Polícia de Investigações do Chile

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Polícia de Investigações do Chile
Visão geral
Nome completo Policía de Investigaciones de Chile
Sigla PDI
Fundação 1933 (81 anos)
Tipo Polícia judiciária
Subordinação Governo da República do Chile
Direção superior Ministério da Segurança Pública
Chefe Diretor Geral
Estrutura jurídica
Legislação Art. 101, da Constituição da República do Chile
Estrutura operacional
Sede Santiago do Chile Chile
Força de elite ERTA - Equipo de Reacción Táctico Antinarcóticos
Nº de empregados 5.379 policiais, aproximadamente
Website http://www.investigaciones.cl
Portal da polícia
editar

A Polícia de Investigações do Chile – PDI (em espanhol: Policía de Investigaciones de Chile) é a polícia de estatuto civil, judiciária e técnico-científica, subordinada ao Ministério da Segurança Pública, criada em 1933. É uma das instituições de segurança pública do país e o seu principal órgão de investigação.[1]

A sua missão principal consiste em desenvolver investigações policiais para elucidar os delitos, contribuindo para a manutenção da tranquilidade pública, para a prevenção criminal e de atos atentatórios aos poderes do estado e às suas instituições fundamentais. Compete-lhe, ainda, controlar o fluxo migratório de pessoas nas fronteiras, portos e aeroportos, fiscalizar a permanência de estrangeiros no Chile e representar a nação na Interpol.

Seus policiais são chamados genericamente de detetives, não usam uniformes e são identificados pelo distintivo policial e por um colete quando em diligências ostensivas. Os principais cargos operacionais são os de “Oficiales Policiales” e “Assistentes Policiales”.

O seu trabalho emprega métodos científicos derivados da criminologia, criminalística, medicina forense, psicologia criminal e inteligência policial. A principal diretiva para o trabalho da PDI é “investigar para prender”. Com o fim de obter a verdade criminal, prioriza-se a união da moderna metodologia investigativa com o uso dos recursos oferecidos pela ciência e tecnologia.

É considerado o órgão da nação com maior credibilidade em matéria de investigações policiais.[2]

Estrutura[editar | editar código-fonte]

O artígo 2º, do Decreto-Lei n. 2.460, de 1979[3] estruturou a Policía de Investigacões do Chile com a seguintes divisões:

  • Direção Geral
  • Subdireção Operacional
  • Subdireção Administrativa
  • Inspetoría Geral
  • Chefaturas
  • Prefeituras
  • Escritório Central Nacional - INTERPOL
  • Brigadas de Investigação Criminal e Brigadas Especializadas

Unidades especializadas de investigação[editar | editar código-fonte]

Policia de Investigaciones de Chile.svg
  • Brigadas
    • Brigadas de Investigação Criminal (BICRIM)
  • Brigadas Especializadas
    • Brigada Antinarcóticos (BRIANT)
    • Departamento de Estrangeiros e Polícia Internacional
    • Brigada Investigadora de Roubos (BIRO)
    • Brigada de Homicídios (BH)
    • Brigada de Crimes Sexuais e Menores (BRISEXME)
    • Brigada Investigadora de Assuntos Especiais (BRIAES)
    • Brigada Investigadora do Crime Organizado (BRICO)
    • Brigada de Investigações Policiais Especiais (BIPE)
    • Brigada Investigadora de Delitos do Meio Ambiente e Patrimônio Cultural (BIDEMA)
    • Brigada Investigadora de Delitos Econômicos (BRIDEC)
    • Brigada Investigadora de Lavagem de Dinheiro (BRILAC)
    • Brigada Investigadora de Crimes Virtuais (BRICIB)
    • Brigada Investigadora de Delitos Portuários (BRIDERPO)
    • Brigada Investigadora de Delitos contra a Propriedade Intelectual (BRIDEPI)
    • Brigada Aeropolicial (BAP)
  • Outras unidades
    • Laboratório de Criminalística (LACRIM)
    • Assessoria Técnica (ASETEC)
    • Central de Investigações Policiais (CIPOL)
    • Oficina Central Nacional Interpol (OCN INTERPOL)
    • Escola de Investigações Policiais (ESCIPOL)
    • Instituto de Criminologia (INSCRIM)

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]