Pokémon (série de jogos eletrônicos)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Os jogos eletrônicos da série Pokémon são alguns dos jogos mais vendidos da empresa japonesa Nintendo. São variados tipos de RPG, junto com alguns jogos de simulação e de estratégia.

Os jogos são divididos em três tipos: RPGs Originais, que introduzem a maioria de novos Pokémon e sempre são para os portáteis da Nintendo, indo de Pokémon Red & Blue a Pokémon Omega Ruby & Alpha Sapphire. Os jogos plataforma sempre serviram mais para conectar os RPGs Originais e usar os Pokémon vindos dali para batalharem. Começou com Pokémon Stadium e recentemente foi lançado Pokémon Battle Revolution no Japão.

Mapa mostrando algumas áreas do Japão onde foram baseadas Regiões Pokémon, incluindo Sinnoh.

Há um último tipo, denominados spin-offs. Esse tipo de jogo não tem nada a ver com os RPGs Originais e plataformas. São jogos diferenciados que quebram a rotina como treinador e coloca o jogador nas mais variadas situações, desde pinballs até uma transformação de humano em Pokémon. Os jogos da série Ranger contêm missões especiais com Pokémon para os jogos Pokémon Diamond, Pearl e Platinum.

As gerações de jogos[editar | editar código-fonte]

Os RPGs originais de Pokémon são os mais conhecidos na história da série por serem pioneiros no estilo de jogo, apresentando uma batalha em turnos usando ataques especiais para derrotar o oponente. Caso seja visto mais de perto, os jogos não são tão pioneiros assim, mas eles trouxeram algumas características marcantes em jogos da Nintendo e principalmente para outros RPGs: uma delas é a conexão entre jogos, usando inicialmente o cabo Game Link, depois o Wireless Adapter e hoje em dia a conexão Wireless e Wi-Fi. A outra é o lançamento dos RPGs originais em versões diferentes, exemplo seguido por Medabots, Mega Man e muitas outra séries.

No RPG original, há sempre dois objetivos: capturar todos os Pokémon possíveis e derrotar uma equipe conhecida como Elite Four, montando um time que possa ser forte o bastante para não ser derrotado contra essa equipe. Antes de derrotá-los, o jogador precisa ganhar oito ou dependendo da versão 16 insígnias de ginásio, derrotando seus líderes. É possível capturar e carregar até seis Pokémon de um vez no time, sendo o resto mandado para o "box" do PC, um lugar onde todos os Pokémon são guardados, prontos para serem usados. É necessário combinar ataques que funcionem, principalmente em Pokémon Diamond & Pearl, contra outros Pokémon e causem um grande dano. Cada Pokémon tem um número de HP (Health Points) e quando esse chega a zero, o Pokémon fica inconsciente e não retorna à batalha até ser reanimado.

Primeira geração (1996–1999)[editar | editar código-fonte]

A origem de Pokémon está em dois jogos chamados Poketto Monsutā Midori, mais conhecido como Pokémon Green, e Pokémon Red, lançados em 1996 no Japão. Pokémon Green nunca foi lançado fora do Japão, sendo lançado apenas Pokémon Red Version junto à versão Blue. Pokémon Red & Blue também foi lançado no Japão, alguns meses após o lançamento dos dois primeiros. Devido ao sucesso destes jogos, os quais chegaram a ser alguns dos jogos mais vendidos do Japão em 1996,[1] houve a produção de uma versão diferente, denominada Pokémon Yellow: Special Pikachu Edition, trazia como Pokémon principal um Pikachu que andava sempre seguindo o jogador fora de sua Pokébola. Pokémon Red & Blue vendeu mais de dez milhões de cópias no Ocidente e Pokémon Yellow vendeu mais de cinco milhões de cópias sozinho.[2]

Pokémon não foi lançado apenas para o Game Boy, mas também para o Nintendo 64, com três jogos especialmente para o console: um chamado Pokémon Stadium, que usava monstrinhos transferidos do Game Boy ou contidos no próprio Stadium em batalhas 3D, além de trazer uma série de minigames. Outro foi um spin-off chamado Hey You, Pikachu!, que inovou, ao implementar nos videogames o sistema de microfone. O terceiro jogo foi Pokémon Snap, onde o jogador controlava um paparazzi de Pokémon e devia fotografá-los da melhor maneira possível. Houve ainda um spin-off da série para o Game Boy, chamado de Pokémon Pinball, que trazia um pinball usando Pokémon e também foi um dos poucos jogos do console a usar a função "rumble", que fazia o console vibrar ao fazer certos movimentos.

