Pluggable Authentication Modules

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

PAM (acrônimo para o inglês Pluggable authentication modules, em tradução livre para o português Módulos Anexáveis de Autendicação) são várias bibliotecas compartilhadas que o administrador do sistema local tem acesso em definir como as aplicações autenticam os outros usuários, sem precisar de modificar e recompilar algum programa. Porém seria preciso editar somente alguns arquivos de configuração.[1]

O desenvolvimento inicial do PAM aconteceu em 1996 pela Sun Microsystems e atualmente é suportado nos sistemas operacionais AIX, HP-UX, Solaris, Linux, FreeBSD, Mac OS X e NetBSD. A padronização do PAM como parte do processo XOpen UNIX resultou no padrão XSSO.

A estrutura plugável do PAM é uma das razões para o uso de ligação dinâmica em programas. Porém, há a necessidade de um mecanismo de recuperação em caso de problemas com o ligador ou com as bibliotecas compartilhadas.

Como o padrão XSSO difere tanto da API original (criada pela Sun) como das várias outras implementações, não se pode dizer que o PAM opera da mesma forma em todas as suas versões. Por isso, o projeto OpenBSD decidiu adotar a Autenticação BSD, uma alternativa originada do sistema operacional BSD.

Notas e Referências

  1. Ferreira, Rubem E. In: Novatec. Linux:guia do dministrador do sistema. São Paulo: [s.n.]. Capítulo 22. 707 pp. ISBN 9788575221778.

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Informática é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.