Portal:Anarquia/Imagem selecionada/1 a 40

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
 ver·editar Primeira imagem


Cutters1.preview.jpg
Imagem cedida por awalls.org.

Ativista israelense da organização Anarquistas Contra o Muro (em inglês Anarchists Against The Wall) desmantela parte da cerca conhecida como "Barreira da Vergonha" construída pelo governo israelense com a intenção de isolar um território em litígio da vila palestina de Beit Mirsim.

 ver·editar Segunda imagem


Vampire world bank protest17.jpg
Imagem de Justin McIntosh

Um dos membros do Projeto Ação Direta Boston durante uma de suas ações na cidade de Washington em abril de 2005. Vestidos como vampiros personificando os relações públicas do Banco Mundial o projeto teve como meta evidenciar e caricaturizar através de performance teatral de rua a ação predatória e parasitária da instituição em relação aos países de terceiro mundo.
 ver·editar Terceira imagem


Black block.jpg
Os créditos pela imagem são de sasho.

Na Bulgaria Black blocs marcham com bandeiras e faixas contra a criação da União Européia enquanto estado policial unificado. Os black blocs são grupos de afinidade defendem a ação direta como estratégia em detrimento de formas de resistência pacífica.

 ver·editar Quarta imagem


Members of the Maquis in La Tresorerie.jpg
O autor da imagem é Donald I. Grant.

Máquis, grupo de guerrilha anti-fascista na La Tresorerie, em 14 de Setembro de 1944 na cidade francesa de Bolonha. Os Maquis resistiram às ocupações dos nazistas e dos franquistas em diversos pontos da Europa, na primeira metade do século XX; No sudoeste francês algumas células Maqui eram inteiramente compostas de veteranos da Guerra Civil Espanhola, e muitos destes eram anarquistas.

 ver·editar Quinta imagem


Edgard Leuenroth prisão.gif
A autoria da foto é desconhecida.

Edgard Leuenroth fotografado na cadeia após ser preso em 1917 sob a acusação de ser mentor "psíquico-intelectual" da greve geral. Fundador e colaborador de dezenas de jornais, memorável orador e membro da Comissão de Defesa Proletária, Leuenroth foi um dos mais notáveis militantes da história do anarquismo no Brasil.

 ver·editar Sexta imagem


Uroligheder3.jpg
Os créditos pela imagem são de Silkølse.

Um manifestante na comunidade autônoma de Christiania, Dinamarca lança um coquetel molotov na direção de uma van da polícia em Maio de 2007. A resistência violenta é uma forma de ação direta refutada pelos anarquistas pacifistas e adotada particularmente por ilegalistas e insurrecionários.

 ver·editar Sétima imagem


Clandestine Insurgent Rebel Clown Army.jpg
Imagem de JK the Unwise

Uma tropa do CIRCA na Escócia marchando nas manifestações mundiais do ano de 2005 da campanha "Fazendo da Pobreza História". Também conhecido como Fronte de LiberAção do Sorriso, o Exército Rebelde Insurgente Clandestino de Palhaços formou-se a partir de um grupo de palhaços anti-autoritários e libertários do Reino Unido que passaram empregam táticas comedianistas não-violentas para agir contra o capitalismo global, a guerra e outros assuntos.
 ver·editar Oitava imagem


Barc okupa.jpg
A imagem é de autoria de Toniher.

Um cafetá formado pelos okupas Bloques Fantasmas em primeiro plano e Kasa de La Muntanya em segundo plano. Ao fundo a cidade de Barcelona, na Espanha. Okupa (em inglês squat) é um termo anarquista referente ao ato de ocupar uma construção abandonada, não com o intuito de torná-la sua propriedade privada, mas sim para transformá-la em uma espaço de sociabilidade e vivência libertária.

 ver·editar Nona imagem


Footsie.jpg
A imagem é de autoria de Nick Cooper.

Seção de somaterapia documentada pelo videoativista Nick Cooper. Desenvolvida no Brasil pelo psiquiatra e escritor anarquista Roberto Freire, a somaterapia é uma terapia corporal que tem como finalidade tratar os danos psicológicos causados pelo autoritarismo. Atualmente é empregada por diversos coletivos libertários terapêuticos em todo o mundo.

 ver·editar Décima imagem


Betoging krakers Leuven Indymedia 13.jpg
A imagem é de autoria de Steven Fruitsmaak do Indymedia.be.

Uma manifestação de okupas anarquistas na cidade de Leuven, na Bélgica em Junho de 2007. Okupa (em inglês squat) é um termo libertário que faz referência ao ato de ocupar um espaço ou construção, abandonada ou desabitada por muito tempo, sem permissão expressa de seus proprietários legais; não para torná-lo propriedade privada, mas sim transformá-lo em uma esfera de socialidade e vivência libertária.

 ver·editar Décima primeira imagem


Kristiana.jpg
A autoria da imagem é de Quistnix.

