Pirrolizidínico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Fórmula da retronecine, um alcalóide pirrolizidínico encontrado em Senecio vulgaris e em Symphytum officinale spp.

Alcalóide de Pirrolizidina ou alcalóide pirrolizidínico, é uma substância química do tipo alcalóide, hidrossolúvel, não atropínica, com efeitos hepatotóxico, pneumotóxico, carcinogênico [1] e mutagênico, produzidas e derivadas de determinadas ervas venenosas.

Estes alcaloides são derivados da pirrolizidina.

A toxidade pode ser crônica e fatal, dependendo da quantidade de ingestão deste alcalóide ou do estado hepático do envenenado.[2] A doença crônica por ingestão de pequenas porções por longos períodos pode causar fibrose no fígado e evoluir para cirrose, a qual é indistinguível das cirroses por outras etiologias. Sintomas clínicos incluem náusea e dor aguda epigástrica, distensão abdominal aguda com dilatação proeminente de veias na parede abdominal e evidente disfunção da bioquímica hepática.[3] Febre e icterícia podem estar presentes. Em alguns casos os pulmões podem ser afetados; edema pulmonar e derrames pleurais podem ser observados. O dano pulmonar pode ser fatal. O leite dos animais que ingeriram plantas que produzem o pirrolizidínico, pode estar contaminado com o alcalóide, bem como, o mel de abelhas que polinizam plantas tóxicas também pode conter tais substâncias.

Espécies de plantas que contém Alcalóide de Pirrolizidina[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

  1. Schoental, R., "Toxicology and Carcinogenic Action of Pyrrolizidine Alkaloids", Cancer Research No.28, pp.2237-2246, novembro 1968 [1], em inglês
  2. Foodborne Pathogenic Microorganisms and Natural Toxins Handbook: Pyrrolizidine Alkaloids (em inglês) Bad Bug Book United States Food and Drug Administration. Visitado em 10 de setembro de 2009.
  3. a b Fu, P.P., Yang, Y.C., Xia, Q., Chou, M.C., Cui, Y.Y., Lin G., "Pyrrolizidine alkaloids-tumorigenic components in Chinese herbal medicines and dietary supplements", Journal of Food and Drug Analysis, Vol. 10, No. 4, 2002, pp. 198-211 [2], em inglês
  4. Wiedenfeld H, Andrade-Cetto A., "Pyrrolizidine alkaloids from Ageratum houstonianum Mill.", Phytochemistry, 2001 Aug, pp1269-71 [3]
  5. a b c d e f g h The MERCK Vetinary Manual, Table 5.
  6. Yeong M.L., et al.(1990), "Hepatic veno-occlusive disease associated with comfrey ingestion." Journal of Gastroenterology and Hepatology, 5(2): p. 211-4.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Bioquímica é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.