Porta-aviões japonês Akagi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Akagi in April, 1942
Carreira Japanese Navy Ensign
Projeto: 1920
Colocação da quilha: 7 de Dezembro de 1920
Lançamento: 22 de Abril de 1925
Comissionado: 27 de Março de 1927
destino: Destruído po ataque aéreo na batalha de Midway em 4 de Junho de 1942; posto a pique (afundado) depois de evacuado.
Struck: 25 de Setembro de 1942
Características Gerais
Deslocamento: 33,800 toneladas (original);
42,000 toneladas (Depois de reformado)
Comprimento: 855 pés 3 polegadas (260.68 m)
Largura(boca): 102 pés 9 polegadas (31.32 m)
Calado: 28 pés 7 polegadas (8.71 m)
Propulsão: 19 caldeiras Kanpon, turbinas a vapor, 4 eixos
Velocidade: 31 Nós (57 km/h)
Autonomia: 8,200 milhas nauticas à 12 Nós
  (15200 km à 22 km/h)
Tripulação: 2140 ( sendo 800 da aviação naval)
Armamento: Sec./Antiaéreo: 6 canhões de 203 mm/50 cal. (6 casamatas laterais), 12 de 120 mm/45 cal. (6 torres duplas) e 14 duplos de 25 m
Aeronaves: 61 (original)
91 (Depois de reformado)

24 caças A6M2 Zero, 18 bombardeiros de mergulho D3A1 Val e 18 torpedeiros B5N2 Kate 2)

Akagi (em japonês: 赤城, que significa "castelo vermelho", um vulcão na região Kanto do Japão) - foi um porta-aviões da Marinha Imperial Japonesa. Participou no ataque a Pearl Harbor e no raide do Oceano Índico, tendo sido afundado a 5 de Junho de 1942 por aviões da Marinha dos Estados Unidos, durante a batalha de Midway.

O Akagi foi iniciado como um cruzador de batalha da classe Amagi em Kure, no Japão. Sob a pressão do Tratado Naval de Washington, em 1922, este navio e os seus congéneres foram convertidos para porta-aviões. O Amagi foi destruído num terremoto a 1 de Setembro de 1923 e os cruzadores de batalha que restaram desta classe Atago e Takao foram cancelados em 1924. Akagi, o único membro da classe que restou, foi lançado ao mar em 22 de Abril de 1925 e concluído nos estaleiros da Marinha em Yokosuka como um dos dois primeiros grandes porta-aviões japoneses em 27 de Março de 1927.

Participou de combates na Segunda Guerra Mundial. Resultante do fruto da conversão de um casco inacabado de um cruzador de batalha da classe Amagi. Essa conversão ocorreu para atender às regras do Tratado de Washington. Foi um dos maiores porta-aviões do mundo na época. Formou juntamente com o porta-aviões Kaga a Primeira Divisão de Porta-aviões.

História[editar | editar código-fonte]

O primeiro comandante do Akagi foi o Capitão Isoroku Yamamoto, que mais tarde se tornou Chefe da Frota Combinada. O porta-aviões Akagi participou do ataque a Pearl Harbor, em dezembro de 1941. Depois participou de batalhas no Oceano Índico, tendo grande êxito. Sua batalha final se deu em Midway, em junho de 1942. O porta-aviões americano USS Enterprise lançou um ataque com bombardeiros de mergulho contra o Akagi. Duas bombas atingiram o Akagi, que tinha aviões armados com bombas e torpedos prontos para decolar em poucos minutos. As bombas americanas fizeram os aviões japoneses no Akagi explodirem, provocando um enorme buraco na pista de decolagem e incêndio. O Akagi ficou então fora de combate e sem comunicação com o exterior. O Akagi ardeu em chamas durante toda noite, mas não afundava. Então o Almirante Yamamoto ordenou que os destroyers Arashio, Hagikase, Maikase e Nowaki afundassem com torpedos o Akagi. O porta-aviões Akagi torpedeado, afundou no dia 05/06/1942, às 05:20.

Akagi após seu lançamento ao mar em 26 de Abril de 1925.
Em testes próximo à costa de Iyo em 17 de Junho de 1927.
Após sua conversão para porta-aviões de convés único.
Akagi partindo da ilha Celebes para o ataque em Colombo no reide do Oceano Índico, em 26 de Março de 1942.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui multimídias sobre Porta-aviões japonês Akagi
Ícone de esboço Este artigo sobre tópicos navais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.