Portal:Região Nordeste do Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Conteúdo · Temas gerais · Resumo do conhecimento · Portais · Categorias · Anexos por tema · Glossários · Índice A-Z

 ver·editar Portal da Região Nordeste do Brasil
Brazil Region Nordeste.svg
A Região Nordeste é uma região do Brasil com 1.558.196 km² de área e 51.609.027 habitantes (IBGE/2006). A região possui 30.998.109 eleitores (IBGE/2002), o segundo maior colégio eleitoral do país, perdendo apenas para o Sudeste.

Esta é a divisão oficial do IBGE, para se fazer essa divisão foram usados critérios como semelhanças naturais (tais como relevo, clima, vegetação e solo), posição geográfica, bem como afinidades socioculturais. É região brasileira que possui a maior quantidade de estados: Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Piauí, Pernambuco (incluindo o Distrito Estadual de Fernando de Noronha), Rio Grande do Norte e Sergipe.

 ver·editar Portais
Bandeira de Alagoas.svg
Alagoas
Bandeira da Bahia.svg
Bahia
Bandeira do Ceará.svg
Ceará
Bandeira do Maranhão.svg
Maranhão
Bandeira da Paraíba.svg
Paraíba
Bandeira de Pernambuco.svg
Pernambuco
Bandeira do Piauí.svg
Piauí
Bandeira do Rio Grande do Norte.svg
Rio Grande do Norte
Bandeira de Sergipe.svg
Sergipe
 ver·editar Artigo em Destaque
A avenida Sete de Setembro.

A Avenida Sete de Setembro, comumente abreviada para Avenida Sete, é uma das principais e a mais tradicional das vias urbanas do município de Salvador, no estado da Bahia, Brasil. Foi palco de acontecimentos históricos e local de marcos arquitetônicos importantes, abrigando museus, igrejas, hospitais, escolas e hotéis ao longo dos seus 4,6 km de extensão, e conectando o núcleo urbano surgido nos séculos XIX e XX ao centro histórico da cidade, de origens coloniais.

Inaugurada em 1916 pelo então Governador Joaquim José Seabra, foi idealizada como parte do plano de reforma urbana de Salvador iniciado em 1912, buscando conectar o centro antigo aos novos bairros que surgiam ao sul da cidade. Iniciando-se a partir do Farol da Barra, segue um trajeto que se estende pelos logradouros do Porto da Barra, Ladeira da Barra, Corredor da Vitória, Campo Grande e São Pedro, terminando na Praça Castro Alves, onde se une a Rua Chile, nas portas do Centro Histórico de Salvador.

 ver·editar Cultura
Escultura em barro pintado de um sanfoneiro, um dos músicos que integram as bandas de forró. Caruaru, Pernambuco

O Forró , na verdade, são vários gêneros musicais nordestinos de origem mestiça com influência indígena, africana e européia. Possui semelhaças tanto com o Toré e o arrastar dos pés do índios quanto com os batuques africanos e o balançar dos quadris destes e, também, com as danças de salão européias. O forró é especialmente popular nas cidades de Caruaru, Mossoró e Campina Grande, onde é símbolo da Festa de São João, e nas capitais Fortaleza, Aracaju, Natal e Recife onde são promovidas grandes festas que duram a noite toda. Forró também é o nome dado a estas festas.

Rigorosamente, o Forró é um conjunto de estilos musicais relacionados, e não um único. Entre vários ritmos diferentes que são comumente identificados como Forró, destacam-se o Baião, o Coco, o Rojão, a Quadrilha, o Xaxado e o Xote.

 ver·editar Nordestinos

Ariano Vilar Suassuna (João Pessoa, 16 de junho de 1927) é um dramaturgo, romancista e poeta brasileiro.

É filho do ex-governandor João Suassuna (1924-1928). Ariano Suassuna é um dos mais importantes dramaturgos brasileiros, autor do célebre Auto da Compadecida, e um defensor militante da cultura brasileira.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Ariano nasceu na então Cidade da Paraíba (Parahyba em ortografia arcádica), que hoje é a cidade de João Pessoa, num dia de Corpus Christi, o que acabou por ocasionar a parada de uma procissão que ocorrera no dia de seu nascimento na frente do palácio do governo do estado. Ariano viveu os primeiros anos de sua vida no Sítio Acauhan, no sertão do estado da Paraíba. Aos três anos de idade (1930), Ariano passou por um dos momentos mais complicados de sua vida com o assassinato de seu pai, no Rio de Janeiro, por motivos políticos, durante a Revolução de 1930, o que obrigou sua mãe, Cássia Vilar Suassuna, a levar toda a família a morar na cidade de Taperoá, no Cariri paraibano.

Ainda em Taperoá, Ariano teve conhecimento da morte do seu pai, que ocorreu dentro da cadeia de eventos que sucederam e estavam ligados à morte de João Pessoa, e, como produto destes acontecimentos, sua família precisou fazer várias peregrinações para diferentes cidades, a fim de fugir das represálias dos grupos políticos opositores ao seu falecido pai.

De 1933 a 1937, Ariano residiu em Taperoá, onde "fez seus primeiros estudos e assistiu pela primeira vez a uma peça de mamulengos e a um desafio de viola, cujo caráter de “improvisação” seria uma das marcas registradas também da sua produção teatral."

 ver·editar História
Alegoria representando o Conselheiro
A Guerra de Canudos, revolução de Canudos ou insurreição de Canudos foi um movimento político-religioso brasileiro que durou de 1893 a 1897, ocorrida na cidade de Canudos no interior do Estado da Bahia. Decorrente da grave crise econômica e social que encontrava a região, aonde havia latifúndios improdutivos, seguida de secas cíclicas, desemprego crescente, e um pessoal bastante religioso.

Na Guerra de Canudos os revoltosos não contestavam o regime republicano recém adotado. Entretanto, o governo os acusava disso, ganhando assim apoio da população do sudeste para combatê-los. A liderança do movimento era exercida por Antônio Conselheiro, baseava-se na motivação religiosa. Todo o conflito foi retratada no livro "Os Sertões" de Euclides da Cunha, que a presenciou como repórter do jornal O Estado de S. Paulo, na verdade foi mais uma intentona religiosa do que realmente política.

 ver·editar Economia
Dois Irmãos e Praia do Sancho, em Fernando de Noronha.

O imenso litoral com praias belíssimas -- muitas intocadas -- que são somente comparadas as do Caribe, colocam o Nordeste do Brasil entre as grandes rotas de turismo no mundo, milhões de turistas desembarcam nos modernos aeroportos nordestinos. Há alguns anos os estados vêm investindo intensamente na melhora da infra-estrutura, criação de novos pólos turísticos, e alguns no desenvolvimento do ecoturismo. O ecoturismo ainda é pouco "explorado" no Nordeste, mas tem grande potencialidade, dentre os roteiros estão as trilhas da Mata Atlântica e a Serra da Capivara no Piauí, este que é um dos principais parques arqueológicos do país.

A cultura da região é, também, um grande atrativo para o turista, todos os estados tem folguedos e tradições diferentes. Olinda, São Luís e o Pelourinho -- em Salvador -- são os grandes atrativos culturais da região, sendo considerados Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO.

O arquipélago de Fernando de Noronha -- com suas ilhas e praias de águas límpidas e cristalinas -- também está ganhando destaque nacional e mundial, pelas ilhas é possível avistar os golfinhos saltadores que são uma atração à parte. Outro lugar de destaque são os Lençóis Maranhenses, um complexo de dunas, rios, lagoas e manguezais.

 ver·editar Vegetação

A vegetação nordestina é bastante pobre e diversificada, vai desde a Mata Atlântica no litoral à Mata dos Cocais no Meio-Norte, ecossistemas como os manguezais, a caatinga, o cerrado, as restingas, dentre outros, possuem fauna e flora exuberantes, diversas espécies endêmicas, uma boa parte da vida no planeta e animais ameaçados de extinção.

Carnaúbas em Quixeré/CE, aquela que é uma das espécies mais importantes da Mata dos Cocais.
  • Caatinga: Vegetação típica do sertão, suas principais espécies são o pereiro, a aroeira, o aveloz e as cactáceas. É uma formação de vegetais xerófitos (vegetais de regiões secas), mas é muito rica ecologicamente.
  • Vegetação Litorânea e Matas Ciliares: Por último, mas não menos importante. Na categoria de vegetação litorânea podemos incluir os mangues, que é um riquíssimo ecossistema, local de moradia e reprodução dos caranguejos e importante para a preservação de rios, lagoas; também podemos incluir as restingas e as dunas que são cenários bem conhecidos do Nordeste; Já as matas ciliares ou matas-galerias são comuns em regiões de cerrados, mas também podem ser vistas na Zona da Mata, são pequenas florestas que acompanham as margens dos rios, onde existe maior concetração de materiais orgânicos no solo, funcionam como uma proteção para os rios e mares.
 ver·editar Imagem em Destaque
Recife Antigo. Ao fundo, Boa Viagem.
.
 ver·editar Região Geoeconômica do Nordeste
Mapa da Região geoeconômica Nordeste do Brasil.

A Região geoeconômica do Nordeste do Brasil é a área de povoamento mais antigo e atualmente é a segunda do país em população (42.822.100 habitantes em 1990). Tem uma área de apriximadamente 1.542.271 km². Inclui todo o Nordeste da divisão oficial (menos a metade oeste do Maranhão) e o norte de Minas Gerais onde se localiza a região do Vale do Jequitinhonha.

A maior parte de seu território é formada por extenso planalto, antigo e aplainado pela erosão. Em função das diferentes características físicas que apresenta, a região encontra-se dividida em quatro sub-regiões: meio-norte, zona da mata, agreste e sertão.

 ver·editar Esporte
2116RP037.jpg
Estádio Octávio Mangabeira, a Fonte Nova, foi um estádio de futebol da cidade de Salvador (Bahia), de propriedade do governo do estado da Bahia e que é utilizado pelos principais clubes do estado. Sua capacidade atual é de 80 mil pessoas.

Foi inaugurado em 1951, no jogo Botafogo-BA 1 a 1 Guarany-BA. O primeiro gol no estádio foi marcado por Nélson, pelo Botafogo.

 ver·editar Temas
 ver·editar Curiosidades

...você sabia que...

Esse feito foi conquistado com o acesso da Série C para Série B, em 2005 e da Série B para Série A em 2006.

 ver·editar Projetos
 ver·editar Predefinições
{{Portal-Nordeste-BR}}
{{Região Nordeste do Brasil}}