Polyus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes (desde junho de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Polyus

Polyus - (em russo: Полюс, em português Pólo) - foi o protótipo de uma plataforma de armas espaciais da União Soviética. Era uma nave (ou estação espacial) capaz de defender-se de armas anti-satélite com um canhão laser. Era também conhecido como: Polus, Skif-DM ou 17F19DM.

História[editar | editar código-fonte]

Esta arma que foi a principal resposta soviética ao programa americano de armas espaciais guerra nas estrelas do governo de Ronald Reagan, falhou em ser posta em órbita, mas pode ter sido uma resposta decisiva a guerra fria.

Um artigo do chefe do grupo de projeto das Salyut, Yuri Kornilov, descreve a estação: contava com minas nucleares, um canhão laser, camuflagem Stealth para evitar sua detecção e era pintado de negro. A estação media 37 metros de comprimento por 4.1 metros de diâmetro e pesava cerca de 80 toneladas.

Polyus acoplado ao foguete Energia.

O protótipo foi lançado em 15 de Maio de 1987, pelo foguete Energia e foi o primeiro lançamento deste foguete com carga lateral.

Oficialmente a nave sofreu de um erro e caiu. Ao desconectar-se do Energia, o Polyus fez um giro em 360º em vez de 180º, e ao acionar seus motores falhou e caiu no Oceano Pacífico. Entretanto, analistas defendem que a nave foi lançada no Mar pela parcela da alta cúpula soviética que era partidária do fim da Guerra Fria, que defendia o fim da corrida armamentista e o distensionamento com os Estados Unidos. Em 1988 foram assinados uma série de acordos que colocaram fim à Guerra Fria.

Partes deste projeto foram reutilizadas em alguns módulos da estação MIR, assim como o módulo Zarya da Estação Espacial Internacional.

Segundo declarações de Yuri Kornilov, quando o então dirigente soviético, Mikhail Gorbachev chegou ao cosmódromo de Baikonur para assistir ao lançamento do Polyus, preocupou-se com a reação do ocidente com a iniciativa soviética de militarizar o espaço e proibiu o teste em órbita das capacidades da estação.

Características[editar | editar código-fonte]

  • Comprimento: 37m
  • Diâmetro: 4.10m
  • Massa: 80.000 kg
  • Propulsor: Energia
  • Órbita proposta: 280 Km com inclinação de 64º.

Armas defensivas[editar | editar código-fonte]

  • Radar e sistema de localização por vídeo para guiar as armas antisatélite.
  • Gerador de nuvens de bário, para confundir as armas ASAT.
  • Pintura negra para camuflagem, provável capacidade Stealth.
  • Possível comunicação com link laser, permitindo silêncio total do rádio.

Armas ofensivas[editar | editar código-fonte]

  • Minas nucleares.
  • Canhão laser.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • O filme Cowboys do Espaço de 2000, mostra uma plataforma espacial defeituosa com armas nucleares semelhante ao Polyus.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]