Piripiri (Piauí)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou secção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde outubro de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Município de Piripiri
Bandeira de Piripiri
Brasão de Piripiri
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 4 de julho
Fundação 4 de julho de 1910 (103 anos)
Gentílico piripiriense
Prefeito(a) Odival José de Andrade (PSB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Piripiri
Localização de Piripiri no Piauí
Piripiri está localizado em: Brasil
Piripiri
Localização de Piripiri no Brasil
04° 16' 22" S 41° 46' 37" O04° 16' 22" S 41° 46' 37" O
Unidade federativa  Piauí
Mesorregião Norte Piauiense IBGE/2008[1]
Microrregião Baixo Parnaíba Piauiense IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Brasileira, Capitão de Campos, Domingos Mourão, Barras, Batalha
Distância até a capital 160 km
Características geográficas
Área 1 408,928 km² [2]
População 61 840 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 43,89 hab./km²
Altitude 170 m
Clima Tropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,635 (PI: 13º) – médio PNUD/2010[4]
PIB R$ 216 343,031 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 3 490,81 IBGE/2008[5]
Página oficial

Piripiri é um município brasileiro do estado do Piauí.

Localiza-se a uma latitude 04º16'24" sul e a uma longitude 41º46'37" oeste (Google Earth: lat=-4.270664, lon=-41.781189), estando a uma altitude de 170 metros.

História[editar | editar código-fonte]

Sua origem vem das terras encravadas em um local denominado “Botica”, concedida a Antônio Fernandes Macedo em 20 de janeiro de 1777.

A sua fundação remota-se a uma data desconhecida do ano de 1844, quando o seu proprietário, o Padre Domingos de Freitas e Silva, vindo buscar refugio após ter lutado pela independência do Piauí construiu uma casa em um local denominado Anajás, e depois, ao lado, uma capela dedicada a Nossa Senhora dos Remédios, que é a atual padroeira da cidade. Ali o padre passou a viver com sua família da agricultura e da criação de gado.

Essas duas foram às únicas construções de Piripiri até 1855, quando o Padre Domingos de Freitas e Silva resolveu dividir as terras de sua propriedade em pequenos lotes, oferecendo-as a quem quisesse morar ali. Pouco tempo depois começaram a chegar muitas famílias. Primeiro vieram os Medeiros e instalaram-se. Depois os Melos, afastados por glebas, os Regos, os Resende e outras mais.

Em 1857 Piripiri com seus habitantes começava a ter o aspecto de uma pequena vila, e com isso o Padre Domingos de Freitas e Silva abriu uma pequena escola. Nessa escola ele mesmo deu aula de primeiras letras e latim durante muito tempo.

No ano de 1860, o Padre Freitas doou a capela dedicada a Nossa Senhora dos Remédios, 300 braças quadradas de terras que demarcou judicialmente.

No dia 16 de agosto de 1870, o distrito de Piripiri é elevado à categoria de freguesia com seus limites traçados e anexado ao município de Piracuruca.

Já em 16 de junho de 1874, Piripiri foi elevada à vila, ainda anexada a Piracuruca.

Em 1908 o Padre Antônio Bezerra de Menezes fundou o Instituto Arcoverde, um educandário que prestou elevantes serviços a Piripiri. Colaboraram Dr. José de Arimatéia Tito e João de Freitas Filho.

Em 1910 foi inaugurado o Palacete do Conselho da Vila, prédio que foi construído em 1909.

No dia 4 de julho de 1910 a vila de Piripiri foi finalmente elevada à categoria de cidade.

A grafia primitiva era Peripery. Em 21 de novembro de 1944 uma resolução de IBGE passou a chamar a cidade de Piripiri.

Duas personalidades merecem destaque pelas contribuições que proporcionaram à cidade, ao Estado e à Nação. A primeira foi o Embaixador Expedito de Freitas Rezende. Homem culto e que serviu ao País nas Embaixadas da Argentina, Paraguai, Chile e Vaticano, onde veio a falecer. Sua maior contribuição para o País foi a negociação do Tratado da Itaipu Binacional, emprendimento que até hoje representa 19% de toda a energia consumida pela Nação. A Segunda, não menos imporante, foi o Professor Omar de Andrade Rezende. Educador reconhecido Regionalmente, pioneiro na implantação do antigo Ginásio em Piripiri, e que teve como maior mérito, abdicar do direito de mantê-lo como instituição privada, estadualizando-a, a fim de que todos os Piripirienses que tivesem mérito pudessem cursá-la.

