Pleura

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde outubro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Heart-and-lungs.jpg

pleura é uma membrana dupla, semelhante a um saco, que envolve o pulmão. É uma fina capa membranosa formada por dois folhetos:

  • Pleura parietal que recobre internamente a parede costal da cavidade, está intimamente ligada com a caixa torácica, sendo subdividida em quatro partes:
  1. pleura costal que cobre as faces internas da parede torácica.
  2. pleura mediastinal que cobre as faces laterais do mediastino.
  3. pleura diafragmática que cobre a face superior do diafragma.
  4. cúpula pleural que recobre o ápice pulmonar.
  • Pleura visceral que recobre os pulmões.

A pleura é, portanto, uma membrana envoltória intra-torácica, em cujo interior há um espaço laminar (espaço pleural), também denominado de cavidade pleural.

Fisiologia[editar | editar código-fonte]

Nas situações normais, a cavidade pleural ou espaço pleural é ocupado por uma pequena quantidade de líquido para a lubrificação das pleuras denominado de líquido pleural.
A função do líquido seroso que é segregado pela pleura é a lubrificação e facilitação dos movimentos dos pulmões durante a mecânica da ventilação pulmonar.
As pressões que agem sobre o pulmão nas diversas fases do ciclo necessário à ventilação pulmonar são também transmitidas à cavidade pleural.

Patologias[editar | editar código-fonte]

Esse espaço poderá ser ocupado em situações patológicas (doenças) com a formação de coleções de:

As doenças que acometem as pleuras podem provocar sequelas com aderências pleurais e espessamento pleural (pleuris) com encarceramento pulmonar, como por exemplo, o que ocorre no empiema pleural e na tuberculose pleural.

O exame anatomopatológico através da biópsia pleural ajuda a obter o diagnóstico definitivo.

Tratamento[editar | editar código-fonte]

Apesar de essas coleções sempre constituírem uma condição anormal que dificultam a ventilação pulmonar, a conduta no tratamento poderá ser conservadora nos pequenos pneumotórax espontâneos, nos pacientes sem respiração mecânica e nas pequenas coleções líquidas não sépticas e cujo diagnóstico seja conhecido.
Nas demais situações, impõe-se o tratamento cirúrgico com:

  • toracocentese ou punção pleural
  • drenagem pleural

A toracocentese e a drenagem pleural são, portanto procedimentos cirúrgicos com finalidade diagnóstica e terapêutica nas doenças da cavidade pleural.

Drenagem pleural[editar | editar código-fonte]

Sistema Coletor de Drenagem Pleural ou Mediastinal com Conector Tubular Cônico que possibilita a conexão com drenos torácicos de diversos diâmetros, de acordo com a necessidade médica

O sistema coletor de drenagem pleural ou mediastinal usado na drenagem pleural com cateter (dreno torácico) utiliza o princípio da sifonagem para manter em equilíbrio a pressão intrapleural ou intrapericárdica, que é negativa em relação à atmosférica, evitando a entrada de ar na cavidade pleural ou torácica (pneumotórax aberto).

Indicações[editar | editar código-fonte]

Os sistemas coletores de drenagem pleural ou mediastinal são empregados em cirurgias torácicas ou cardíacas e destinam-se à evacuação de conteúdo líquido e ou gasoso da cavidade torácica (derrames pleurais ou pericárdico, empiema pleural, sangue (hemotórax), pneumotórax, etc.)