Ponte Alta do Bom Jesus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Ponte Alta do Bom Jesus
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Fundação 14 de novembro de 1960
Gentílico pontealtense
Prefeito(a) José Luciano
(2013–2016)
Localização
Localização de Ponte Alta do Bom Jesus
Localização de Ponte Alta do Bom Jesus no Tocantins
Ponte Alta do Bom Jesus está localizado em: Brasil
Ponte Alta do Bom Jesus
Localização de Ponte Alta do Bom Jesus no Brasil
12° 05' 27" S 46° 28' 44" O12° 05' 27" S 46° 28' 44" O
Unidade federativa  Tocantins
Mesorregião Oriental do Tocantins IBGE/2008 [1]
Microrregião Dianópolis IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Novo Jardim (N), Barreiras (BA) e Luís Eduardo Magalhães (BA) (L), Taguatinga (S), Dianópolis e Taipas do Tocantins (O)
Distância até a capital 405 km
Características geográficas
Área 1 806,132 km² [2]
População 4 548 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 2,52 hab./km²
Altitude 512 m
Clima Tropical úmido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,616 médio PNUD/2000 [4]
PIB R$ 24 163,062 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 5 185,21 IBGE/2008[5]
Página oficial

Ponte Alta do Bom Jesus é um município brasileiro do estado do Tocantins. Localiza-se a uma latitude 12º05'27" sul e a uma longitude 46º28'45" oeste, estando a uma altitude de 512 metros. Sua população estimada em 2009 era de 6 664 habitantes. Possui uma área de 1813,22 km².

História[editar | editar código-fonte]

A origem do município data de meado do século XIX, quando Moises Carlos de França e seu vaqueiro Joaquim Lourenço instalaram-se no local. O povoado permaneceu por muito tempo no isolamento à margem do desenvolvimento, sendo elevado a condição de Distrito somente um século depois de sua instalação, quando em 1951, através da Lei nº. 05, de 20 de junho, foi denominado Distrito de Ponte Alta do Bom Jesus, pertencendo ao município de Taguatinga. Através da Lei 2,134 de 14 de novembro de 1958, o governo de Goiás elevou o Distrito à categoria de município. A exploração de ouro na região e o comercio de gado fortaleceram a economia do município que servia de ponto de passagem das caravanas que por ali passavam. Berço de famílias tradicionais da região sudeste, Ponte alta do Bom Jesus sempre foi muito visitada no período dos festejos de Bom Jesus dos Aflitos, padroeiro da cidade quando inúmeros romeiros e comerciantes se instalam na praça centra da cidade, cujo ponto alto da festa é no dia 02 de julho. Elemento de lista numerada Outros fatos que merece destaque é a comemoração da festa do lavrador que é festejada no dia 1º de maio, onde ocorre inúmeras programações sociais e esportivas. E em 14 de Novembro que é o aniversário da cidade.


Turismo[editar | editar código-fonte]

No centro da cidade as praças Waldemar Carlos de França e Praça da Matriz, quadra esportiva e um campo de futebol de areia,local que se concentra as Barracas da Festa do Padroeiro. Balneário Clube do Povo que se torna a maior opção de lazer, onde se realiza diversos eventos e shows, contendo parque infantil, área coberta com bar, quiosques com churrasqueiras e pias, campo de futebol de areia e vôlei. Estádio Verdão da Serra Geral. Vista de toda a Cidade para a Serra Geral.

Clima[editar | editar código-fonte]

Clima O clima predominante é o sub-umido seco e com moderada deficiência hídrica no inverno, a evapotranspiração potencial media anual (quantidade de água evaporada) é de 1,300 mm distribuindo-se no verão em torno de 360 mm a 420 mm ao longo dos três meses consecutivos com temperatura mais elevada. A distribuição sazonal das precipitações pluviais está bem caracterizada com dois períodos distintos: uma estação chuvosa entre os meses de outubro e abril e uma estação seca nos meses de maio a setembro. A precipitação media anual varia de 1,600 a 1,900 mm no extremo leste e 1,400 a 1,600 mm no extremo oeste. A temperatura media anual gira em torno de 26º C no extremo leste e oscila entre 26 e 27º C no extremo oeste.