A cidade possuiu muitos autores, entre os quais merece destaque: Simplício Mario, João de Souza, Baurélio Mangabeira, Nilton Freitas, Judith Santana, Eliene César e Cléa Rezende.

Conta com várias estações de rádio e apenas um único jornal impresso, que é o Jornal Visão, e também com portais de notícias como Portal Nopi, Veja Piripiri,Piripiri 40 Graus, CliquePiripiri e Piripiri Repórter. O time de futebol oficial da cidade é o 4 de Julho que atualmente disputa a primeira divisão do Campeonato Piauiense de Futebol e joga no estádio da cidade, o Itacoatiara.

Possuí eventos festivos que atraem muitos visitantes de fora. Entre os que se destacam são os festejos comemorati¬vos em homenagem a padroeira Nossa Senhora dos Remédios, e o Pirifolia, carnaval fora de época que atrai milhares de foliões anualmente, criado em 1997 pelo atual deputado estadual, representante do município no legislativo piauiense, Marden Menezes.

Destaca-se ainda no campo educacional, onde conta com um ótimo sistema de ensino, implantado pela Secretaria Municipal de Educação, sendo assim um dos municípios modelos do Estado.

Por esses e outro motivos é que Piripiri recebeu da professora e escritora Cléa Rezende Neves de Melo a denominação carinhosa de “Terra das Buganvílias e Madressilvas”, e ainda uma denominação da escritora Eliene César de “Terra dos Quatro Is”, o que ficou bastante conhecido.

Lista de prefeitos de Piripiri[editar | editar código-fonte]

Alguns ex-prefeitos de Piripiri (lista a completar): Antono Alves de Oliveira Lopes, Onofre José de Melo, José Joaquim da Silva Rabelo, Estevão Rabelo de Araújo Silva, Francisco Gaudioso de Sousa Memória, Tomáz Rebelo de Olveira Castro, Nelson Francisco Carvalho, João Paulo da Silva Rabelo, Antonio Coelho de Resende, João de Freitas Silva, José Higino de Sousa, João de Freitas e Silva, Nelson Coelho de Resende, Francisco Justino de Sousa Medeiros, Licínio de Brito Melo, Aderson Alves Ferreira, Joaquim Canuto de Melo, João Coelho de Resende, João Bandeira de Resende, Isidoro machado Brito, Jeronimo Bezerra de Melo, Antonio Monteiro Alves, Cícero medeiros, Antonio de Andrade Poti, Jônatas de Melo (1970/1972), Antônio Ferreira Neto,Jônatas Melo (1976/1982) Luis Cavalcante de Menezes (1983/1988), José Arimatéia de Melo Rodrigues (1989/1992),José Pinto Mesquita(1993/1996), Luis Cavalcante de Menezes (1997/2004), Odival José de Andrade(2005/2008), Luis Cavalcante de Menezes (2009/2012), Odival José de Andrade (2013/atual).

Geografia[editar | editar código-fonte]

Piripiri é um município brasileiro do estado do Piauí. Piripiri vem de Peripery, que significa para uns, capim-capim ou capinzal e, para outros, junco, arbusto encon¬trado perto de lagoas. Batizada assim por haver muito desse capim na fazenda do funda¬dor, o Padre Domingos de Freitas e Silva.

Banhada pelo Rio dos Matos, possui uma área de 1.629 quilômetros quadrados que representa 0,56% do Piauí, 0,091% da região Nordeste e 0,016% da área do Brasil. Suas coordenadas geográficas são: 4º12’00” de latitude Sul e 41º46’29” de longitude a Oeste de Greenwich. Está localizada sob uma altitude: 156 metros. Está localizada a 166 quilômetros da capital do Estado. E distante do litoral mais ou menos 191 quilômetros.

Fica localizada na região do Meio-Norte e na Microrregião do Baixo Planalto Piauí¬ense. Possui uma população urbana de 72,4%, e uma população rural de 27,6%. Limita-se ao Norte com o município de Brasileira. Ao Sul com Capitão de Campos. Ao Leste limita-se com os municípios de Pedro II e Olho D’água Grande. E a Oeste limita-se com Barras e Batalha.

