Plano da Salvação

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. (desde janeiro de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Na Teologia cristã, entende-se o Plano da Salvação como a materialização da ação de Deus em salvar o homem; parte da doutrina da Soteriologia.

Em comum, o cristianismo em suas várias vertentes crê que Jesus Cristo possui um papel importante para a salvação da humanidade. Todavia, as diversas denominações e posições teológicas divergem quanto o que consiste salvação e seu plano.

Na teologia liberal, salvação seria uma realização existencial na qual Jesus Cristo é um exemplo.

A salvação no catolicismo coloca a Igreja como canal ideal da graça de Deus. A união com a Igreja pode levar à graça dos céus. Essa graça, na lição de Santo Agostinho, é obra unicamente de Deus (daí ser denominada graça), cabendo ao homem, unicamente buscar uma vida de santidade e comunhão, na esperança da salvação. Esta vida de santidade é reforçada por meio dos sacramentos conferidos pela Igreja que são: batismo, crisma ou confirmação, confissão ou penitência, comunhão ou eucaristia, matrimônio, ordem e unção dos enfermos. É ainda função dos cristãos a busca daqueles que estão fora da Igreja, a fim de que possam comungar com a graça de Deus, único dispensados da Graça. Segundo Martim Lutero, o Homem nasce por natureza distante de Deus,e cabe a este aceitar ou não a salvação por meio do sacrifício de Cristo Jesus confessando-o como seu único e suficiente salvador conforme escrito em Romanos 10.9 "Porque, se com a tua boca confessares a Jesus como Senhor, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo;" Essa salvação vem por meio da fé e não por obras "Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie;" Efésios 2:8-9;mas como afirma o texto em Tiago 2:17 "Assim também a fé, se não tiver obras, é morta em si mesma." sendo assim as obras são complementares a salvação,mas não a torna como único meio para atingi-la,ou seja o cristão deve executar boas obras por ser salvo e não para se salvar".Lutero enfatiza também, o livre arbítrio onde cada um tem o direito de tomar suas próprias decisões,mas sempre lembrando que estas terão as suas consequências,fica claro que o cristão segundo a visão Luterana não esta predestinado a salvação,mas o seus atos é que irão defini-la "Não vos enganeis; de Deus não se zomba. Pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará"Gálatas 6:7.Sendo o homem um ser corruptível esta sujeito a erros,mas mesmo assim pode contar com sua salvação a partir do momento em que arrepende-se de seus pecados e os deixa."Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e para nos purificar de toda a injustiça." 1 João 1:9 Tiago não diz que para ser salvo é preciso as obras, mas ele fala da evidência que a genuína fé produz.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Teologia ou sobre um teólogo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.