Ponte de Santa Clara

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou secção:
Ponte de Santa Clara
Ponte de Santa Clara
Nome oficial Ponte de Santa Clara
Arquitetura e construção
Design Engenheiro Edgar Cardoso
Mantida por Estradas de Portugal EP
Início da construção 5 de abril de 1951
Data de abertura 30 de outubro de 1954
Tráfego Rodoviário
Geografia
Cruza Rio Mondego
Localização Coimbra
Coordenadas 40° 33' 33.6" N 8° 25' 30" O

A Ponte de Santa Clara, é uma ponte rodoviária sobre o rio Mondego, no centro da cidade de Coimbra em frente do Largo da Portagem, o centro da cidade. Foi iniciada a construção em 1951 e foi inaugurada em 30 de Outubro de 1954, pelo então Presidente do Conselho António de Oliveira Salazar. Teve um custo total de 15 000 contos (75 000 euros).

A sua construção permitiu a substituição da antiga ponte de ferro que começou a ser construída em 1873 sendo aberta ao público em 1875, e que, por sua vez substituíra a antiga ponte de pedra datada de 1513. Permitiu a continuação da ligação entre Santa Clara e o centro da cidade (Largo da Portagem) e a restante Baixa de Coimbra.

É uma ponte que tem por base um projeto dos engenheiros Edgar Cardoso e António Franco e Abreu, os mesmo das pontes de São João e da Arrábida, no Porto, entre muitas outras. O custo não sofreu qualquer derrapagem devido as obras a mais.

Foi em 30 de Outubro de 1954 que se inaugurava a nova ponte de Coimbra, a Ponte de Santa Clara. Aubstituiu a de ferro que existia a jusante da atual ponte e da que foi referida anteriormente. Apresentava quatro faixas de rodagem e iluminação. Aquando da inauguração, salientava-se a existência de candeeiros a gás, bem como um triângulo, em parte relvado, no acesso do Largo da Portagem.

A nova Ponte de Santa Clara, muito maior que as anteriores, respondia assim ao crescente aumento do tráfego rodoviário Norte-Sul, tráfego que, à época, atravessava a cidade, escoando-se pelas avenidas Emídio Navarro e Fernão de Magalhães.