Relevo[editar | editar código-fonte]

O relevo do município é bem diversificado com a ocorrência de áreas planas, inclinadas a fortemente inclinadas. A surpeficie apresenta em seu aspectos físico características de modo geral regular, tendo como principal acidente geográfico a Serra Geral, divisor natural dos Estados do Tocantins e da Bahia. Ponte Alta do Bom Jesus pertence à bacia hidrográfica do rio Tocantins e está inserida na sub-bacia do rio Palma. Os principais afluentes do rio Palma no município são os rios Palmeiras, Ponte alta, Ribeirão Bonito, rio Salto, córrego Santa Rosa e Lagoa Grande.

Vegetação[editar | editar código-fonte]

A cobertura vegetal é caracterizada por áreas de cerrados, cobertas por veredas e campos limpos que caracterizam a região dos Gerais e por floresta estacional semidecidual. Os cerrados são constituídos por arvores de pequenos porte, troncos retorcidos e inclinados, folhas grandes e ásperas, com raízes longas que permitem buscar água em profundidades no período seco. São constituídos ainda por arbusto e gramíneas.

Economia[editar | editar código-fonte]

Sua principais fontes de Economia: agropecuária, turismo e geração de energia elétrica. A Economia se limita basicamente na aptidão agrícola que está basicamente voltada para pastagem natural, áreas para pecuária intensiva ou cultura de ciclo curto e longo exigindo modesta aplicação de capital para fazer aplicação de fertilizantes para melhorar a produção das lavouras. Há outras áreas inaptas ao cultivo, servindo apenas como preservação, abrigo para os animais e conservação da flora. Principais Produtos Cultivados: arroz, feijão. Milho, cana-de-açúcar e mandioca.

Educação[editar | editar código-fonte]

O município conta com três escolas estaduais e dezenove municipais sendo que destas uma é de Educação Infantil e dezoito, de Ensino Fundamental. As escolas municipais contam hoje com um quantitativo de 435 alunos, distribuídos na Educação Infantil e Ensino Fundamental até o 9º ano. Já as escolas estaduais atendem a um universo em torno de 1.100 alunos, dos quais 190 estão no Ensino Médio, e o restante, no Ensino Fundamental. O relacionamento professor/aluno e escola/comunidade são considerados satisfatórios. Tal fenômeno se caracteriza de forma mais acentuada nos municípios do interior em virtude das relações familiares e da importância social do papel da escola na comunidade. A implantação dos PCNs e dos PDEs trouxe melhorias para a educação do município, entretanto, a participação das Associações de Apoio às escolas não é muito efetiva. A escola Municipal Pequizeiro, alvo da implementação do Projeto Educação Sem Fronteiras do Colégio Barão do Rio Branco, em Sobradinho - DF, conta com 14 alunos matriculados e freqüentes, de 1ª a 4ª series, uma professora e uma merendeira. A referida escola fundada na segunda metade do século XX serviu como referencia educacional para o município, sendo que os alunos que de lá se transferiam para a zona urbana sempre ocuparam os primeiros lugares, sendo bem preparados pelo então professor Alípio Magalhães Oliveira educador nato que dedicou toda a sua vida em prol desta escola prestando relevantes serviços até a aposentadoria. A escola é dirigida atualmente pela professora Rosa de Lima Pereira Ramos que com dedicação e empenho procura manter um padrão de qualidade na educação oferecida.

Turismo[editar | editar código-fonte]

A Área de Lazer mais procurada por visitantes é o balneário Clube do Povo que se torna a maior opção de lazer da comunidade, que dispõe de quiosques e churrasqueiras, tendo uma área coberta e bar, quadra de vôlei e futebol de área, e amplo estacionamento. O Estádio Verdão da Serra Geral fica localizado no Setor Aeroporto, e sediará partidas estaduais e municipais. No centro da cidade, duas praças Praça da Matriz e a Praça Waldemar Carlos de França com quadra esportiva, campo de futebol de areia. Neste local é realizado no final do mês de junho e inicio de julho a Festa do Padroeiro da cidade.

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.