Pontifícia Universidade Santo Tomás de Aquino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Fachada da capela dos Santos Domingos e Sixto na Universidade

A Pontifícia Universidade de Estudos São Tomás de Aquino em Roma é um instituto universitário de estudos eclesiásticos dirigido pelos dominicanos. A universidade é conhecida também como Angelicum.

Histórico[editar | editar código-fonte]

O Angelicum tem suas raízes no Studium medieval fundado em Roma no convento de Santa Sabina pela ordem Ordem Dominicana em 1222: "Conventus S. Sabinae de Urbe prae ceteris gloriam singularem ex praesentia fundatoris ordinis et primitivorum fratrum necnon ex residentia Romana magistrorum generalium, si de ea sermo esse potest, habet. In documentis quidem eius nonnisi anno 1222 nomen fit, ait certe iam antea nostris concreditus est. Florebant ibi etiam studia sacra". O studium floresceu nos seguintes séculos. [1]

Em 1265, seguindo a injunção do capítulo de Agnani, o studium foi conduzido perto Santo Tomas de Aquinas: “Fr. Thome de Aquino iniungimus in remissionem peccatorum quod teneat studium Rome, et volumus quod fratribus qui stant secum ad studendum provideatur in necessariis vestimentis a conventibus de quorum predicatione traxerunt originem. Si autem illi studentes inventi fuerint negligentes in studio, damus potestatem fr. Thome quod ad conventus suos possit eos remittere”[2]

Nesta fundação um colégio italo-espanhol, o "Colégio de Santo Tomás", foi estabelecido em 1577 junto próximo ao Convento della Minerva em Roma para sustentar as ações dos missionários no novo mundo. Ela apoiou os trabalhos de Bartolomé de Las Casas e Vitória que estabeleceram as bases do direito internacional moderno.

Em 27 de maio de 1727 Bento XIII concede à instituição o direito de conferir o grau acadêmico e teologia aos estudantes externos.

Foi elevada ao nível de Universidade pelo Papa João XXIII através do Motu proprio Dominicianus Ordo de 7 de março de 1963.

Deve-se principalmente ao Papa Leão XIII o seu desenvolvimento, ele que fez da doutrina de Santo Tomás de Aquino a base da renovação da Igreja e o fundamento da formação do clero através da encíclica Aeterni Patris em 1878. A Faculdade de Filosofia foi fundada em 1822, seguida da Faculdade de Direito Canônico em 1896.

Organização[editar | editar código-fonte]

A Angelicum é composta por quatro faculdades (teologia, filosofia, direito canônico e ciências sociais), e por dois institutos ("Mater Ecclesiae", instituto de ciências religiosas destinado à formação de catequistas e de professores de religião e o Instituto Santo Tomás, consagrado ao estudo dos textos deste doutor da Igreja).

A biblioteca possui 200 milhares de volumes. Treze centros de formação em teologia e filosofia espalhados nos cinco continentes são ligados à universidade. Ela possui 1600 alunos, a sua maioria clérigos.

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Compendium Historiae Ordinis Praedicatorum, A.M. Walz, 214. http://www.archive.org/stream/MN5081ucmf_3/MN5081ucmf_3_djvu.txt Accessed 4-9-2011 Accessed 4-9-2011
  2. Corpus Thomisticum, Acta Capitulorum Provincialium, Provinciae Romanae Ordinis Praedicatorum Anagnie MCCLXV: “Fr. Thome de Aquino iniungimus in remissionem peccatorum quod teneat studium Rome, et volumus quod fratribus qui stant secum ad studendum provideatur in necessariis vestimentis a conventibus de quorum predicatione traxerunt originem. Si autem illi studentes inventi fuerint negligentes in studio, damus potestatem fr. Thome quod ad conventus suos possit eos remittere”. http://www.corpusthomisticum.org/a65.html Accessed 4-8-2011

Ligações externas[editar | editar código-fonte]