Prêmio da Música Brasileira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Prêmio da Música Brasileira
Apresentação Vários
Local Theatro Municipal, Rio de Janeiro
País  Brasil
Primeira cerimónia 1987
Última cerimónia 2013
Página oficial

O Prêmio da Música Brasileira é uma premiação da música popular brasileira[1] , sendo a de maior longevidade.[carece de fontes?] Idealizado em 1987 por José Maurício Machline, a premiação inicialmente era conhecida pelos nomes de seus patrocinadores.[2]

Já se chamou Prêmio Sharp[2] , Prêmio Caras e Prêmio TIM de Música[2] , até assumir a denominação atual.

História[editar | editar código-fonte]

O prêmio inicialmente foi patrocinado pela Sharp, daí ser conhecido inicialmente como Prêmio Sharp de Música Brasileira, desde sua criação, em 1987, até 2002[2] , sendo que em 1995, a Sharp criou também um prêmio para excelência no teatro brasileiro.[3] No entanto, quando o Prêmio Sharp de Música iria para sua 12ª edição, e o Prêmio Sharp de Teatro, para sua quinta edição, em 1999, a crise mundial daquele ano impediu que a cerimônia fosse realizada. A lista dos vencedores chegou a ser divulgada, mas estes receberam apenas um prêmio simbólico, sem a festa de entrega.[3]

A partir de 2002, transformou-se em Prêmio Caras, patrocinado pela revista de mesmo nome. Um ano depois, virou o Prêmio TIM, sendo patrocinado pela operadora telefônica TIM, ficando conhecido como Prêmio TIM de Música. Em 2009 o prêmio teve produção independente e contou com o apoio de toda a classe artística brasileira.[2]

A partir de 2009, em sua vigésima edição, ganha o nome definitivo de Prêmio da Música Brasileira, e em 2010 segue com o mesmo nome, tendo como patrocinadora a Vale.[4]

O prêmio[editar | editar código-fonte]

O Prêmio da Música Brasileira tem, de acordo com seus criadores, dois objetivos: premiar a variedade imensa de manifestações musicais do país, incentivando a descoberta de novos talentos, e propiciar encontros produtivos entre as várias tendências da música contemporânea nativa procurando a mais alta qualidade em todas as vertentes da nossa música.[carece de fontes?]

O projeto se destaca desde sua criação pela relevância no contesto cultural e foi apoiado/patrocinado por nomes como Sharp, TIM, a revista Caras e em 2010, a Vale.[4]

A votação é realizada por um corpo de jurados formado por nomes representativos da diversidade musical, e a eleição do premiado em cada categoria se baseia estritamente no mérito artístico de cada artista e/ou obra. Por fim, cada edição homenageia os nomes considerados importantes na MPB da atualidade e do passado.[2]

Homenageados de cada edição[editar | editar código-fonte]

Cada edição da premiação apresenta um artista de destaque da nossa música como homenageado. A partir de 2003, o prêmio passa a premiar, alternadamente, um artista vivo e um já falecido.

Conselho do prêmio[editar | editar código-fonte]

O prêmio conta com um conselho permanente de oito personalidades ligadas à cultura brasileira, todos com poder de voto e responsáveis pelas diretrizes da premiação. São eles: Gilberto Gil, João Bosco, Zuza Homem de Mello, Carla Grasso, Zé Maurício Machline, Wanderlea, Antônio Carlos Miguel e Paulo Moura.

Referências

  1. Marcela Ribeiro (14/05/2014). Prêmio da Música Brasileira homenageia Jair Rodrigues, Dominguinhos e Rossi. Visitado em 16/09/2014.
  2. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z aa ab ac História. Visitado em 21/09/2014. Cópia arquivada em 16/10/2013.
  3. a b Diário do Grande ABC (3 de junho de 1999). Falta de parceiros ameaça Prêmio Sharp. Visitado em 21/09/2014. Cópia arquivada em 21/09/2014.
  4. a b c d Vale do Rio Doce. Patrocinado pela Vale, o 25º Prêmio da Música Brasileira homenageia o samba. Visitado em 21/09/2014.
  5. Junior Soares. 25º Prêmio da Música Brasileira. Visitado em 21/09/2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]