Segunda geração (1999–2002)[editar | editar código-fonte]

À medida que conquistava cada vez mais fãs mundialmente, os criadores decidiram fazer uma continuação dos primeiros jogos. Isso gerou em duas novas versões, que traziam uma aventura diferente das anteriores, situada em uma Região ao lado do palco dos primeiros jogos, 100 novos Pokémon, totalizando 251, recursos novos, entre outros. Conhecidos como Pokémon Gold & Silver, eles serviram de base para o mecanismo dos seguintes, apresentando a distinção entre Pokémon machos e fêmeas, possibilitando o cruzamento de Pokémon, conceito muito usado para trocas entre jogadores, utilizando o tempo dentro do jogo, diferenciando o dia da noite e muitas outras novidades para os jogadores. Foram os jogos eletrônicos mais vendidos de 2000[3] e os mais vendidos do Game Boy Color[1] [2] O terceiro jogo ficou conhecido como Pokémon Crystal Version e destacava o Pokémon lendário Suicune. Apresentava uma aventura um pouco diferenciada das outras duas versões, alguns detalhes novos com mudanças na parte gráfica, animações dos desenhos dos Pokémon ao começarem uma batalha e era o único jogo da segunda geração em que havia a possibilidade de conseguir o lendário Celebi.

Para Nintendo 64, houve uma nova versão de Pokémon Stadium, conhecida como Pokémon Stadium 2 no Ocidente, que trazia os 251 Pokémon em 3D e as mesmas mecânicas, além de novos minigames, uma característica marcante da série Stadium. Depois de Stadium 2 houve mais alguns spin-offs da série, como Pokémon Puzzle Challenge, Pokémon Puzzle League, ambos do mesmo gênero de jogos, sendo um para o Game Boy Color e o outro para o Nintendo 64, e ainda foram lançados Pokémon Trading Card Game e Pokémon Trading Card Game 2, jogos que se baseavam no Trading Card Game da série.

Terceira geração (2002–2006)[editar | editar código-fonte]

Em Março de 2003, foram lançados os primeiros jogos da terceira geração, mais conhecida pelos jogadores como geração Advance, já que seus RPGs originais eram feitos para o portátil Game Boy Advance: Pokémon Ruby & Sapphire, que ultrapassaram as 3,1 milhões de unidades vendidas, sendo assim os mais comercializados no Japão em 2002[4] traziam 135 novos Pokémon, mas era impossível transferir Pokémon de gerações anteriores para os jogos, pois o treinamento deles em Pokémon Ruby & Sapphire se baseava em um outro sistema, o de Effort Values (valores de esforço), pontos que, ao serem bem calculados e distribuídos ao Pokémon, deixavam-no mais forte que outros treinados sem esse método. Para conseguir alguns dos Pokémon antigos, Pokémon Ruby & Sapphire conectava-se com outros jogos de terceira geração, principalmente Pokémon Colosseum, um dos jogos do tipo plataforma daquela geração.

Em 2004, Pokémon Red & Green ganharam remakes para o Game Boy Advance e foram lançados como Pokémon FireRed & LeafGreen. FireRed & LeafGreen voltava ao cenário dos primeiros jogos e refazia a jornada deles. Com isso, trazia a possibilidade de obtenção de todos os 150 primeiros e também um aspecto de nostalgia, sendo refeitos quase que exatamente como os primeiros jogos. Os remakes também traziam uma nova área para o mundo Pokémon: as Sevii Islands, onde era possível achar e capturar monstrinhos que eram nativos de Johto, palco dos jogos de segunda geração. Foram os jogos mais vendidos da Nintendo entre 2004 e 2005.

Os jogos do tipo plataforma tiveram uma atenção especial na Geração Advance, tendo dois jogos com modos nunca vistos na série Stadium. Pokémon Colosseum foi lançado em 2004 no Japão, junto com FireRed & LeafGreen, e foi o primeiro jogo de plataforma da série com um modo RPG. Este modo RPG trazia uma nova região, conhecida como Orre, onde um garoto tinha que salvar Pokémon com uma aura maligna corroendo seus corações, denominados Shadow Pokémon (inglês para Pokémon sombrio), e capturá-los de treinadores e membros de uma organização criminosa conhecida como Cipher. Em Colosseum, esse garoto tem que viajar por Hoenn ao lado de uma garota, a única pessoa que pode distinguir Pokémon normais dos Shadow Pokémon. Após capturá-los, ele tem que usá-los em batalhas para diminuir sua "barra de coração" (em inglês, Hearth Gauge) até o fim, possibilitando o Shadow Pokémon tornar-se novamente um Pokémon comum. Pokémon Colosseum foi dado como um grande jogo de Pokémon, embora desaconselhável para jogadores novatos.[5] No ano seguinte, 2005, foi lançado Pokémon XD: Gale of Darkness, continuação direta de Colosseum, onde um novo herói tem que salvar Orre dos Cipher, que voltaram das sombras e se reorganizaram, criando um Shadow Pokémon que não poderia ser purificado, conhecido pelo codinome de XD001. Pokémon XD foi avaliado como uma versão melhorada de Colosseum, mas apresentava as mesmas falhas do antecessor.[6] Ambos os jogos foram lançados para o Nintendo GameCube.

