Plastídeo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde Fevereiro de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Células vegetais com cloroplastos visíveis.

Em citologia, chamam-se plastídeos ou plastos a um grupo de organelas encontrados nas células das plantas e das algas, responsáveis pela fotossíntese.1

Plastídeos das Plantas[editar | editar código-fonte]

Tipos de plastídeos.svg

Os proplastídeos (indiferenciados) podem diferenciar-se de acordo com a sua função nos seguintes tipos:

Plastídeos das Algas[editar | editar código-fonte]

Nas algas, o termo leucoplasto é usado quando se está a referir a plastídeos sem pigmentação. A sua função nas algas difere da função nas plantas. Os 'etioplastos, os amiloplastos e os cromoplastos são específicos das plantas, não ocorrendo em algas. Os plastídeos, algais diferem dos plastídeos vetegais porque poderão possuir pirenóides.

Origem dos Plastídeos[editar | editar código-fonte]

Supõe-se que os plastídeos tenham sido originados de cianobactérias, por endossimbiose.1 Divergiram em 3 linhagens, os sendo chamadas de: cloroplastos, estes encontrados nas algas verdes e plantas; rodoplastos, estes encotrados em algas vermelhas; e em cianelas, encontradas nas glaucófitas.

Os plastídeos diferem em pigmentação e estrutura. Os cloroplastos, por exemplo, perderam toda ficobilissoma, os complexos captadores de luz encontrados nas cianobactérias, algas vermelhas e glaucofitas, mas contém tilacóides em estroma e granos - somente as plantas e nas algas verdes mais proximamente aparentadas. O plastídeo glaucocistofíceo - em contraste com os cloroplastos e os rodoplastos - ainda são envoltos por vestígios de uma parede celular cianobacteriana. Todos estes plastídeos primários são envoltos por duas membranas.

Plastídeos complexos originam-se de endossimbiose secundária, quando um eucarionte e absorve uma alga vermelha ou verde, retendo o plastídeo da alga, que é tipicamente envolto por mais de duas membranas, e tem suas capacidade metabólica ou fotossintética limitada. Algas com plastídeos complexos derivados de endossimbiose segundária de algas vermelhas incluem os heterocontes, haptófitas, criptomônadas, e a maioria dos dinoflagelados (rodoplastos). Aqueles que fazem endossimbiose com alga verde são euglenóides e os cloraracniófitos (cloroplastos). O filo de protozoários Apicomplexa, de parasitas obrigatórios, dentre os quais o plasmódio causador da malária, também tem plastídeos complexos, embora essa organelas tenha sido perdida em alguns apicomplexanos, como o Cryptosporidium parvum, causador da criptosporidiose. O apicoplasto não é mais capaz de realizar a fotossíntese (sendo um leucoplasto), mas ainda é uma organela essencial. Estes plastídeos são extremamente reduzidos e não está bem claro se eles derivaram da alga verde ou vermelha.

Cleptoplastídeos são plastídeos capturados de uma alga que serve de alimento.1 Alguns dinoflagelados, ciliados, foraminíferos e lesmas-do-mar do clado Sacoglossa alimentam-se de algas, e utilizam-se dos plastídeos da alga digerida para realizar temporariamente fotossíntese; mas depois de algum tempo os plastídeos também são digeridos. Este proceso é chamado "cleptoplastia".1

Referências

  1. a b c d The University of Arizona, Department of Ecology and Evolutionary Biology, Biological Sciences West Room 317, The Heckett Laboratory, The plastid thief Dinophysis [em linha]

Ligação Externa[editar | editar código-fonte]