Porsche GT3 Cup Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Porsche GT3 Cup[editar | editar código-fonte]

Competição automobilística que utiliza apenas Porsches GT3 preparados para as pistas. Diferencia-se de outras competições da marca ao redor do mundo por ser inteiramente organizada por uma única empresa.

História[editar | editar código-fonte]

O primeiro campeonato monomarca da Porsche foi disputado na Alemanha, em 1986. O sucesso motivou a Porsche a criar em 1993 uma competição de nível internacional, denominada Porsche Supercup, cujas corridas são todas disputadas como preliminares de GPs de Fórmula 1, em especial na Europa e nos Estados Unidos.

Vários países passaram a ter suas Carrera Cup ou GT3 Cup nacionais – o nome oficial varia de acordo com conveniências locais. Em 2005, o Brasil passou a ter seu campeonato, denominado Porsche GT3 Cup Challenge Brasil. O sucesso pode ser mensurado pelo número de participantes: em apenas um ano, o número de carros inscritos cresceu 11 para 24. Além disso, o Porsche GT3 Cup Challenge Brasil é uma das categorias preliminares do Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1.

Organização[editar | editar código-fonte]

O ano de 2005 marcou a estréia do Porsche GT3 Cup Challenge Brasil, o primeiro campeonato monomarca da Porsche na América do Sul. Disputado exclusivamente pelos modelos 911 GT3 Cup, ele segue a mesma fórmula de sucesso do Porsche Supercup (que realiza todas suas corridas como preliminares dos Grandes Prêmios de Fórmula 1 disputados na Europa e Estados Unidos) e dos Carrera Cup e GT3 Cup nacionais (existentes na Europa, Ásia e Oceania).

Todos os carros participantes ficam aos cuidados da organização da categoria, com suporte da Stuttgart Sportcar, importadora oficial da Porsche no Brasil. Com isso, fica assegurada igualdade de preparação para todos os competidores. O piloto não tem qualquer preocupação com a preparação dos automóveis. Ele precisa apenas chegar ao autódromo e correr.

A cada evento, é montada uma infra-estrutura voltada não apenas para o bom desenvolvimento da competição, mas também para o conforto e conveniência dos pilotos (e de seus familiares), mecânicos, jornalistas e convidados. Para proporcionar maior tranqüilidade aos pilotos, a estrutura e o serviço de atendimento médico é coordenado pelo dr. Dino Altmann. Com experiência em vários GPs de Fórmula 1, a equipe do dr. Dino Altmann atua em várias categorias importantes do automobilismo brasileiro, como a Stock Car.

A organização do Porsche GT3 Cup Challenge Brasil tem apoio da Porsche AG, por meio da divisão Motorsport. Cada evento tem duas provas, cada uma com 25 minutos de duração e ambas com pontuação válida pelo campeonato. Os pontos são atribuídos na seguinte escala: 20, 18, 16, 14, 12, 10, 9, 8, 7, 6, 5, 4, 3, 2 e 1, respectivamente do vencedor ao 15º colocado. Esta pontuação é aplicável a todos os pilotos que percorrerem pelo menos 50% do total de voltas completado pelo vencedor da prova. Caso um piloto classificado entre os 15 primeiros percorra entre 25% e 49% do total de voltas do vencedor, a pontuação é aplicada pela metade.

Pistas[editar | editar código-fonte]

Interlagos[editar | editar código-fonte]

(Autódromo José Carlos Pace) - São Paulo/SP

Autódromo José Carlos Pace (AKA Interlagos) track map.svg

Extensão: 4.309 metros

Sentido: Anti-horário

Recorde com o 911 GT3 Cup: Ricardo Maurício / 1m 41s 403

Curitiba[editar | editar código-fonte]

(Autódromo Internacional de Curitiba) - Pinhais/PR

Extensão: 3.695 metros

Sentido: Horário

Recorde com o 911 GT3 Cup: Ricardo Maurício / 1m 24s 384

Jacarepaguá[editar | editar código-fonte]

(Autódromo Nelson Piquet) - Rio de Janeiro/RJ

Extensão: 3,037 km

Sentido: Anti-horário

Recorde com o 911 GT3 Cup: Miguel Paludo / 1m14s886

Os carros[editar | editar código-fonte]

Porsche 911 GT3 Cup (996)[editar | editar código-fonte]

Porsche 996 GT3 Cup (1999 - 2000).
Porsche 996 GT3 Cup (2002 - 2005).
Porsche 996 GT3 Cup (2002 - 2005).