Em 2005, a geração Advance termina com Pokémon Emerald. Emerald era uma versão complementar para Ruby & Sapphire e trazia novos recursos, como o retorno das animações dos Pokémon ao início das batalhas, conceito já usado em Pokémon Crystal, uma nova área repleta de desafios chamada Battle Frontier e também a possibilidade, através de eventos, de capturar Mew sem a necessidade de truques, como em Red, Blue e Yellow. Foi o segundo jogo mais vendido do Japão em 2005.[7]

A terceira geração trouxe mais spin-offs à série, como Pokémon Pinball Ruby & Sapphire, um novo pinball de Pokémon, usando os 202 Pokémon presentes em Ruby & Sapphire e a compatibilidade com o acessório e-Reader, Pokémon Channel, um spin-off que simulava uma estação de televisão comandada por, e feita para, Pokémon, e Pokémon Box Ruby & Sapphire, avaliado mais como um organizador de Pokémon vindos de Ruby & Sapphire, FireRed & LeafGreen e Emerald, com capacidade de armazenamento de até 1.500 monstrinhos em um só cartão de memória.

Spin-offs (2005, 2006)[editar | editar código-fonte]

Entre a terceira e quarta geração de RPGs Originais de Pokémon, spin-offs foram feitos especialmente para o Nintendo DS. O primeiro foi Pokémon Dash em 2005, no qual havia corridas entre os Pokémon em percursos a pé ou de balão usando a Stylus, a caneta do DS. Em 2006, nos Estados Unidos, foram lançados mais três spin-offs. Pokémon Trozei! trazia um puzzle usando Pokémon, em um tabuleiro onde se tentava alinhar quatro monstrinhos iguais para eliminá-los e ganhar pontos. Em um estilo mais cartoon e semelhante ao jogo PaneldePon, Pokémon Trozei! foi dado como divertido por usar a Stylus de um modo dinâmico e inteligente.[8] Depois de Pokémon Trozei!, foi lançado Pokémon Mystery Dungeon (também feito para o Game Boy Advance), onde o jogador é um humano transformado em Pokémon em um mundo composto apenas com eles, onde é necessário salvar a todos da destruição por uma maldição, resgatando Pokémon que precisam de ajuda e desvendando os mistérios que resultaram na transformação do protagonista em Pokémon. Por último, veio Pokémon Ranger, um jogo que introduzia uma nova forma de controlar os Pokémon, obtendo-os apenas por um tempo e soltando-os depois na natureza. Em Pokémon Ranger, o jogador tinha que usar os Pokémon de modo correto para derrotar uma organização maléfica que pretende capturar, aprisionar e usar os Pokémon para destruir as civilizações de todo o mundo. Pokémon Ranger também ganhou uma continuação onde pode-se capturar Darkrai em uma missão especial.

Cada um desses jogos apresentava um ou mais Pokémon de quarta geração: Pokémon Dash apresentou aos jogadores Munchlax, a forma pré-evoluída do Pokémon de primeira geração Snorlax. Pokémon Mystery Dungeon introduziu Bonsly (embora ele já tivesse aparecido em Pokémon XD), Mime Jr., Weavile e Lucario, sendo apenas Lucario um Pokémon completamente novo. E Pokémon Ranger mostrou aos jogadores um dos Pokémon Lendários de quarta geração, conhecido como Manaphy.

