mais-de-mil-pessoas-para-celebrar-tradicao-italiana.html
  12. http://www.dp.jor.br/jornal/index.php/piraquara/799-festa-trentina-em-piraquara-reune-mais-de-mil-pessoas-para-celebrar-tradicao-italiana.html
  13. http://www.dp.jor.br/jornal/index.php/piraquara/799-festa-trentina-em-piraquara-reune-mais-de-mil-pessoas-para-celebrar-tradicao-italiana.html
  14. http://www.dp.jor.br/jornal/index.php/piraquara/799-festa-trentina-em-piraquara-reune-mais-de-mil-pessoas-para-celebrar-tradicao-italiana.html
  15. http://www.dp.jor.br/jornal/index.php/piraquara/799-festa-trentina-em-piraquara-reune-mais-de-mil-pessoas-para-celebrar-tradicao-italiana.html
  16. http://www.dp.jor.br/jornal/index.php/piraquara/799-festa-trentina-em-piraquara-reune-mais-de-mil-pessoas-para-celebrar-tradicao-italiana.html
  17. http://www.dp.jor.br/jornal/index.php/piraquara/799-festa-trentina-em-piraquara-reune-mais-de-mil-pessoas-para-celebrar-tradicao-italiana.html
  18. http://www.dp.jor.br/jornal/index.php/piraquara/799-festa-trentina-em-piraquara-reune-mais-de-mil-pessoas-para-celebrar-tradicao-italiana.html
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Paraná é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.