O 911 GT3 Cup (996) já foi utilizado em diversos campeonatos monomarca da Porsche pelo mundo, em temporadas que perfazem mais de 50 finais de semana de corridas. Hoje o modelo é utilizado com sucesso na Porsche GT3 Cup Brasil, um dos eventos de maior êxito do automobilismo brasileiro.

Histórico[editar | editar código-fonte]

Em competições deste porte, o 996 foi o primeiro 911 a usar o motor boxer com refrigeração à água. O conceito do carro incorpora a longa experiência da Porsche em produzir carros esporte mais acessíveis ao consumidor.

Em 2006, todos os carros da Porsche GT3 Cup foram substituídos pela série 997 do 911. No entanto, os 996 não deixaram de ser fabricados. Revisados, integraram novos campeonatos, como a Porsche Carrera Cup Escandinávia e a Porsche GT3 Cup no Brasil; Itália; Holanda; Austrália e Nova Zelândia. Também nas categorias GT nacionais e na Porsche Clubsport, o 911 GT3 (996) foi empregado em vários eventos.

Projeto[editar | editar código-fonte]

Conceito do Veículo

  • Veículo monoposto, semelhante ao carro de rua adaptado de acordo com as normas dos campeonatos de fábrica da Porsche
  • Baseado no 911 GT3

Carroçeria

  • Chassi do 911
  • Portas em fibra de carbono com janelas e novos retrovisores
  • Tampa traseira em fibra de carbono com spolier ajustável
  • Espaço interno ventilado através das janelas laterais
  • Arcos de proteção de acordo com as normas da FIA, apêndice J, Art. 253.8
  • Três pontos de entrada de ar; otimizado aerodinamicamente com spoliers dianteiro e traseiro
  • Novo pára-choque traseiro em fibra de carbono (similar ao 911 GT3 RSR)
  • Saias laterais otimizadas aerodinamicamente
  • Banco concha para competição com proteção antichama
  • Cinto de segurança de seis pontos com preparação para uso do HANS
  • Volante retrátil
  • Sistema de extintor para incêndio
  • Tanque de combustível com capacidade para 89 litros

Peso do veículo

  • Aproximadamente 1.150 kg

Motor[editar | editar código-fonte]

  • Motor boxer de seis cilindros refrigerado à água
  • 3.598 cm³
  • Torque máximo: 390 Nm a 6.300 rpm
  • Potência máxima: 390 cv a 7.300 rpm
  • Limite de giros: 8.000 rpm
  • Quatro válvulas por cilindro
  • Lubrificação por cárter seco com reservatório de óleo externo
  • Dois estágios de entrada de ar
  • Gerenciamento eletrônico do motor MS 3.1
  • Injeção de combustível multi-ponto
  • Sistema de escape com conversor catalítico
  • Escapamento com saída dupla no centro da traseira

Suspensão[editar | editar código-fonte]

  • Eixo dianteiro com estrutura McPherson e ajuste de cambagem
  • Amortecedores Sachs pressurizados a gás com ajuste de compressão
  • Barra de rolagem dianteira, com cinco diferentes posições de ajuste
  • Direção assistida
  • Suspensão traseira multilink
  • Molas duplas com set-up de competição para a 911 GT3 Cup
  • Barra traseira ajustável em quatro posições
  • Suspensão com ajustes variáveis continúos (altura, cambagem, curso)

Rodas/Pneus

Eixo dianteiro

  • Rodas de liga-leve BBS de três aros (9J x 18), offset 46 e porca de travamento central
  • Pneus de chuva Michelin (24/64-18)

Eixo traseiro

  • Rodas de liga leve BBS de três aros (11J x 18), offset 59 with e porca de travamento central
  • Pneus de chuva Michelin (27/68-18)

Sistema de freios[editar | editar código-fonte]

