Placérias

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaPlacérias
Fóssil de uma Placéria

Fóssil de uma Placéria
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Cordados
Classe: Synapsida
Ordem: Therapsida
Subordem: Anomodontia
Infraordem: Dicynodontia
Família: Kannemeyeriidae
Género: Placérias

As Placérias foram um dicinodonte (um grupo de mamíferos, como os répteis), que viveu no período Triássico (221-210 milhões de anos atrás) da Era Mesozoica do Éon Fanerozoico. Foi um membro da família Kannemeyeridae, o último representante conhecido do grupo neste momento. Os dicinodontes foram extintos pouco tempo depois.

Descrição[editar | editar código-fonte]

Foi o maior animal herbívoro de seu tempo, medindo até 3,5 metros de comprimento e pesava até uma tonelada (aproximadamente 907 kg). Possuía um pescoço poderoso, as pernas fortes e um corpo em forma de barril. Tinha aparência e costumes parecidos com o moderno hipopótamo, passando grande parte do seu tempo durante a estação chuvosa na água, mastigando a vegetação. Permanecer na água também teria dado às Placérias alguma proteção contra predadores terrestres como o Postosuchus. A Placéria usou seu bico para cortar através de galhos grossos e raízes; e com duas curtas presas que poderiam ser usadas para revirar a terra à procura de raízes úmidas, para a defesa e para ataque, como por exemplo, disputar território e fêmeas.

Descoberta[editar | editar código-fonte]

Quarenta fósseis de Placérias foram encontrados perto de St. Johns, no sudeste da Floresta Petrificada do Arizona. Este local tornou-se conhecido como a "Pedreira dos Placerias" e foi descoberto em 1930 por Charles Camp e Samuel Welles, da Universidade da Califórnia, Berkeley.

Na cultura popular[editar | editar código-fonte]

Até a data, as Placéria apareceram em um documentário, "Caminhando com Dinossauros". O documentário mostrou que elas viviam pastando e escavando à procura de raízes e tubérculos com suas presas. Elas também foram mostradas a descer a uma ribeira para beber. Eles foram a presa principal do predador ápice Postosuchus. Em outra cena, eles são mostrados migrando para encontrar novos alimentos.[1]

Restauração do Placérias

Referências

  1. Documentario Caminhando com Dinossauros - Sangue Novo


Ícone de esboço Este artigo sobre sinapsídeos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.