Polícia Nacional do Peru

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde agosto de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Polícia Nacional do Peru
Polícia Nacional do Peru - insígnia.jpg
Brasão da Polícia Nacional do Peru
País  Peru
Subordinação Ministério do Interior
Missão Manutenção de ordem pública e polícia judiciária
Criação 1988
Aniversários 6 de dezembro
Patrono Rosa de Lima
Lema Deus, Pátria e Lei
Dios, Patria, Ley

A Polícia Nacional do Peru (Policía Nacional del Perú) é uma força de caráter nacional, criada em 6 de dezembro de 1988, que realiza o ciclo completo da atividade policial, nas modalidades de polícia judiciária, polícia ostensiva e polícia administrativa, de natureza militar.

História[editar | editar código-fonte]

A instituição policial no Peru começou a adquirir identidade e funções próprias no período republicano. Os primeiros corpos de polícia apareceram como parte das Forças Armadas entre 1825 a 1839.

No ano de 1821, José de San Martín, o Libertador, atendendo às necessidades da época cria a Guarda Cívica, com a finalidade de manter a ordem pública.

Ao editar a primeira Constituição do país, San Martín dispondo sobre as Forças Armadas e a Polícia prescreve que as forças armadas de terra são constituídas pelo Exército, a Milícia Cívica e a Guarda de Polícia.

Escola da Guarda Civil e Polícia - 1923

Simón Bolivar Palacios, durante o seu mandato, cria a Guarda Nacional, em 7 de janeiro de 1825, com disciplina militar e pessoal licenciado do Exército.

Em 1827 surge a primeira regulamentação para a polícia dispondo sobre a ação policial em todo o território do país. No governo do General Rufino Benavente foi criada a Gendarmeria em 14 de abril de 1852, unificando todas as forças policiais numa só corporação.

Nova organização de 1872, formou a Força Regular de Polícia, dividida em Guarda Civil e Gendarmeria. Uma missão da Guarda Civil Espanhola foi contratada para promover o aperfeiçoamento das antigas forças de polícia, ocasião em que foi inaugurada a Escola Nacional de Polícia, em 3 de julho de 1922.

Ficheiro:HistoriaBGCP06.jpg
Capitão da Guarda Civil do Peru - 1924

Reconhecendo a importância da investigação policial, o governo, em 15 de setembro de 1948, transforma o Corpo de Investigação e Vigilância em Diretoria de Investigação, Vigilância e Identificação, outorgando autonomia e independência funcional a essa unidade policial.

A partir dessa época, portanto, passam a existir três corpos policiais com missão e funções específicas:

  • Guarda Civil do Peru
  • Polícia de Investigações do Peru
  • Guarda Republicana do Peru

Durante o governo constitucional de Alan Garcia, em 28 de julho de 1985, a constituição reconheceu a missão da polícia de manter a ordem interna.

Um trabalho de integração policial realizado nesse governo propiciou a edição da Lei nº 24.949, de 6 de dezembro de 1988, criando a Polícia Nacional do Peru e dando início a uma nova etapa da história policial peruana, sob o lema “Deus, Pátria e Lei”.

A Constituição peruana de 1993, no seu artigo 166, assim estabelece: "La Policía Nacional tiene por finalidad fundamental garantizar, mantener y restablecer el orden interno. Presta protección y ayuda a las personas y a la comunidad. Garantiza el cumplimiento de las leyes y la seguridad del patrimonio público y del privado. Previene, investiga y combate la delincuencia. Vigila y controla las fronteras."

Organização[editar | editar código-fonte]

A Polícia Nacional do Peru dispõe de uma estrutura organizacional completa para o desempenho da sua missão, assim composta:

Órgãos do Comando[editar | editar código-fonte]

Políciais da Polícia Nacional
Blindado da Polícia Nacional
  • Direção Geral
  • Estado Maior Pessoal
  • Central de Operações Policiais
  • Estado Maior Geral

Órgãos de apoio administrativo[editar | editar código-fonte]

  • Diretoria de Planejamento Estratégico e Orçamento
  • Diretoria de Investigação e Desenvolvimento
cooperação técnica e inovação tecnológica
  • Diretoria de Assessoramento Administrativo
recursos humanos, administração, saúde
  • Diretoria de Assessoramento Operacional
segurança cidadã e ordem pública, polícia especializada, assuntos especiais
  • Diretoria de Direitos Humanos
  • Inspetoria Geral
correcional e assuntos internos
  • Tribunal Administrativo Disciplinar
  • Órgão de Controle Institucional
  • Diretoria Executiva de Desenvolvimento Humano
  • Diretoria de Educação e Doutrina
Academia, Escolas Superiores, Cursos
  • Diretoria de Recursos Humanos
gestão de pessoal
  • Diretoria do Bem Estar
assistência social ao policial
  • Diretoria de Economia e Finanças
  • Diretoria de Logística
abastecimento, transporte, material, armamento, veterinária
  • Secretaria Geral
  • Diretoria de Participação Comunitária e Segurança Cidadã
  • Diretoria de Inteligência
informação e contra-informação
  • Diretoria de Aviação Policial
  • Diretoria de Informação
comunicação social
  • Escritório da Interpol
  • Diretoria de Telemática
telecomunicações e informática
  • Diretoria de Criminalística
perícia criminalística e médico-legal
  • Diretoria de Saúde
hospitais e policlínicas

Órgãos de natureza policial[editar | editar código-fonte]

  • Diretoria Executiva de Operações Policias
  • Diretoria Contra o Terrorismo
  • Diretoria Anti-drogas
  • Diretoria de Segurança do Estado
segurança do estado, poderes e dignitários
  • Diretoria de Operações Especiais
grupos especiais, esquadrão anti-bomba, contra-terrorismo
  • Diretoria de Segurança dos Serviços Essenciais
recursos hídricos, telecomunicações, energia
  • Diretoria de Detecção de Minas
  • Diretoria de Investigação Criminal e apoio ao judiciário
homicídios, seqüestros, roubos, defraudações, pessoas desaparecidas, capturas, crimes de alta tecnologia, crimes financeiros,
Departamentos de Investigações Criminais Distritais em número de 32
  • Diretoria Contra a Corrupção
  • Diretoria de Polícia Fiscal
crimes aduaneiros, contra os direitos intelectuais, contra a administração pública e patrimônio cultural, contra a ordem econômica, contra a concorrência desleal.
  • Diretoria de Turismo e Ecologia
  • Diretoria de Segurança Aeroportuária
  • Diretoria de Defesa Nacional e Controle das Fronteiras
  • Diretoria de Segurança das Estradas de Rodagem
  • Diretorias Territoriais de Polícia em número de XIV
Comissariados e demais Divisões especializadas

Herói nacional[editar | editar código-fonte]

O Capitão PNP Alipio Ponce Vasquez, nascido em 1906, no distrito de San Lorenzo, iniciou-se na polícia como guarda, ascendendo a sargento, quando ingressou na escola de oficiais para formar-se alferes em 1937.

Participando das hostilidades contra o Equador, em 1941, após uma atuação corajosa, acabou sendo ferido mortalmente na Quebrada de Porotillo, em 11 de setembro daquele ano.

Em reconhecimento à sua heroica ação, o Congresso da República o declarou herói nacional pela Lei nº 24.658 de 24 de abril de 1987.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]