Piripiri, cidade do interior do Piauí, pode ser classificada no momento como a quarta cidade do Estado em população, perdendo apenas por Teresina, Parnaiba e Picos. Situada entre a capital Teresina e a cidade litorânea de Parnaíba possuí um clima Tropical quente, chegando a registrar uma temperatura média entre 26°C e 38°C. Esta é uma região em que se pedromina a caatinga. Anualmente registra índices de precipitação pluviometrica entre 800mm e 1600mm, o que aumenta significativamente nos meses de fevereiro, março e abril que são os meses mais úmidos.

No passado, Piripiri tinha como principal economia a criação de gado e a cera de Carnaúba, produto abundante do município. Esta teve espetacular valorização durante a Segunda Guerra Mundial. No período pós-guerra, devido à descoberta e fabricação em grande escala de produtos sintéticos incluindo cera sintética, houve queda maciça do preço da cera de Carnaúba, ao ponto de não mais despertar interesse comercial.

A cidade se destaca, economicamente, como o segundo maior pólo de Indústria de Confecções, possuindo cerca de 300 unidades fabris, todas elas micro e pequenas empresas, e destaca-se ainda pelo Comércio. Além disso, Piripiri se destaca no turismo com várias atrações, que entre a mais conhecida está o "Açude Caldeirão".

Atualmente Piripiri possuí uma economia baseada no turismo, agricultura, extrativismo e pecuária.

Atrações Turísticas[editar | editar código-fonte]

A cidade de Piripiri desenvolve seu potencial turístico com os seguintes atrativos:

Santuário de Nossa Senhora dos Remédios

Açude Caldeirão - Está localizado a 7,5 km da cidade e conta com uma capacidade de 54.600.000 metros cúbicos de água. Bastante utilizado como fonte de lazer com varios bares e restaurantes, movimentado o ano inteiro.

Museu Perypery - Museu que funciona em um prédio que funcionava uma agência bancária e uma casa de festas. Conta com várias peças que resgatam a história de Piripiri.

Parque Municipal Cachoeira da Conceição - Com 28 hectáres de floresta nativa, está localizado distante do centro. Possui uma piscina natural e áreas para lazer.

Igreja Matriz de Nossa Senhora dos Remédios - Construída pelos franciscanos na década de 1950 com base na Catedral de St. Paulus, em Münster, na Alemanha. È o local onde é realizado a festa religiosa da padroeira da região, atraindo centenas de turistas.

Memorial Expedito Resende - Erguido em 1985 e é mantido pelo Governo do Estado. Possui peças em exposição do Embaixador Expedito Resende, um auditório com capacidade para 200 pessoas, e ainda uma biblioteca com cerca de 2 mil obras.

'''Biblioteca Municipal Casa das Letras''' - Funciona onde era uma antiga Usina de Energia. Recebe vários estudantes e professores por dia. Atualmente conta com uma biblioteca com cerca de 5 mil livros.

Praça de Eventos Arimatéa Sousa - Funciona em um local onde se encontrava a antiga Estação Ferroviária da cidade, e conta com um grandioso espaço que recebe eventos de muito público.

Cachoeira do Bota-Fora - Também conhecida como Cachoeira Grande é um local de lazer que possuí um centro de visitantes e uma cachoeira para os banhistas.

Açude Anajás - Local que é pouco utilizado como lazer, e principalmente é utilizado por pescadores por ter grande quantidade de peixes.

Praça da bandeira - Principal praça em frente à igreja matriz de Nossa Senhora dos Remédios.

Santuário de Nossa Senhora dos Remédios - Localizado no Morro da Saudade, possui uma grande estátua da santa padroeira do município.

Bibliotecas[editar | editar código-fonte]

Biblioteca Municipal Casa das Letras, Biblioteca da UESPI.

Biblioteca da Unidade Escolar José Narciso da Rocha Filho.Biblioteca Desembargadora Nídia de Assunção Aguiar.

Biblioteca Centro Educacional SESC LER Piripiri

Universidades[editar | editar código-fonte]

Universidade Estadual do Piauí.(cursos: Direito, Pedagogia , Inglês , Português, Química, Física, Ciências da computação e matemática).

Praça em frente ao campus da UESPI em Piripiri

Christus Faculdade do Piauí.(cursos:Administração, Contábeis, Direito, Enfermagem, Fisioterapia, Serviço Social, Pedagogia e Gestão Comercial).

Instituto Federal do Piauí. (cursos:Matemática, técnico em Administração, técnico em Vestuário).