  • Sistema de freios com vácuo
  • ABS modificado para competições
  • Discos de freio ventilados na dianteira e traseira
  • Pinças de seis pistões na frente e disco com 350mm de diâmetro (pastilhas especiais para competições)
  • Pinças de quatro pistões na traseira e disco com 330mm de diâmetro (pastilhas especiais para competição)

Transmissão[editar | editar código-fonte]

  • Câmbio manual de seis marchas + ré
  • Relação coroa/pinhão de 8/32
  • 1a marcha: 13/41
  • 2a marcha: 20/40
  • 3a marcha: 25/39
  • 4a marcha: 26/34
  • 5a marcha: 32/35
  • 6a marcha: 34/31
  • Suprimento de água e óleo integrado ao sistema de arrefecimento do motor
  • Lubrificação por óleo
  • Embreagem com disco simples para corrida

Porsche 911 GT3 Cup (997)[editar | editar código-fonte]

Porsche 997 GT3 Cup (2005 - 2009).
Porsche 997 GT3 Cup (2009 - 2012).

Veículo de corrida derivado do Porsche 911 GT3, um lugar, em acordo com o regulamento dos campeonatos monomarca da Porsche para 2008

Motor[editar | editar código-fonte]

Refrigerado a água, 6 cilindros boxer, 3.598 cm³, diâmetro x curso dos cilindros 99,98 x 76,4 mm, potência máxima 420 cv, torque máximo 420 Nm (42.8 kgfm) a 8.400 rpm, quatro válvulas por cilindro, lubrificação por cárter seco, duto central de admissão de ar, coletor de dois estágios, sistema de gerenciamento eletrônico do motor MS 3.1, injeção de combustível multiponto seqüencial, sistema de exaustão com desenho modular (com ou sem pré-abafador), conversor catalítico equipado com sonda lambda-probe, ponteira de escapamento central com duas saídas.

Combustível requerido: gasolina de 98 octanas, sem chumbo

Transmissão[editar | editar código-fonte]

Câmbio seqüencial de 6 marchas

Relações de marcha

1ª 12/38 i=3,167

2ª 15/32 i=2,133

3ª 18/31 i=1,722

4ª 20/28 i=1,400

5ª 23/26 i=1,130

6ª 29/27 i=0,931

Coroa e pinhão 8/32 i=4,000

  • Lubrificação a óleo, por pressão
  • Trocadores de calor óleo-água
  • Volante do motor de massa simples
  • Embreagem de três discos de metal sinterizado com 5,5 polegadas de diâmetro
  • Distribuição do diferencial 40/60 por centro
  • Tração traseira

Carroçeria[editar | editar código-fonte]

  • Autoportante, feita em aço galvanizado
  • Pára-choque e spoiler dianteiros com aerodinâmica otimizada
  • Portas de fibra de carbono com espelhos retrovisores e molduras das janelas em plástico
  • Capô traseiro em fibra de carbono com asa traseira ajustável
  • Pára-choque traseiro em fibra de carbono
  • Gaiola de segurança reforçada
  • Banco de corrida (somente para o piloto) com forro antichama
  • Cinto de segurança de seis pontos otimizado para uso de sistema de proteção HANS
  • Volante removível com sistema de acoplamento rápido
  • Sistema elétrico de combate a incêndio
  • Tanque de combustível com capacidade para 90 litros
  • Sistema de segurança da fixação da bateria

Suspensão[editar | editar código-fonte]

Eixo dianteiro

Tipo McPherson, amortecedores pressurizados a gás, molas helicoidais duplas (principal e auxiliar), braços de controle de duas peças para ajuste de cambagem, barra estabilizadora, amortecedor montado na parte superior com braçadeira dupla, sistema de direção com assistência eletro-hidráulica

Eixo traseiro

Multibraços com subchassi montado rigidamente, amortecedores pressurizados a gás, molas helicoidais duplas (principal e auxiliar), braços de controle de duas peças para ajuste de cambagem, eixo traseiro reforçado com bitola variável continuamente, barra estabilizadora, suspensão variável continuamente (altura, camber, bitola)

Sistema de freios[editar | editar código-fonte]

