Prêmio Gandhi da Paz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Prêmio Gandhi da Paz (em inglês: International Gandhi Peace Prize), homenagem ao Mahatma Gandhi, é concedido anualmente pelo governo indiano.

Como tributo aos ideais defendidos por Gandhi, o governo indiano instituiu o Prêmio Gandhi da Paz em 1995, por ocasião das celebrações do 125º aniversário do nascimento do Mahatma Gandhi. Este é um prêmio anual concedido a indivíduos e instituições por suas contribuições a transformações sociais, econômicas e políticas mediante a não-violência e outros métodos gandhianos. O prêmio consiste em um valor monetário de Rs 10 milhões, convertível em qualquer outra unidade monetária, uma placa e uma citação. É disponibilizado a qualquer pessoa, independente de nacionalidade, raça, credo ou sexo.

Um juri, composto pelo primeiro-ministro da Índia, pelo líder da oposição, pelo presidente do Supremo Tribunal da Índia e duas outras pessoas eminentes, decide qual o laureado do ano.

De forma ordinária, somente propostas emanadas de pessoas competentes convidadas para a nomeação são consideradas. Contudo, as propostas não são invalidadas somente por decisão do juri, caso não provenientes das tais pessoas competentes. Se, contudo, for considerado que nenhuma das propostas é meritória, o juri é livre para deliberar sobre a não concessão do prêmio para o ano em questão. Somente realizações ocorridas nos dez anos anteriores a premiação anual em questão são consideradas; um trabalho anterior pode ser considerado, caso sua significância não tenha sido aparente no curto prazo. Uma obra escrita, para que seja elegível, necessita obrigatoriamente ter sido publicada.[1]

Laureados[editar | editar código-fonte]

Ano Nome Descrição
1995 Julius Nyerere[2] Primeiro presidente da Tanzânia
1996 A. T. Ariyaratne[3] Fundador do Movimento Sarvodaya Shramadana
1997 Gerhard Fischer[4] [5] Diplomata alemão, reconhecido por seu trabalho pela erradicação da lepra a poliomielite
1998 Missão Ramakrishna[6] Fundada por Swami Vivekananda, pela promoção do bem-estar social, tolerância e não-violência entre grupos desfavorecidos
1999 Baba Amte[7] [8] Assistente social
2000 Nelson Mandela[9] Ex-presidente da África do Sul[10]
2000 Grameen Bank[11] Fundado por Muhammad Yunus
2001 John Hume[1] [12] Político norte-irlandês
2002 Bharatiya Vidya Bhavan[13] Organização educacional que enfatiza a cultura indiana
2003 Václav Havel[14] Último presidente da Tchecoslováquia e o primeiro presidente da República Tcheca
2004 Coretta King[15] Viúva de Martin Luther King
2005 Desmond Tutu[16] Clérico e ativista sulafricano

Referências