Fachada de uma casa na cidade livre de Christiania. Christiania é uma comunidade independente e autogestionada, localizada na cidade de Copenhagen, na Dinamarca. Sua fundação data de 1971 quando milhares de anarquistas, hippies, artistas e músicos ocuparam Badsmandsstraedes Kaserne, uma gigantesca base militar abandonada no subúrbio da capital dinamarquesa.

 ver·editar Décima segunda imagem


Subcomandante Marcos.jpg
Imagem de autoria de Cesar Bojorquez.

Subcomandante Marcos e comandante Tacho durante o encontro do EZLN com a Sociedade Civil em 1999, no distrito livre de La Realidad, Chiapas. Os zapatistas contemporâneos são os principais herdeiros do Magonismo, corrente anarquista que inspirou a Revolução Mexicana combatendo o latifúndio e o autoritarismo, e reconhecendo os paralelos entre as formas de ser dos povos indígenas e os princípios libertários.

 ver·editar Décima terceira imagem


War-irak02.jpg
Imagem cedida por Alex35.

Anarco-punk em uma manifestação anti-capitalista contra as políticas de guerra do governo estadunidense em Setembro de 2001. O anarcopunk é uma vertente do movimento punk que consiste grupos organizados e pessoas que individualmente promovem o pensamento e a prática anarquista. Apesar de nem todos os punks apoiarem o anarquismo, este tem um papel importante na cultura punk, por sua vez a estética punk influenciou significativamente o anarquismo contemporâneo.

 ver·editar Décima quarta imagem


Resistin radicatz.jpg
Imagem cedida por Ben Schumin.
As "Resistin Radicatz" (em português Radigataz Resistentes) em uma Animação radical em frente à sede da Federação Americana do Trabalho e Congresso das Organizações Industriais, antes de se juntarem a Marcha de Um Milhão de Trabalhadores em direção ao Memorial Lincoln em 17 de Outubro de 2004.
 ver·editar Décima quinta imagem


Fransisco Ferrer Guardia.jpg
Autoria desconhecida.

Fotografia do pedagogo anarquista Francisco Ferrer fuzilado pelas forças governamentais espanholas durante a Semana Trágica de 1909. No final do século XIX e início do XX Francisco Ferrer concebeu a Escola moderna, um movimento cuja meta era popularizar a educação libertária, antiautoritária e anticlerical. Até 1918 eram mais de cinqüenta em todo o mundo.

 ver·editar Décima sexta imagem


Judicicaserio.jpg
Capa do Petit Journal de segunda-feira, 30 de Julho de 1894.

O anarquista italiano Sante Geronimo Caserio é conduzido por dois soldados franceses logo após interrogatório na reconstituição de capa do Le Petit Journal. Um mês antes, em 24 de Junho, Caserio matara o presidente francês Sadi Carnot. O assassinato foi motivado pela execução de outros três anarquistas ilegalistas: Ravachol, Auguste Vaillant e Émile Henry nos anos anteriores. Caserio foi guilhotinado em Lyon as cinco horas da manhã do dia 16 de Agosto de 1894, aos 22 anos.

 ver·editar Décima sétima imagem


M17 shield bloc.jpg
Imagem cedida por WMWC.

Grupo de manifestantes anarquistas carregando escudos de latão protestam contra a Guerra do Iraque em Washington, Estados Unidos. Em 17 de Março de 2007 dezenas manifestações anti-guerra organizadas por grupos libertários aconteceram nas principais cidades norte-americanas.

 ver·editar Décima oitava imagem


Grupo de Combate del Ejército Negro.JPG
Imagem de autoria desconhecida.

Grupo de combatentes do Exército Negro posando para a fotografia com suas armas. O Exército Negro era formado por milhares de insurgentes ucranianos libertários que junto a Nestor Makhno se recusaram a se submeter ao governo bolchevique após o golpe conhecido como Revolução de Outubro de 1917, dando início à Revolução Ucraniana.

 ver·editar Décima nona imagem


Hermanos flores magon.jpg
Imagem publicada no Los Angeles Times.

Ricardo Flores Magón (a esquerda) e Enrique Flores Magón na prisão do Condado de Los Angeles em 1917. Os irmãos Flores Magón foram anarquistas mexicanos notáveis, tanto por sua oposição à ditadura de Porfírio Díaz, como por serem os precursores da Revolução Mexicana de 1910 e do Zapatismo.

 ver·editar Vigésima imagem


Ravachol Portrait.jpg
Autoria desconhecida.

