Pitangueiras (São Paulo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Pitangueiras
Bandeira de Pitangueiras
Brasão de Pitangueiras
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 27 de julho de 1858
Gentílico pitangueirense
Prefeito(a) João Baptista Andrade
(2009–2012)
Localização
Localização de Pitangueiras
Localização de Pitangueiras em São Paulo
Pitangueiras está localizado em: Brasil
Pitangueiras
Localização de Pitangueiras no Brasil
21° 00' 32" S 48° 13' 19" O21° 00' 32" S 48° 13' 19" O
Unidade federativa  São Paulo
Mesorregião Ribeirão Preto IBGE/2008 [1]
Microrregião Jaboticabal IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Sertãozinho, Pontal, Morro Agudo, Viradouro, Bebedouro, Taquaral, Jaboticabal
Distância até a capital 369 km
Características geográficas
Área 429,577 km² [2]
População 35 314 hab. (SP: 170º) –  Censo IBGE/2010[3]
Densidade 82,21 hab./km²
Altitude 512 m
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,764 alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 372 446,948 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 10 620,10 IBGE/2008[5]
Página oficial

Pitangueiras é um município brasileiro do estado de São Paulo. Localiza-se a uma latitude 21º00'34" sul e a uma longitude 48º13'18" oeste, estando a uma altitude de 512 metros. Sua população estimada em 2004 era de 33.262 habitantes.

História[editar | editar código-fonte]

A povoação da região surgiu de um pouso de passagem no local onde as rotas comerciais provenientes dos centros de criação de gado do norte do atual estado de São Paulo (Bebedouro, Jaboticabal e Barretos) os caminhos para São Carlos do Pinhal (atual São Carlos) e São Paulo. Uma parte destas rotas comerciais era feita através de vias fluviais pela bacia do rio Moji-Guaçu, nas margens do qual havia um porto e o pouso de passagem. Como a malária tornou-se endêmica na região, o pouso passou a ser feito mais longe do rio onde proliferavam os mosquitos, até estabelecer-se em uma clareira no caminho de Jaboticabal onde existiam muitas pitangueiras[6] .

A região do pouso pertencia então ao município de Jaboticabal. A data em que se formou um arraial com moradores permanentes no local do antigo pouso é desconhecida, porém sabe-se que, em 1858, Manoel Félix e sua mulher, Ana Batista de Morais, doaram para o padroeiro São Sebastião cerca de 80 alqueires de terra visando, certamente, a consolidação de um povoado já existentes. Nestas terras doadas foi construída uma capela[6] .

Conforme levantamento feito pela própria paróquia, por volta de 1880, viviam cerca de oitocentas “almas” e havia 4 empórios nas imediações da capela. A maioria dos habitantes locais eram oriunda de Minas Gerais de onde migraram devido à decadência econõmica que ocorria com o fim da exploração de ouro. Estes primeiros povoadores dedicavam-se à pecuária e ao cultivo de milho, feijão e mandioca[6] .

A freguesia de Pitangueiras foi criada no município de Jaboticabal por lei provincial de 7 de julho de 1881[6] .

Em 1892, Joaquim Moço e sua esposa doaram mais 5 alqueires para a paróquia de São Sebastião de Pitangueiras. Neste mesmo ano, com a nova organização política devida à proclamação da República, a freguesia passou a ser considerada um distrito de Paz. Uma lei estadual de 6 de julho de 1893 desmembrou o município de Jaboticabal, elevando o distrito de Pitangueiras à vila com prerrogativas de município. A vila passou a ser cidade por lei municipal de 7 de dezembro de 1906 constituindo-se por dois distritos: Pitangueiras (sede) e Viradouro[6] .

Em 1906, a prefeitura de Pitangueiras expediu uma concessão para que fosse construída uma pequena ferrovia para ligar a sede do município à estação de Pitangueiras da Companhia Paulista de Estradas de Ferro (depois FEPASA) que existia à margem direita do rio Moji-Guaçu, mas ainda dentro da área do município[7] . Em 1907 foi inaugurada a Companhia de Estrada de Ferro Pitangueiras que permitiu a comunicação ferroviária da sede do município com a vasta região que vai desde Goiás até São Paulo e Santos. A antiga estação Pitangueiras da Companhia Paulista de Estradas de Ferro passou a ser denominada Passagem, pois a estação na sede municipal assumiu o nome do município[7] . A comunicação por ferrovia ccausou um forte crescimento econômico em todo o município. Na mesma época, foi instalada a primeira indústria de grande porte na região: a S/A Frigorífico Anglo[6] . A Companhia de Estrada de Ferro Pitangueiras foi posteriormente encampada posteriormente pela Companhia Paulista de Estradas de Ferro[7]

O distrito de Viradouro foi desmembrado de Pitangueiras em 1916 tornando-se um município. A partir de 1933, o município passou a ser composto por 3 distritos: Pitangueiras (sede), Ibitiúva e Taquaral. Em 1993, o município foi desmembrado do distrito de Taquaral que passou a constituir um novo município[6] .

Atualmente, o município compõe de dois distritos: Pitangueiras (sede) e Ibitiúva[6] .

Geografia[editar | editar código-fonte]

Possui uma área de 430,88 km².

Demografia[editar | editar código-fonte]

Área População residente[8]
Urbana 29.306
Rural 1.850
Homens 15.959
Mulheres 15.197
31.156
Cor/Raça Percentagem[8]
Branca 35,4%
Preta 20,0%
Parda 44,2%
Amarela 0,4%

Densidade demográfica (hab./km²): 72,52[8]

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 18,79

Expectativa de vida (anos): 69,73

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 3,02

Taxa de alfabetização: 70,95%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,764

  • IDH-M Renda: 0,690
  • IDH-M Longevidade: 0,746
  • IDH-M Educação: 0,855[9]

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

O município faz parte da bacia hidrográfica do rio Mogi Guaçu, onde é a maior fonte de ranchos na cidade.

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  6. a b c d e f g h Banco de Dados do IBGE. Pitangueiras - São Paulo. Página visitada em 08/09/2009.
  7. a b c Estações Ferroviárias do Brasil. Estação Pitangueiras - Município de Pitangueiras, SP. Página visitada em 08/09/2009.
  8. a b c Censo 2000
  9. IPEADATA

Ligações externas[editar | editar código-fonte]