Poesia confessional

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A poesia confessional, ou confessionalismo, é um gênero de poesia que se desenvolveu nos Estados Unidos da América nas décadas de 1950 e 1960. Enfatiza a expressão da intimidade da vida pessoal do poeta, tratando de temas como doença, sexualidade e depressão.

Entre os "poetas confessionais" podemos citar nomes como John Berryman, Allen Ginsberg, Robert Lowell, Sylvia Plath, Theodore Roethke, Anne Sexton e W. D. Snodgrass.

O termo "confessional" foi utilizado pela primeira vez em 1959 pelo crítico Macha Rosenthal, em seu ensaio "Poetry as Confession", a respeito do livro "Life Studies" de Robert Lowell.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Kirsch, Adam, The Wounded Surgeon: Confession and Transformation in Six American Poets, W. W. Norton & Company, 2005.
  • Rose, Jacqueline, The Haunting of Sylvia Plath, Virago Press, London, 1991. ISBN 9781853813078.
  • Rosenthal, M. L., The Modern Poets: A Critical Introduction New York: Oxford University Press, 1960 ISBN 0195007182
  • Rosenthal, M. L., Our Life in Poetry: Selected Essays and Reviews, Persea Books, New Tork, 1991, ISBN 0892551496.
Ícone de esboço Este artigo sobre literatura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.