Sistema de freios com barras ajustáveis diagonalmente

Eixo dianteiro

Pinças de alumínio com 6 pistões em peça única, discos de freio ventilados internamente com 380 mm de diâmetro e pastilhas de corrida

Eixo traseiro

Pinças de alumínio com 4 pistões em peça única, discos de freio ventilados internamente com 350 mm e pastilhas de corrida

Rodas e Pneus[editar | editar código-fonte]

Eixo dianteiro

Rodas BBS de três peças com porca central e aro de alumínio (9J x 18), descentragem do aro 43, pneus 24/64-18

Eixo traseiro

Rodas BBS de três peças com porca central e aro de alumínio (11J x 18), descentragem do aro 30, pneus 27/68-18)

Sistema Elétrico[editar | editar código-fonte]

  • Mostrador Motec com gravação de dados integrado
  • Bateria 12 V, 50 Ah
  • Alternador 90 Ah

Peso[editar | editar código-fonte]

Cerca de 1.150 kg

Cor[editar | editar código-fonte]

Branco Carrara

Temporada 2009[editar | editar código-fonte]

Pilotos[editar | editar código-fonte]

  • 1. 00 - Constantino Jr.
  • 2. 03 - Luis Zattar
  • 3. 05 - Antonio Hermann
  • 4. 07 - Clemente Lunardi
  • 5. 08 - Marcelo Ometto
  • 6. 09 - Guilherme Figueiroa
  • 7. 10 - Adalberto
  • 8. 11 - Omilton Visconde
  • 9. 15 - Henry Visconde
  • 10. 18 - Danilo Fernandez
  • 11. 21 - Rossete
  • 12. 27 - Ricardo Baptista
  • 13. 31 - Marcos Barros
  • 14. 34 - Maurizio Billi
  • 15. 36 - Charles
  • 16. 51 - Otávio Mesquita
  • 17. 52 - Beto Posses
  • 18. 55 - Marcel Visconde
  • 19. 64 - Sérgio Ribas
  • 20. 77 - Miguel
  • 21. 78 - Haroldo Pinto
  • 22. 99 - Tom Valle

Resultados[editar | editar código-fonte]

Etapas 1 e 2 - Curitiba (6 a 8 de março de 2009)[editar | editar código-fonte]

  • Etapa 1:

1) 00-Constantino Júnior, 19 voltas em 26:55.884, média de 156,40 km/h

2) 77-Miguel Paludo, a 7.182

3) 99-Tom Valle, a 9.505

4) 64-Sérgio Ribas, a 12.093

5) 8-Marcelo Ometto, a 12.677

6) 27-Ricardo Baptista, a 14.648

7) 52-Beto Posses, a 16.168

8) 55-Marcel Visconde, a 25.481

9) 7-Clemente Lunardi, a 25.599

10) 34-Maurizio Billi, a 26.041

11) 5-Antônio Hermann, a 26.652

12) 36-Charles Reed, a 27.819

13) 10-Adalberto Baptista, a 58.805

14) 51-Otávio Mesquita, a 13 voltas

Desclassificado

9-Guilherme Figueirôa, a 1 volta

Não largaram

3-Luís Zattar

31-Marcos Barros

Melhor volta:

99-Tom Valle, 1:23.926, média de 158,49 km/h

  • Etapa 2:

1) 00-Constantino Júnior, 19 voltas em 27:00.120, média de 156,00 km/h

2) 99-Tom Valle, a 1.634

3) 77-Miguel Paludo, a 2.182

4) 7-Clemente Lunardi, a 10.372

5) 64-Sérgio Ribas, a 14.811

6) 52-Beto Posses, a 20.631

7) 55-Marcel Visconde, a 22.054

8) 51-Otávio Mesquita, a 36.442

9) 34-Maurizio Billi, a 43.897

10) 9-Guilherme Figueirôa, a 51.646

11) 36-Charles Reed, a 52.975

12) 10-Adalberto Baptista, a 3 voltas

13) 27-Ricardo Baptista, a 8 voltas

14) 8-Marcelo Ometto, a 12 voltas

Não largaram

5-Antônio Hermann

3-Luís Zattar

31-Marcos Barros

Melhor volta:

Constantino Júnior, 1:24.330, média de 157,73 km/h

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.