Porta corta-fogo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Porta C Fogo 11742 SCALA SCI
Porta Corta Fogo ABNT 11711 SCALA SCI
Porta corta-fogo de grau industrial classificado para curva de hidrocarbonetos e resistência à brusone.
Porta corta fogo simples e dupla PCF BRASIL.
Saída de emergência com barra antipânico.
Porta corta fogo com revestimento laminado.

A porta corta fogo, também chamada de PCF é uma porta resistente ao fogo, utilizada com a finalidade de garantir proteção contra incêndios, também impedindo a passagem de fogo ou fumaça entre compartimentos, facilitando a fuga de pessoas e resgates.

Tal porta é usada em vários locais no dia a dia, como shoppings centers, teatros, cinemas, entre vários edifícios como apartamentos. É indicada também para entradas de escritório, áreas de refúgio (bunkers), antecâmaras, separação de áreas de riscos industriais e comerciais, locais de acesso restrito, ou que se comunicam diretamente com rotas de fuga, acesso às passarelas e intercomunicações entre edifícios, acesso a recintos de medição, proteção e transformação de energia elétrica. É requerida em edifícios comerciais ou residenciais, casas, instalações industriais, marítimas, dentre outros projetos. É considerado um produto seguro, entretanto seu uso inadequado e se não passar por um teste de qualidade sua eficácia pode ser comprometida.

História[editar | editar código-fonte]

No Brasil, a porta corta-fogo começou a ser utilizada a partir da década de 70, quando se tornou obrigatório o uso de tais portas em edifícios com mais de quatro andares. Tal obrigatoriedade foi instituída após várias fatalidades que levaram várias pessoas a morrerem em prédios na cidade de São Paulo.[1]

Por conta disso, introduziu-se um novo modelo de construção de edifícios, destacando-se escadas enclausuradas, recebendo a proteção de duas portas corta-fogo e uma sala de antecâmera.[1]

Componentes[editar | editar código-fonte]

As portas corta-fogo podem ser feita em combinação de vários materiais, como aço, gesso, vermiculita e fibra cerâmica. Já a ferragem da porta pode incluir dispositivos automáticos de fechamento, rolamento de esferas dobradiças ou um mecanismo de travamento. Deve-se também haver selos, tiras e juntas que impeçam a passagem de fumaça pela porta.

Uso e manutenção[editar | editar código-fonte]

Grande parte das portas corta-fogo são usadas diariamente, entretanto a maior parte das portas são concebidas para que se mantenham fechadas. Já outras ficam abertas sob circunstâncias normais, sendo automaticamente fechadas ao surgir um incêndio. Independentemente do método utilizado, o movimento da porta nunca deve ser prejudicado por algum obstáculo ou objeto.

Algumas portas são mantidas abertas acompanhadas de um objeto eletromagnético ligado à um sistema de alarme de incêndio. Internet sem fio e outras ferramentas podem ser usadas de forma segura e legal para manter portas corta-fogo abertas.

Os testes com portas corta-fogo também servem para classificar o tempo de resistência ao fogo. Há as que duram 20, 30, 45, 60 e 90 minutos que são certificadas por um laboratório confiável, como o Underwriters Laboratories, nos Estados Unidos.

Como as portas corta-fogo podem ser usadas diariamente, é necessário que haja manutenção mensal em relação à abertura e fechamento do objeto. A cada seis meses também é necessária fazer a lubrificação das dobradiças e da fechadura com graxa, além de uma avaliação na condição da folha da porta.[2]

Segurança[editar | editar código-fonte]

A PCF é qualificada pela norma ABNT 11742 através do selo de certificação ABNT ou outro órgão da Conmetro.Todas as portas comercializadas no Brasil devem passar por testes de conformidade, realizados no Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).

As portas se classificam como P-30, P-60, P-90 e P-120, de acordo com o tempo de duração (resistência)ao fogo, em minutos. Para assegurar proteção, seus componentes como fechadura e dobradiça também devem estar de acordo com a norma ABNT 13768. A porta corta fogo também pode ser dotada de barra antipânico, conforme norma ABNT 11785.

Cada porta deve receber, no sentido rota de fuga, uma placa com os dizeres: PORTA CORTA FOGO - É OBRIGATÓRIO MANTER FECHADA. É proibido impedir o livre fechamento da porta corta fogo com qualquer tipo de objeto. É cabível multa no caso de irregularidades em inspeções prévias ou responsabilidade civil no caso de irregularidades constatadas durante um incêndio, com vítimas fatais ou não.

Outro tipo de porta corta-fogo segue a norma ABNT NBR 11711 , utilizada para separacao de riscos em ambientes comerciais e industriais, e apresentam-se em tipos construtivos: de correr, dobradica, e guilhotina.[1]

Referências

  1. a b História da porta corta-fogo Prevenção. Página visitada em 27 de junho de 2012.
  2. Ana Cláudia Meneguci Silva. Porta Corta-fogo para saídas de emergência ABNT. Página visitada em 27 de junho de 2012.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Porta corta-fogo
Ícone de esboço Este artigo sobre um objeto é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.