Porsche 64

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Porsche 114)
Ir para: navegação, pesquisa


60K10
Porsche 64
Visão Geral
Nomes
alternativos
Aerocoupe
Type 64
Type 114
Produção 1939
(três unidades)
Fabricante Porsche
Volkswagen
Modelo
Classe Carro esporte
Carroceria Coupé 2 portas, dois lugares
Designer Erwin Komenda
Ficha técnica
Motor 4 cilindros opostos dois a dois (boxer), refrigeração a ar, 985cc
Transmissão 4 marchas a frente, 1 a ré
Layout Motor entre-eixos traseiro
Tração traseira
Modelos relacionados Volkswagen Fusca
Dimensões
Entre-eixos 2400
Peso 544
Cronologia
Último
Último
Volkswagen Fusca
Porsche 356/1
Próximo
Próximo


O Porsche 64, também conhecido como VW Aerocoupe, Type 64 e Type 60K10, é considerado por muitos como o primeiro automóvel da Porsche. O modelo tira seu nome do fato de ter sido construído principalmente com peças do Porsche Type 60 Volkswagen Fusca. Seu motor boxer produzia 50 cv e tinha velocidade máxima de 153 km/h.

História[editar | editar código-fonte]

Durante o desenvolvimento do Fusca, Ferdinand Porsche apresentou aos responsáveis pela Volkswagen uma proposta de carro esportivo, o Typ 64. Originalmente seria construído sobre a plataforma do Fusca, com o mesmo motor, porém aumentado para 1,5 L, chegando a no mínimo 160 km/h, e carroceria muito mais aerodinâmica. Entretanto, sob alegações de que o projeto não estaria de acordo com a imagem de austeridade pretendida pelo governo nazista, a proposta de Porsche foi recusada.

Typ 114[editar | editar código-fonte]

Porsche então resolveu aproveitar a oportunidade para realizar um antigo sonho, construir a sua própria fábrica de automóveis, um sonho que ele alimentava desde antes de entrar para a Mercedes-Benz. Logo, ele e seu filho, Ferry Porsche, iniciaram os trabalhos necessários para adaptar a produção do projeto original para a realidade de uma firma independente.

Seu plano incluía a compra de um suprimento de partes originais Volkswagen para uso nos carros, mas devido a entraves burocráticos que impediam que uma firma pública vendesse peças para uma firma particular, Porsche precisou reprojetar tudo, desde o motor até a suspensão. O projeto foi então renomeado Type 114, ou F-Wagen (um trocadilho com os P-Wagen da Auto-Union e Ferdinand).

Muito diferente da idéia original para o modelo 64, o carro apresentaria um motor V10 de 1.493 cc(novidade na época), com cilindros em ângulo de 72°, refrigerado à água, posicionado entre os passageiros e o eixo traseiro, e com radiador na frente. A suspensão seria independente na frente e por semi eixos na traseira, com freios à tambor nas quatro rodas. A carroceria de alumínio, projetada com o auxílio de túneis de vento, sofreria algumas modificações, mas continuaria semelhante à do Volkswagen da época.

As esperanças dos Porsche de produzir este carro infelizmente não levaram o projeto além de um modelo em escala e desenhos incompletos do projeto - as tensões internacionais e as crises econômicas impediriam a fundação do que viria a ser a Porsche naquela época. A suspensão traseira projetada para o carro, entretanto, acabou vendida para a Volkswagen.

Typ 64[editar | editar código-fonte]

Porém, surpreendentemente, a guerra não estava esfriando o ânimo dos alemães para as corridas. Os responsáveis pela programação agendaram para 1939 uma corrida entre Berlin e Roma. Vendo nisto uma oportunidade de promover a superioridade da engenharia alemã e a Volkswagen ao mesmo tempo, o responsável pela organização, Major Hühnlein, que era próximo a Hitler, voltou sua atenção novamente para o Professos Porsche. Valendo-se de todo o trabalho que já havia feito no projeto do 114, Porsche argumentava que, embora o projeto original do Fusca fosse o de um carro econômico (e lento), um carro esporte muito eficiente poderia ser construído em sua plataforma.

VW Typ 60K10

Logo o projeto recebeu sinal verde. Entretanto, ao contrário do desejo original de seu criador, apenas três unidades seriam produzidas especialmente para o evento, em uma estratégia de relações públicas. Feitos à mão, as carrocerias em alumínio foram construídas pela fábrica de carrocerias Reutter (que mais tarde se tornaria conhecida como Recaro). Utilizavam a plataforma original do Fusca, com as mesmas medidas e a mesma suspensão. O motor de 985 cc, entretanto, por meio da dupla carburação, válvulas maiores e taxa de compressão maior, passaria a desenvolver 50 cavalos. O produto final, semelhante ao Fusca mas evidentemente muito mais esportivo, chegava a mais de 150 km/h, pesando apenas 540 kg. Seu nome oficial, 60K10, refletia o fato de que era baseado no modelo 60, com o 10° estudo de carroceria (Karrocerie em alemão).

Embora os carros tenham ficado prontos a tempo, a corrida acabou não acontecendo. Os carros então foram distribuídos entre o pessoal da fábrica e do governo. Um deles, de posse do burocrata da Kraft durch Freude (Volkswagen) Bodo Lafferentz, acabou batido e seus restos aparentemente não sobreviveram à guerra. Os dois restantes foram deixados a cargo da família Porsche. Eles acabaram utilizando apenas um, e puseram o outro na garagem. Em maio de 1945, tropas americanas descobriram o que foi posto na garagem, cortaram o teto e o utilizaram como carro de passeio, até o motor estourar, semanas depois - indo parar no ferro-velho. O último remanescente ficou com Ferry Porsche, que o restaurou na Pininfarina em 1947. Em 1949 ele foi vendido para o motocilcista austríaco Otto Matte, que venceu com ele o Rally Alpino em 1950. A última vez que ele o dirigiu foi na Monterey Historic Races em Monterey, Califórnia, 1982.

Legado[editar | editar código-fonte]

Embora o projeto 114/Typ 64 nunca tenha entrado em produção, seu legado está presente nos Porsches atuais. Depois da segunda guerra, Ferry Porsche começou a construir seus famosos carros baseados no Fusca, e eventualmente começou a produzir os 356, em conceito idêntico ao Type 64. Embora o 114 tenha sido só um projeto, e o 60K10 apenas uma série de protótipos, os estudos e soluções relacionados ao projeto tiveram um grande impacto no futuro da Porsche, ajudando-a a se tornar a força no mundo automotivo que é hoje.

Veja também[editar | editar código-fonte]

Links[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]