Poltergeist

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Capa da revista francesa "La Vie Mysterieuse", sobre o caso Therese Selles (1911)
Portal A Wikipédia possui o
Portal do Ocultismo

Poltergeist (do alemão poltern, que significa ruído, e geist, que significa espírito), também chamado na parapsicologia de Psicocinesia Recorrente Expontânea (em inglês: Recurrent Spontaneous Psychokinesis: RSPK), é um tipo de evento sobrenatural que se manifesta em um ambiente no qual existem ocorrências físicas, tais quais, chuva de pedras, movimentação, aparecimento e desaparecimento de objetos, sons, pirogenia, luzes, entre outras. Pode envolver até ataques físicos1 . Essas manifestações já foram registradas em muitas culturas e países, incluindo o Brasil, Austrália, Estados Unidos, Japão e a maioria das nações europeias2 . Os primeiros casos registrados datam do século I.

O fenômeno[editar | editar código-fonte]

O termo poltergeist, do idioma alemão, é traduzido como espírito brincalhão (polter = barulhento, brincalhão, desordeiro; geist = espírito). São conhecidos como poltergeist os fenômenos sobrenaturais, não explicados pela ciência, tais como lançamento de pedras, luzes que surgem do nada, deslocamento de objetos leves ou pesados, surgimento espontâneo de água, fogo, ou focos de luz, anormalidade nas instalações elétricas e telefônicas, abertura de portas, pancadas em lugares diversos, clarão ofuscante, estouro de lâmpadas, ruídos de passos ou correria, vozes, música, brinquedos que funcionam mesmo sem as baterias ou pilhas, correntes de ar, entre outros.

Acredita-se que o foco dessa perturbação seja oriundo de uma criança na fase da puberdade, em geral do sexo feminino, ou mesmo um adulto dotado de poderes paranormais. O evento caracteriza-se por estar relacionado a um indivíduo presente em um ambiente e pode ser de curta a longa duração. Difere sutilmente da chamada assombração, que pode se estender por anos e está sempre associada a uma área, geralmente uma casa contendo histórico de mortes violentas3 .

A parapsicologia define esses fenômenos como uma faculdade extra-sensorial na qual a mente atua diretamente sobre a matéria, através de meios invisíveis, sem contato físico. O termo psicocinesia é derivado das palavras gregas psyché (alma) e kinein (mover).

De acordo com a literatura espírita, o fenômeno poltergeist decorre de espíritos em perturbação, os quais em comunhão com uma pessoa sensível, atuam por vezes de forma agressiva, ao fazer com que objetos como pedras, por exemplo, voem pelos ares atingindo outros objetos e pessoas. Para a ocorrência da manifestação é obrigatória a presença de um médium de efeitos físicos, ainda que completamente alheio à sua faculdade4 .

Alguns casos se notabilizaram e foram estudados pela parapsicologia. Posteriormente foram adaptados aos livros como o da família Lutz que, em 1976, foi atormentada por entidades inferiores durante os 27 dias que viveram em uma casa no bairro de Amityville, em Nova York, nos Estados Unidos. A história passaria em seguida às telas de cinema com o nome de Horror em Amityville, de 19795 .

Notoriedade no cinema[editar | editar código-fonte]

O fenômeno se tornou mundialmente famoso após o sucesso do filme Poltergeist - O Fenômeno, dirigido por Tobe Hooper e produzido por Steven Spielberg, em 1982, o qual contou com uma sequência.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Fontes[editar | editar código-fonte]

  • ALVARADO, C.S. Avaliações psicológicas de sujeitos poltergeist. Revista Brasileira de Parapsicologia nº 2, pp. 32-36, São Paulo, SP, 1993.
  • ANDRADE, Hernani G. Poltergeist e algumas de suas ocorrências no Brasil. São Paulo: Pensamento. 1989.
  • ____________. Poltergeist research and conceptualization in the United States: A review of old and recent developments. Psychical Research Foundation, Ed. Theta 1, nº 1, pp. 9-16, Spring, 1983.
  • BAYLESS, R. The enigma of the poltergeist. Park Publishing Company, Inc. West Nyack, New York, 1967.
  • BENDER, H. New Developments in Poltergeist Research. Proceedings of the PA, 1969, 6, 81-102.
  • __________. A pesquisa moderna do "poltergeist- A necessidade de uma abordagem sem preconceito. In Parapsicologia Hoje - Organizador: John Beloff. Editora Arte Nova, Rio de Janeiro, 1976.
  • CARRINGTON, H. Physical and psychophysiological researches in mediumship. In C. Vett (Ed.), Le Compte Rendu Officiel du Premier Congres International des Recherches Psychiques a Copenhague, Copenhagen, 1922.
  • FLAMMARION, C. As casas mal-assombradas. Federação Espírita Brasileira, Rio de Janeiro, RJ, 1980 (publicado originalmente em francês em 1968).
  • FODOR, N. On the Trail of the Poltergeist. New York: Citadel Press, 1958.
  • GAULD, A. & CORNELL. A.D. Poltergeist. London: Routledge & Keagan Paul, 1979.
  • HYSLOP, J.H. Poltergeist Phenomena and Dissociation. JASPR, 1913, 7, 1-56.
  • MACHADO, F.R. Um fantasma em minha casa? Uma Introdução aos fenômenos de poltergeist ou RSPK. Revista Brasileira de Parapsicologia, São Paulo, Brasil, 1994, nº 4.
  • TINOCO, Carlos Alberto. Poltergeist, Psicocinesia Recorrente Espontânea. Editora Ibrasa, 1989.

Referências

  1. Sinais de atividade poltergeist
  2. 日本史怖くて不思議な出来事, PHP研究所, 2006, ISBN 4-569-65703-6, pág.156-158.
  3. A Psicologia do Poltergeist
  4. Allan Kardec, Le Livre des Esprits. (2000). chapter 106, Jean de Bonnot. p.46.
  5. La verdad sobre Amytiville