Quarta geração (2006–2010)[editar | editar código-fonte]

Em Setembro de 2006, foram lançados no Japão as duas primeiras versões de RPGs originais da quarta geração de Pokémon, feitas para o Nintendo DS. Pokémon Diamond & Pearl introduziram 107 novos Pokémon, totalizando 493, novas funções, como uma mudança na parte dos ataques, divindindo-os em três tipos (Physical, que usa o valor Attack; Special, que usa o valor Special Attack e Other, que utiliza qualquer outro valor), a volta das mudanças de horário entre o dia e a noite, usado pela última vez em Pokémon Gold & Silver, incluindo a possibilidade de conexão online através da Nintendo Wi-Fi Connection, onde os jogadores de qualquer parte do mundo poderiam batalhar e trocar Pokémon com vários outros jogadores do planeta. Também introduziu no Nintendo DS o uso de um fone de ouvido que permitia conversas entre os jogadores que iriam se enfrentar na Nintendo WFC. Pokémon Diamond & Pearl venderam mais de 1,58 milhão de cópias nos quatro primeiros dias no Japão[9] e também foram os jogos mais vendidos do país em todo o ano de 2006.[10] Nos Estados Unidos Pokémon Diamond & Pearl venderam mais de um milhão de cópias na primeira semana de vendas[11] e mais de dez no mundo inteiro.[12]

Em Dezembro de 2006, chegou às lojas do Japão o primeiro jogo de plataforma da série para o console Wii: Pokémon Battle Revolution. Ele estabelece uma conexão com Pokémon Diamond & Pearl, de modo que os Pokémon de Diamond & Pearl podem ser transferidos para Pokémon Battle Revolution. Battle Revolution também traz a possibilidade de usar Pokémon diretamente de Diamond & Pearl para batalhas em 3D com amigos e copiá-los para o jogo para serem usados para a completação de coliseus (Colosseums) em um lugar chamado Pokétopia ou usá-los através de Nintendo Wi-Fi Connection também.

A quarta geração teve apenas dois spin-off já anunciados. É a seqüência direta de Pokémon Mystery Dungeon, chamada Pokémon Mystery Dungeon 2 e também sequência de outro jogo Pokémon Ranger: Shadows of Almia. Também foi anunciado que a série Pokémon ganharia seu primeiro jogo de arcade, denominado Pokémon Battrio. Pokémon Mystery Dungeon 2 será lançado em 13 de Setembro de 2007[13] e Pokémon Battrio está em vários locais do Japão.

Em 2008, foi lançado o terceiro jogo de RPG da quarta geração, Pokémon Platinum, que no seu segundo dia de vendas no Japão, já havia vendido 963 mil unidades. Trazendo uma nova dimensão para Sinnoh, o mundo distorcido (the Distortion World), onde é possível encontrar Giratina.

Em 12 de setembro de 2009 foi colocado à venda no Japão, remakes dos jogos Pokémon Gold & Silver para o Nintendo DS intitulado Pokémon HeartGold & SoulSilver. Assim como Pokémon Yellow, que somente Pikachu andava fora da Poké-bola, qualquer Pokémon que seja o primeiro de sua equipe anda ao seu lado agora. E duas novas áreas para Johto, uma espécie de pokémon Safari e também traz de volta o Battle Frontier. Vem acompanhando também o Pokéwalker.

Quinta geração (2010-2013)[editar | editar código-fonte]

O Pokéwalker, um pedômetro que conta os seus passos e se conecta com o DS.

Em 29 de janeiro de 2010, a Pokémon Company anunciou que o novo jogo Pokémon, que traz os primeiros monstrinhos da quinta geração, estava em desenvolvimento para o Nintendo DS a ser lançado no final daquele mesmo ano. O programa Pokémon Sunday revelará no próximo domingo, dia 11, os primeiros jogos da 5ª Geração, que estão sendo produzidos.

O anúncio da revelaçao foi feito no site da Tv Tokyo, onde foi postado que "Os novos jogos Pokémon XY finalmente serão revelados!".

Os nomes das versões da 5ª geração são: Pokémon Black e Pokémon White! A revelação foi feita pela página oficial dos monstrinhos. Mais detalhes virão no dia 15, mas as informações divulgadas mostram que o lançamento acontecerá no outono japonês. Como esperado, o primeiro grande destaque são os gráficos 3D que estão melhores desenvolvidos em relação às versões anteriores. Em seguida, temos a nova tela de batalha, como mostra a imagem com Zorua e Zoroark, os primeiros monstrinhos da nova geração. O Centro Pokémon recebeu um upgrade e agora possui um balcão de vendas, possivelmente resultado de uma fusão com os Mercado Pokémon. Notem, na mesma imagem, que agora é mostrada uma indicação de qual personagem está falando, como se fosse um balão de histórias em quadrinhos. Temos também os sprites em miniatura dos dois treinadores principais. A garota usa um boné branco e rosa e rabo-de-cavalo, enquanto o garoto possui um boné branco e vermelho com uma roupa azul. Mas informações são esperadas no Pokémon Sunday, que será exibido hoje, e nos próximos dias, na atualização do site oficial. Os iniciais são de Planta Snivy,o de fogo Tepig e o de água o Oshawott. além de outros como os dois lendários Reshiram e Zekrom. E outros como Minccino, Munna , Klink, Pidove, Darmanitan, Blitzle e Sandile. Foram lançados no total 157 novos Pokémons nesta geração.

