Posse de Dilma Rousseff

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Posse de Dilma Rousseff
Dilma Rousseff presta juramento no plenário do Congresso, ao tomar posse como presidente da República Federativa do Brasil.
Participantes Presidente do BrasilDilma Rousseff
Assumindo o cargo
Vice-presidente do BrasilMichel Temer
Assumindo o cargo
Presidente do BrasilDilma Rousseff
Deixando o cargo
Presidente do BrasilLula da Silva
Localização Brasil Brasília:
Catedral de Brasília
Congresso Nacional
Palácio do Planalto
Palácio Itamaraty
Data 1 de janeiro de 2011

Dilma Rousseff tomou posse a 1 de janeiro de 2011 como 36.ª presidente da República Federativa do Brasil, e como a primeira mulher a assumir o cargo no país. Em cerimônia iniciada às 14 horas (horário local), no plenário do Congresso Nacional, em Brasília. Ela foi empossada juntamente com o vice-presidente, Michel Temer. A cerimônia foi conduzida pelo então presidente do Senado Federal, José Sarney. A presidente eleita leu o compromisso oficial de "manter, defender e cumprir a Constituição, observar as leis, promover o bem geral do povo brasileiro, sustentar a união, a integridade e a independência do Brasil". O vice-presidente, Michel Temer, leu o mesmo termo de posse e em seguida foi ouvido o hino nacional na execução da banda dos fuzileiros navais.[1]

Planejamento[editar | editar código-fonte]

Segurança[editar | editar código-fonte]

A presidente Dilma Rousseff passa em revista as tropas do Exército, Marinha e Aeronáutica, ato no qual é reconhecida como comandante-em-chefe das Forças Armadas do Brasil.

No evento da posse, no desfile no Rolls-Royce Silver Wraith oficial da presidência da república em carro fechado devido ao mal-tempo que segue da Catedral de Brasília ao Congresso Nacional, planejou-se que a segurança contaria com cerca de 2620 agentes da Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal. No Congresso, onde a posse foi realizada, mais de mil policiais e militares se encarregaram da segurança da presidente eleita e dos convidados. Desse total, 400 homens são soldados do Exército, da Marinha e da Força Aérea.[2]

Eventos programados[editar | editar código-fonte]

O dia da posse contou com apresentações ao vivo, na frente do Planalto, de cinco cantoras brasileiras: Elba Ramalho, Fernanda Takai, Mart'nália, Zélia Duncan, e Gaby Amarantos.[3] Além disso, o Ministério da Cultura instalou tendas no gramado do Eixo Monumental para apresentações de cultura popular,[4] e 25 grupos de cultura de todas as regiões do país fizeram apresentações durante a manhã e a tarde.[3]

Discurso de posse[editar | editar código-fonte]

A presidente empossada Dilma Rousseff discursa ao povo no parlatório do Palácio do Planalto, ao lado do vice Michel Temer e de sua esposa, Marcela Temer.

No seu discurso de posse, Dilma declarou seu compromisso de erradicar a miséria no Brasil e de criar oportunidades para todos. Ela também enfatizou a importância da eleição de uma mulher para o cargo e desejou que esse fato abrisse as portas para outras mulheres no futuro. Prosseguiu agradecendo ao ex-presidente Lula e fez menção especial a José Alencar, que não pôde comparecer à posse devido à internação hospitalar. Completou seu pronunciamento lembrando que ainda era preciso uma longa evolução do país nos aspectos político e econômico, ressaltando também a relevância do Brasil no cenário internacional.[5]

Transmissão televisiva[editar | editar código-fonte]

A presidente eleita, Dilma Rousseff, chega à Esplanada dos Ministérios para cerimônia de posse.
A presidente Dilma Rousseff e o vice Michel Temer sobem a rampa do Palácio do Planalto.

Um pool de imagens foi fornecido a todas as emissoras, com os passos do trajeto de Dilma e cenas em ambientes internos. O evento foi transmitido integralmente, ou pelo menos em flashes, por boa parte das emissoras brasileiras, como Globo, SBT, Record, Band, TV Cultura, TV Gazeta, TV Brasil, RedeTV!, TV Canção Nova, Globo News, NBR, TV Câmara, TV Senado, TV Justiça, Canal do Boi, BandNews, Boa Vontade TV (retransmitindo o sinal da TV Brasil), CNT, entre outras.[6]

As principais emissoras de TV da Argentina também transmitiram ao vivo a cerimônia de posse de Dilma e do vice, Michel Temer. A cobertura destaca o fato de Dilma ser a primeira mulher presidente do Brasil e o elevado índice de popularidade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A posse também foi destaque de todos os sites de jornais.[7]

A imprensa da Bulgária também veio ao país a fim de cobrir a cerimônia de posse da presidente Dilma Rousseff. O interesse está relacionado ao fato de o pai dela ter nascido naquele país e vindo para o Brasil.[8]

Cobertura de emissoras brasileiras[editar | editar código-fonte]

Todas as emissoras do Brasil apresentaram programação diferenciada em razão da posse[9] [10] .

A Rede Globo mobilizou 200 profissionais, incluiu câmeras exclusivas e apresentou 2 de seus telejornais diários diretamente de Brasília, o Jornal Hoje e o Jornal Nacional[11]

A Rede Record promoveu alterações em sua grade para veicular todos os detalhes da chegada da primeira mulher ao cargo da presidência da República. A cobertura começou às 13h, se estendendo até às 18h30. Excepcionalmente neste dia, o Esporte Fantástico e o Cine Aventura não foram ao ar. Às 18h30, foi ao ar O Melhor do Brasil, que cessa sua transmissão às 23h45, tendo o Jornal da Record exibido em um grande intervalo de 20h às 20h30.[12]

O SBT escalou Carlos Nascimento para ancorar o SBT Brasil de Brasília, em edição especial. Uma equipe de 60 pessoas da emissora estava a postos durante todo o dia para flashes ao vivo da cerimônia, o que acabou ganhando um maior foco de cobertura, que se estendeu durante boa parte da tarde, e não apenas nos flashes que eram esperados.

A Band pôs Ricardo Boechat, Joelmir Beting e Bóris Casoy em estúdio para comandar de São Paulo toda a cobertura, a cargo de Fábio Panunzio, em Brasília e,às 17h com uma edição especial do Jornal da Band.

A RedeTV! escalou 30 profissionais em Brasília com o mesmo propósito e prevê breves interrupções na programação convencional, mais edição especial do RedeTV! News.

Na Gazeta, a ancoragem da cobertura cabe a Silvia Corrêa, com seis entradas ao vivo de 15 minutos cada, incluindo imagens das posses do governador Geraldo Alckmin e da presidente Dilma Rousseff.

Corte da Globo[editar | editar código-fonte]

Quando Dilma iria cumprimentar a cúpula da Rede Record entre eles o Bispo Macedo, a rede Globo cortou o sinal momentos antes e no horário preferiu colocar imagens de arquivos do Caldeirão do Huck. Já a Globo News, que também faz parte das Organizações Globo, mostrou o começo da chegada de Edir e de Alexandre Raposo, presidente da Record, que foi nomeado como "agente do cerimonial", mas momentos depois a emissora de notícias cortou o link ao vivo quando o Bispo estava apertando a mão de Dilma para no lugar mostrar o avião que o até então presidente Lula iria usar para voltar para São Paulo. Segundo a direção da Globo, não foi a intenção de cortar de propósito a hora dos líderes da Record na posse da presidente e que o horário já estava previsto, bem como feito em 2002 de interromper as transmissões logo após o discurso no planalto.[13] [14]

Presença de líderes mundiais[editar | editar código-fonte]

A presidente Dilma Rousseff recebe a faixa presidencial de Lula, no parlatório do Palácio do Planalto.

Ao todo, 47 líderes estrangeiros (destes, 23 são chefes de estado dos países)[15] assistiram à posse de Dilma Rousseff.[16] [17] O único lider latino-americano que não foi convidado a participar da cerimônia foi o presidente de Honduras, Porfírio Lobo.[18]

Algumas ausências foram notadas, como a do presidente da Bolívia, Evo Morales, que, embora tivesse confirmado presença, preferiu não deixar seu país, devido aos protestos da população contrária a algumas medidas econômicas por ele tomadas.[19] A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, avisou ao Itamaraty que não estaria presente, mas enviou o chanceler Héctor Timerman para representá-la.[20] Nicolas Sarkozy, presidente da França, também não esteve na posse de Dilma Rousseff. Ele desmarcou o compromisso e resolveu mandar o Ministro da Defesa de seu país, Alain Juppé, em seu lugar, já que a França negociava a venda de caças para as forças armadas do Brasil.[21]

As autoridades de outros países que estiveram na cerimônia de posse foram:

