Prélude à l'après-midi d'un Faune

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Fauno de Magnus Enckell, 1914.

Prélude à l'après-midi d'un Faune (Prelúdio à Tarde de um Fauno) é um Poema Sinfônico composto por Claude Debussy, músico clássico francês, entre 1892 e 1894, baseado em um poema de Stéphane Mallarmé. Sua estréia se deu em Paris na Société Nationale de Musique , no dia 22 de dezembro de 1894 sob a direção de Gustave Doret. Alguns críticos consideram sua apresentação como marco inicial da música moderna. É uma obra considerada um dos expoentes da música impressionista.

A Obra[editar | editar código-fonte]

A música é baseada no poema "L'Après-midi d'un faune" de Stéphane Mallarmé, escrito em 1865 e publicado em 1876, com ilustrações do pintor impressionista francês, Édouard Manet. O poema conta a história, em um clima sensual, de um fauno que toca sua flauta nos bosques e fica excitado com a passagem de ninfas e náiades, tentando alcançá-las em vão. Então, muito cansado e fraco, cai em um sono profundo e passa a sonhar com visões que o levam a atingir os objetivos que dentro da realidade não tinha alcançado.

A música de Debussy e a poesia de Mallarmé inspiraram um balé, criado por Vaslav Nijinski em 1912, revolucionário para a época por sua sensualidade.

A Criação[editar | editar código-fonte]

Debussy procurou considerar "a impressão geral do poema" ilustrada por instrumentos que realçam e colorem as emoções e as impressões das passagens invocadas. Segundo o autor "…São na verdade sucessivos cenários por onde se movem os desejos e os sonhos do fauno no calor da tarde". Debussy denominou a esta peça de "Prelúdio" porque tencionava escrever uma suíte (prelúdio, interlúdio e parafrase final). Porém, nunca o fez, ficando só a primeira parte.

A Execução[editar | editar código-fonte]

  • Prélude à l'après-midi d'un Faune (Prelúdio à Tarde de um Fauno) - très modéré - duração: 10 minutos (aproximadamente).

A orquestra é formada por: três flautas, dois oboés, um corne-inglês, dois clarinetes, dois fagotes, quatro cornetas de pistão, duas harpas, e instrumentos de cordas (violinos, violas, violoncelos, contrabaixos).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Thomas Munro: 'L'après-Midi d'un Faune' et les relations entre les arts. In: Revue d'Esthétique, V (1952), 226-243.
  • Jean-Michel Nectoux: L'Après-midi d'un Faune : Mallarmé, Debussy, Nijinsky. Les Dossiers du Musée d'Orsay, N°29 (Ausstellungskatalog), Paris 1989.
  • Hendrik Lücke: Mallarmé - Debussy. Eine vergleichende Studie zur Kunstanschauung am Beispiel von "L'Après-midi d'un Faune". Studien zur Musikwissenschaft, Bd. 4. Hamburg 2005, ISBN 3-8300-1685-9.