Pokémon Black 2 e Pokémon White 2 são lançados em 2012 no Japão dando continuação ao enredo de Pokémon Black e Pokémon White após 2 anos.


Sexta geração (2013-presente)[editar | editar código-fonte]

Os novos jogos Pokémon X & Y são anunciados para Outubro de 2013 agora para uma nova plataforma, o Nintendo 3DS com os três novos pokémons iniciais Fennekin (Fogo), Chespin (Grama) e Froakie (Água) e os pokémons lendários Xerneas (Pokémon X) e Yveltal (Pokémon Y) com uma nova experiência de jogo em 3D. Este foi o jogo que mais surpreendeu de toda a franquia com muitas novidades inéditas, a começar pela que mais surpreendeu: As Mega Evoluções,que são versões evoluídas de alguns pokémons. Ela é uma evolução temporária,assim,ela só acontece durante uma batalha se o pokémon segura a sua respectiva Mega Stone (o item que o faz mega evoluir). Já mega evoluídos os pokémons podem ter uma alteração nos Status, nas Habilidades e até no tipo do pokémon! É importante lembrar que só um pokémon pode mega evoluir por batalha! Outra grande novidade foi a adição do tipo Fada que conta com novos pokémons e ate alguns antigos que tiveram este tipo adicionado ou substituído pelo antigo como é o caso de Togekiss que era do tipo Normal/Voador e virou do tipo Fada/Voador! Este tipo foi criado com o intuito de balancear o jogo do lado Competitivo que na geração passada era dominado pelos Dragões já que Fada tem vantagem e imunidade a Dragão.

Lista de jogos[editar | editar código-fonte]

Game Boy e Game Boy Color[editar | editar código-fonte]

Nintendo 64[editar | editar código-fonte]

Game Boy Advance[editar | editar código-fonte]

Nintendo GameCube[editar | editar código-fonte]

Nintendo DS[editar | editar código-fonte]

Wii[editar | editar código-fonte]

Nintendo 3DS[editar | editar código-fonte]

Outros[editar | editar código-fonte]

Líderes de ginásio e da Batalha da Fronteira[editar | editar código-fonte]

Região 1 2 3 4 5 6 7 8
Kanto (Em Pokémon Red e Blue, Pokémon Yellow, Pokémon Green e Pokémon FireRed e LeafGreen ) Brock Misty Tenente Surge Erika Sabrina Koga Blaine Giovanni
Johto (Em Pokémon Gold e Silver, Pokémon Crystal e Pokémon HeartGold e SoulSilver ) Falkner Bugsy Whitney Morty Chuck Jasmine Pryce Clair
Kanto (Em Pokémon Gold e Silver, Pokémon Crystal e Pokémon HeartGold e SoulSilver ) Tenente Surge Sabrina Érica Janine Misty Brock Blaine Blue
Hoenn ( Em Pokémon Ruby e Sapphire) Roxanne Brawly Wattson Flannery Norman Winona Tate & Liza Wallace
Hoenn ( Em Pokémon Emerald) Roxanne Brawly Wattson Flannery Norman Winona Tate & Liza Juan
Battle Frontier ( Em Pokémon Emerald) Anabel Spenser Noland Brandon Tucker Greta Lucy
-
Sinnoh ( Em Pokémon Diamond and Pearl) Roark Gardenia Maylene Crasher Wake Fantina Byron Candice Volkner
Sinnoh ( Em Pokémon Platinum) Roark Gardenia Fantina Maylene Crasher Wake Byron Candice Volkner
Battle Frontier ( Em Pokémon Platinum) Palmer Thorton Dahlia Darach Argenta
-
Unova (Em Pokémon Black and White ) Cilan (começar com Oshawott), Chili (começar com Snivy) ou Cress (começar com Tepig) Lenora Burgh Elesa Clay Skyla Brycen Íris (em Pokémon White) ou Dryaden (em Pokémon Black )
Unova (Em Pokémon Black 2 e White 2 ) Cheren Roxie Burgh Elesa Clay Skyla Dryaden Marlon
Kalos (Em Pokémon X e Y Viola Grant Korrina Ramos Clemont Valerie Olympia Wulfric

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências