Porto do Mucuripe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Porto do Mucuripe
Detalhes
Extensão do cais 1.054 m
Armazéns 30.000

O Porto do Mucuripe ou Porto de Fortaleza, como é mais conhecido, é um porto da cidade de Fortaleza, no Ceará, no Brasil. Para navegação através de Carta Náutica, utiliza-se a carta Nº 701 elaborada pela Diretoria de Hidrografia e Navegação - DHN, da Marinha do Brasil. O Porto do Mucuripe é um dos principais portos da navegação de cabotagem do Brasil em movimentação de cargas. Segundo muitos historiadores, a Ponta do Mucuripe teria sido o primeiro local de desembarque de europeus no atual território brasileiro. No caso, o desembarque da expedição espanhola de Vicente Yáñez Pinzón, em janeiro de 1500[1] .

História[editar | editar código-fonte]

A Ponta do Mucuripe é um dos locais mais citados pelos historiadores como tendo sido o local de desembarque da expedição de Vicente Yáñez Pinzón em janeiro de 1500. Segundo os historiadores, Pinzón, ao perceber que o local pertencia a Portugal e não à Espanha, de acordo com o Tratado de Tordesilhas, teria zarpado e seguido viagem no sentido oeste, para a foz do Rio Amazonas, região esta formalmente pertencente à Espanha.

Situado na enseada do Mucuripe desde a década de 1950, o Porto de Fortaleza é rico em histórias, ideias e projetos.

O primeiro projeto de porto para Fortaleza surgiu em 1870 pelas mãos de Charles Neate. Seu projeto consistiu na construção de um quebra-mar e sistemas auxliares para a atracação de navios na costa no históricos local da Prainha, ao lado direito da foz do Riacho Pajeú, próximo a Fortaleza de Nossa Senhora de Assunção, onde hoje existe a Praia de Iracema. Neste local foram construídos vários trapiches desde 1804. Em 1875, teve início a construção do projeto de Neate por sir John Hawkshaw. No ano de 1883, teve início a construção do quebra-mar, armazéns, Prédio da Alfândega de Fortaleza. A construção da Ponte Metálica aconteceu entre 1902 e 1906. A famosa Ponte dos Ingleses foi construída em 1921.

Como o local escolhido e no qual foi construído mostrou-se inviável às atividades portuárias, foram feitos estudos e projetos para um novo local para o Porto de Fortaleza.

Em 1908, uma comissão chefiada pelo engenheiro Manoel Carneiro de Souza Bandeira começou uma minuciosa e completa pesquisa na Prainha e na Enseada do Mucuripe, para levantamentos topohidrográficos e para estudo do regime dos ventos, das marés, das correntes e dos movimentos das areias.

Já em 1910, foi publicado relatório apresentando os resultados de todos os trabalhos realizados e do estudo para desenvolvimento de um projeto de melhoramento da estrutura portuária.

Em 1929, o Departamento de Portos, Rios e Canais tinha planos de realizar estudos sobre o porto de Fortaleza. Esta tarefa coube ao engenheiro Augusto Hor Meyll. Com base nos estudos feitos em Fortaleza, o Dr. Hor Meyll apresentou, a 21 de janeiro de 1930, o seu projeto de construção do porto de Fortaleza na enseada de Mucuripe. A enseada do Mucuripe oferecia vantagens extraordinárias, inclusive o fato que esta localiza-se seis quilômetros da capital. Na época Meyll diz em frase que ficou famosa [1]: "Ou temos o porto na Enseada de Mucuripe, ou nunca teremos um porto em Fortaleza."

Getúlio Vargas, com o Decreto-Lei 544, de 7 de julho de 1938, decidiu sobre a localização do novo porto de Fortaleza definindo a Enseada do Mucuripe como o novo local.

No ano seguinte, 1939, foi instalado o canteiro de obras para construção do primeiro trecho de cais. Foram construidos 426 metros de cais acostável ao Porto de Fortaleza pela Companhia Nacional de Construções Civis e Hidráulicas.

Em 1952, foram construídos os armazéns A-1 e A-2.

Em 1953, deu-se a atracação do Vapor Bahia, primeiro navio a atracar no novo porto.

No decorrer do ano de 1964, deu-se a construção do armazém A-3, bem como foram iniciados os trabalhos de construção da estação de passageiros, do muro de fechamento e do cais 8 metros de profundidade.

Em 1968, foram inaugurados o armazém A-4, o prolongamento do cais de 10 metros de profundidade e a estação de passageiros.

Na década de 1980, em 1980, foi inaugurado o cais pesqueiro; em 1982, foi inaugurado o píer petroleiro do porto e, em 1984, o armazém A-5.

Com o porto ao fundo, podem-se ver as torres eólicas à esquerda e navios atracados no centro, assim como os moinhos de trigo. Na direita da foto, as embarcações pesqueiras e jangadas do Mucuripe.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. BUENO, E. Brasil: uma História. Segunda edição. São Paulo: Ática, 2003. p.40

Ligações externas[editar | editar código-fonte]