América
África
Ásia
Europa

Galeria dos convidados[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Dilma Rousseff e Michel Temer são empossados presidente e vice. Portal G1, acesso em 1º de janeiro de 2011.
  2. "Brasília blindada na festa de Dilma". Correio da Manhã. Acesso em 31 de dezembro, 2011. (em português).
  3. a b http://www.portogente.com.br/texto.php?cod=38200
  4. (em português) Andrade, Cláudia (Terra). "Festa da posse custará R$ 1,5 mi". Blog do Noblat. 20 de dezembro de 2010.
  5. 'Luta obstinada' será contra pobreza, diz Dilma em discurso de posse Portal G1, acesso em 1º de janeiro de 2011.
  6. Emissoras preparam grande cobertura da posse de Dilma Rousseff
  7. TVs argentinas transmitem posse de Dilma ao vivo
  8. Imprensa da Bulgária vai acompanhar posse da presidente Dilma
  9. Emissoras preparam grande cobertura da posse de Dilma Rousseff
  10. Redes de TV devem interromper programação para transmissão de posse de Dilma
  11. Posse de Dilma mobiliza 200 profissionais na Globo
  12. Record muda grade para cobrir posse de Dilma Rousseff
  13. Globo corta Edir Macedo na posse de Dilma adnews.com.br.. Página visitada em 09/01/2011.
  14. Globo corta Edir Macedo na transmissão da posse de Dilma Roussef; emissora explica natelinha.uol.com.br. UOL. Página visitada em 09/01/2011.
  15. Notícia dada no SBT durante cobertura - 01/01/2011, 17h05
  16. Dilma Roussef toma posse diante de 50 líderes mundiais
  17. Líderes sul-americanos serão maioria
  18. Porfirio Lobo é o único líder latino-americano não convidado a cerimônia de posse de Dilma
  19. Em meio a protestos na Bolívia, Morales falta à posse de Dilma Diário do Grande ABC (1 de janeiro de 2011). Página visitada em 1 de janeiro de 2011.
  20. Itamaraty diz que 47 autoridades estrangeiras confirmam presença em posse de Dilma Portal da Presidência (28 de dezembro de 2010). Página visitada em 1 de janeiro de 2011.
  21. Hillary Clinton, Evo Morales e Nicolas Sarkozy não irão à posse de Dilma BOL Notícias (1 de janeiro de 2011). Página visitada em 1 de janeiro de 2011.
  22. Renata Giraldi; Luciana Lima (1 de janeiro de 2011). Piñera diz que Dilma garantiu que manterá "relações profundas" com o Chile Agência Brasil. Página visitada em 1 de janeiro de 2011.
  23. Renata Giraldi (1 de janeiro de 2011). Presidente da Colômbia se diz confiante na gestão Dilma Agência Brasil. Página visitada em 1 de janeiro de 2011.
  24. Vice-presidente chefia delegação cubana na posse de Dilma.
  25. Presidente salvadorenho virá ao Brasil para posse de Dilma.
  26. Claudia Andrade; Luciana Cobucci (1 de janeiro de 2011). Dilma chega ao Itamaraty e é recebida com aplausos Terra Notícias. Página visitada em 1 de janeiro de 2011.
  27. Colom passará fim de ano no Brasil para assistir a posse de Dilma.
  28. Dilma leva mais tempo com Hillary, Chávez, Mujica e Lugo Diário do Grande ABC (1 de janeiro de 2011). Página visitada em 1 de janeiro de 2011.
  29. Presidente uruguaio virá para posse e se reunirá com Dilma.
  30. Chávez diz estar 'feliz' com posse de Dilma e se declara feminista.
  31. Primeiro-ministro da Coreia do Sul virá ao Brasil para posse de Dilma.
  32. Carolina Pimentel (1 de janeiro de 2011). Dilma recebe líderes internacionais no primeiro dia de trabalho Agência Brasil. Página visitada em 1 de janeiro de 2011.
  33. Líder palestino chega ao Brasil para assistir posse de Dilma.
  34. Armenian foreign minister leaves for South America News.am (31 de dezembro de 2010). Página visitada em 5 de dezembro de 2011.
  35. Imprensa da Bulgária vai acompanhar posse da presidente Dilma Rádio Tupi AM (1 de janeiro de 2011). Página visitada em 1 de janeiro de 2011.
  36. Príncipe das Astúrias chega ao Brasil para posse de Dilma Terra Notícias (1 de janeiro de 2011). Página visitada em 1 de janeiro de 2011.
  37. França vai enviar ministro da Defesa para a posse de Dilma.
  38. Primeiro-ministro português chega para posse de Dilma.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Posse de Dilma Rousseff