Universidade do norte do Paraná - Unopar. (cursos: serviço social, administração, história, pedagogia, ciencias contábeis dentro outros.

Fatos Marcantes de Piripiri[editar | editar código-fonte]

Cronologia

1877/1879. A maior seca que já aconteceu. Assola vários municípios piauienses.

1884. Inaugurada a Rede Telegráfica que estabelecia a comunicação telegráfica de Teresina com as vilas de Campo Maior, Peripery e Pedro II.

1884. Inaugurada a Igreja Matriz de Nossa Senhora dos Remédios. A primeira matriz.

1907. Mais um ano de seca assola o Piauí.

1909. Instala-se a Prefeitura Municipal no prédio inaugurado no mesmo ano.

1910. Instala-se o Palacete do Conselho da Vila.

1910. Elevada a categoria de cidade.

1915. Uma grande seca arruína o Estado.

1925. Surge o jornal “Peripery”, o primeiro da cidade.

1932. Funda-se a União Caixeiral (casa de festas).

1940. Inaugura-se a capela de Nossa Senhora do Rosário, homenagem do povo ao fundador, padre Freitas.

1940. Aderson Alves Ferreira inaugura o Cine Éden (o primeiro cinema da cidade).

1952. Inaugura-se o Mercado Público.

1954. Nasce o Guarani (primeiro time de futebol do município) e o estádio Itacoatiara.

1962. Inaugura-se o Hospital Estadual Chagas Rodrigues, o único atualmente.

1970. Chega a Piripiri a imagem da Televisão Ceará.

1975. Luiz Cavalcante e Menezes cria o 4 de Julho Esporte Clube e é fundada a Liga Piripiriense de Futebol.

1977. Instalado o Tiro de Guerra.

1985. 4 de Julho de Futsal enfrenta o SUMOV de Fortaleza, campeão mundial do esporte.

1987. O 4 de Julho, clube de maior tradição local, ingressa no futebol profissional, único time da cidade até hoje.

1987. Inaugura-se o Museu Peripery.

1993. Cria-se o Parque Municipal “Cachoeira da Conceição”.

1996. Instalado o Campus Universitário Piripiri – da UESPI.

1997. Luiz Cavalcante e Menezes Inaugura nova sede da Prefeitura Municipal. É realizada a primeira Pirifolia.

1998. Inaugurado pelo Governador do Piauí Mão Santa o Terminal Rodoviário Intermunicipal Luiz Cavalcante e Menezes.

2000. Luiz Cavalcante e Menezes inaugura o complexo de eventos Arimatea Souza.

2010. O estádio municipal Helvídio Nunes (Ytacoatiara) recebe iluminação.


Pesquisa: Cléa Rezende de Neves Melo.

Comunicações[editar | editar código-fonte]

Estações de rádios[editar | editar código-fonte]

Consulte abaixo a listagem das rádios que são captadas em Piripiri:

Emissoras de TV[editar | editar código-fonte]

TV Ocidental (SBT) TV Antena 10 (Record)

Hino de Piripiri[editar | editar código-fonte]

Letra: José de Arimatéia Tito

Salve terra querida e formosa.

Berço caro de tanta magia.

Tudo em ti é de cor majestosa.

E produz a mais doce alegria!


Piripiri, terra querida.

Por ti daremos nossa vida. (bis)


No teu seio de mãe sedutora.

Ideal, afetivo e fulgente.

Há vestígios de paz duradoura.

E belezas que nutrem a mente!


Imprevistos e áureos fulgores.

Apresentas olhos do mundo.

Desde a mais delicada das flores.

Ao tesouro mais rico e profundo!


O teu nome sonoro e amado.

Concretiza a grandeza e o amor.

Pois recorda do índio inflamado.

As ações de sublime valor!


O teu céu de mistérios tão lindos.

Faz a alma sonhar nas alturas.

E de lá, nos espaços infinitos.

Então sente as delícias mais puras!


Os teus campos floridos e belos.

Dão à vista um cenário brilhante.

Reacendem os nossos anelos.

E nos tornam o ser palpitante!


No triunfo imortal da riqueza.

A natureza banhou-te de luz.

Dando a ti um fulgor de princesa.

Sob o amparo celeste da cruz!


Que o progresso te dobre o futuro.

Eis a crença que nos fortalece.

Em prol desse alvo tão puro.

Nós erguemos a Deus uma prece!

Referências bibliográficas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil (PDF). Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 3 de agosto de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.