Foto de Ravachol enviada por Sante Caserio à viúva de Sadi Carnot, o presidente francês que acabara de assassinar. Junto um escrito Está bem vingado. Nos primeiros anos da década de 1890 Ravachol tornara-se notório por seus atentados a bomba no combate ao Capitalismo e ao Estado. No dia 11 de Julho de 1892 foi guilhotinado pelo estado francês em Montbrison aos 32 anos de idade.

 ver·editar Vigésima primeira imagem


Krapotkin in Haparanda.jpg
Imagem cedida por Liftarn.

O notável anarquista russo Piotr Kropotkin passeando pelas ruas de Haparanda, na Suécia em 1917. Príncipe de nascimento pela casa de Rurik, Kropotkin rejeitou esta titulação se tornando um dos grandes teóricos do anarquismo. Foi geógrafo e viajante, percorreu 50 mil milhas, boa parte delas no interior do círculo polar ártico. Suas reflexões e anotações geraram grandes contribuições para o conhecimento científico sobre o planeta Terra.

 ver·editar Vigésima segunda imagem



Sacco&Vanzetti3.jpg
O autor da arte é Ben Shahn.

Representação artística dos anarquistas italianos Nicola Sacco e Bartolomeu Vanzetti. Sacco e Vanzetti foram condenados a pena capital nos anos 1920 sob as acusações de assalto e duplo homicídio. Mesmo depois que um outro homem admitiu a autoria dos crimes em 1925, os dois foram executados através da cadeira elétrica dois anos mais tarde, em 1927.

 ver·editar Vigésima terceira imagem


Radicals awaiting deportation.jpg
Imagem cedida por Murderbike.

Por conta do segundo Ato de Exclusão Anarquista, imigrantes anarquistas e comunistas antes instalados na região de Nova York esperam pela deportação encarcerados na ilha Ellis, em 1920. O segundo Ato de Exclusão anarquista foi aprovado pelo congresso estadunidense em 16 de Outubro de 1918 permitiu que milhares de pessoas fossem presas e deportadas do Estados Unidos da América sem a necessidade de álibi.

 ver·editar Vigésima quarta imagem


Proudhon-children.jpg
Imagem é de autoria de Gustave Courbet.

Pierre-Joseph Proudhon junto a suas duas filhas em uma tarde de primavera na concepção artística de 1856 do pintor Gustave Courbet. Proudhon foi o primeiro teórico libertário a positivar o título de "anarquista", foi também um dos pioneiros na formulação de uma ciência da sociedade. Mesmo na atualidade, sua influência nos meios anarquistas é extremamente significativa.

 ver·editar Vigésima quinta imagem


Tolstoy ploughing.jpg
Imagem de autoria de Ilja Jefimowitsch Repin.

Leo Tolstoi lavrando campos para o plantio no quadro de Ilja Repin de 1887. Além de um dos grandes escritores da literatura russa, Tolstoi é também conhecido como o primeiro teórico do anarquismo cristão.

 ver·editar Vigésima sexta imagem


Ilja Jefimowitsch Repin 004.jpg
Imagem de autoria de Ilja Jefimowitsch Repin.

Leo Tolstoi lendo um livro e descansando em meio a um bosque na Pintura Ilja Repin de 1891. Além de ser considerado o primeiro teórico do anarquismo cristão, Tolstoi é também um dos grandes escritores da literatura russa.

 ver·editar Vigésima sétima imagem


Maladjusted.jpg
Imagem cedida por Dunks58.

Cartaz com graffiti em Sydney, Austrália com a frase "A salvação humana jaz nas mãos dos criativamente desajustados" de Martin Luther King. Os posicionamentos políticos de Luther King foram influenciados em grande medida pelos anarco-pacifistas Leo Tolstoi e Gandhi.

 ver·editar Vigésima oitava imagem


Milicianas em 1936 por Gerda Taro.jpg
Imagem de autoria de Gerda Taro.

Mulheres participantes de uma milícia republicana treinam nos arredores de Barcelona em Agosto de 1936. A participação das mulheres durante a Guerra Civil Espanhola foi tremenda. Uma das maiores entidades anarquistas da Espanha a organização anarca-feminista Mujeres Libres chegou a ter entre suas associadas mais de 30 mil integrantes.

 ver·editar Vigésima nona imagem


Imagem de autoria de Gerda Taro.

Menino vestido com o quepe da Federação Anarquista Ibérica numa barricada em Barcelona, Agosto de 1936. De orientação anarco-sindicalista a FAI foi uma das mais importantes organizações republicanas durante a Guerra Civil Espanhola.

 ver·editar Trigésima imagem


Police Not Welcome.jpg
Imagem cedida por Jason White.

Adesivo do Coletivo estadunidense CrimethInc. Onde se lê "Comunidade vigia esta área. Confiança, respeito e comunicação são essenciais para a saúde da comunidade; proteja seus amigos e vizinhos de membros de gangues uniformizadas e outros tipos suspeitos. A polícia não é bem vinda." Os anarquistas entendem os aparatos repressivos do estado como mecanismos de garantia de manutenção das desigualdades e inimigos históricos da transformação social.

 ver·editar Trigésima primeira imagem


São Paulo (Greve de 1917).jpg
Imagem de autoria desconhecida.

Operários e anarquistas marcham pelas ruas de São Paulo com bandeiras negras durante a Greve Geral de 1917. O Anarquismo no Brasil foi extremamente vigoroso no movimento operário brasileiro até o início década de 1930 tendo como principal bandeira de luta a jornada de trabalho de 8 horas e outros direitos hoje ameaçados pelo neo-liberalismo.

 ver·editar Trigésima segunda imagem


Imagem cedida por CMI-Itália.

O corpo do anarquista Carlo Giuliani cercado por carabinieri (policiais italianos) em uma das esquinas da praça Gaetano Alimonda. Em 20 de Julho de 2001 Carlo Giuliani foi assassinado com dois tiros na cabeça por um policial enquanto protestava contra a reunião do Grupo dos 8 na cidade de Gênova.

 ver·editar Trigésima terceira imagem


Max Nettlau.jpg
Imagem de autoria desconhecida.

Max Nettlau em 1928. Austríaco de nascimento, foi um anarquista historiador, bibliotecário, filólogo, arquivista incansável: editou e financiou a "Folha do Trabalho Anarquista"; foi membro do Grupo Liberdade (Freedom Group); ajudou a fundar a "Tocha da Liberdade"; escreveu a Bibliografia de L'Anarchie em 1897; repassou sua imensa coleção de materiais anarquistas para o Instituto Internacional de História Social (IISG) em Amsterdam em 1935, fazendo deste o depositário de um dos maiores acervos anarquistas do mundo.

 ver·editar Trigésima quarta imagem


Abraham Lincoln Brigade Vietnam War Protesters.gif
Autor da imagem Frank Wolfe.

Os veteranos da Brigada Abrahan Lincoln, uma das Brigadas Internacionais, combatentes contra os fascistas na Guerra Civil Espanhola em solidariedade à Segunda República em 1936, protestam em 1967 na cidade de Washington contra a Guerra do Vietnam.

 ver·editar Trigésima quinta imagem


Magonistas en Tijuana.jpg
Imagem cedida pela Sociedade Histórica de San Diego.

Rebeldes magonistas libertam a cidade de Tijuana no México em 1911 do controle da ditadura federal. Parte dos magonistas na imagem eram anarquistas estadunidenses que naquele contexto utilizavam as costumeiras vestimentas de bandoleros adotadas pelos revolucionários mexicanos.

 ver·editar Trigésima sexta imagem


Anthos.jpg
Imagem cedida por Mídia Independente Atenas.
Em 1990 uma multidão de anarquistas gregos toma as ruas de Atenas pronta para enfrentamento, indignada com a absolvição do policial que assassinou o jovem Michaelis Kaltezas em 1985, à época com 15 anos. Atualmente (e a contragosto do estado e das elites da Grécia) o anarquismo é uma das mais fortes tendências filosófico-políticas entre a juventude grega.
 ver·editar Trigésima sétima imagem


Disderi 3.jpg
Imagem de autoria desconhecida.

Barricadas erguidas pelos communards em frente a La Madelaine. O termo "Comuna de Paris" refere-se ao governo composto por libertários e progressistas que esteve em voga em Paris pelo breve período de 18 de Março à 28 de Maio no ano de 1871.

 ver·editar Trigésima oitava imagem


Maquis Marxa-2.jpg
Imagem cedida por Yeza.

Mural da Sétima Marcha dos Maquis em Sallent, Barcelona, em homenagem aos libertários que lutaram contra o fascismo. Os Maquis resistiram às ocupações dos nazistas e dos franquistas em diversos pontos da Europa na primeira metade do século XX.

 ver·editar Trigésima nona imagem


No gender no master.jpg
Imagem cedida por Anthena.

"Nem gênero, nem mestre" - O anarco-queer é uma das vertentes do anarquismo que foca suas críticas e esforços na promoção de princípios igualitários e libertários entre transgêneros, homo e bissexuais contra o heterossexismo.

 ver·editar Quadragésima imagem


AnarchistPostersFromThessaloniki.jpg
Imagem cedida por Edal Anton Lefterov.

Cartazes anarco-comunistas nas ruas da Tessalônica. Na atualidade a Grécia é um dos países onde o anarquismo encontra-se mais organizado, considerado por alguns como estando em vias de um processo revolucionário.