Príncipe Caspian

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Este é o livro. Se procura a personagem, consulte Caspian X. Se procura o filme, consulte The Chronicles of Narnia: Prince Caspian


Prince Caspian
Príncipe Caspian
Spanish Conqueror Helmet.jpg
Aslam revela que os telmarinos são descendentes de piratas.
Autor (es) C.S. Lewis
Idioma Inglês
País Reino Unido Reino Unido
Género Fantasia, Ficção
Série As Crônicas de Nárnia
Ilustrador Pauline Baynes
Tradutor Brasil Paulo Mendes Campos
Editora Brasil Martins Fontes
Portugal Presença
Lançamento 1951
Cronologia
Último
Último
O Cavalo e seu Rapaz (ordem cronológica)
O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa (ordem de publicação)
A Viagem do Peregrino da Alvorada (ordem cronológica e de publicação)
Próximo
Próximo

Príncipe Caspian (no original em inglês: Prince Caspian) é um livro escrito em 1951 pelo escritor C.S. Lewis. É o segundo livro da série As Crônicas de Nárnia a ser publicado, mas o quarto na ordem sugerida de leitura. Também já foi publicado com o título O Príncipe e a Ilha Mágica.

Relata a volta dos quatro irmãos Pevensie (Pedro, Susana, Edmundo e Lúcia) ao mundo de Nárnia. Eles estiveram presentes no enredo do livro anterior (O Leão, A Feiticeira e o Guarda-Roupa).

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Neste livro são narradas as aventuras dos antigos reis e rainhas de Nárnia que voltam a esta terra magnífica a cerca de 1300 anos no tempo de Nárnia (um ano em nosso mundo) depois de terem deixado-o no final do livro O Leão, A Feiticeira e o Guarda-Roupa. No período em que os quatro irmãos Pevensie (os Antigos Reis) estão fora de Nárnia, esta é invadida pelos telmarinos.

Os verdadeiros habitantes de Nárnia (animais falantes e criaturas mitológicas) tiveram que se esconder fora do território conquistado pelos telmarinos, mas o príncipe Caspian, detentor do direito de sucessão ao trono de Telmar (e, por conseguinte, de Nárnia), gostaria de reviver a antiga forma de viver em Nárnia. Para isso irá contar com a ajuda dos antigos reis invocados do nosso mundo através da trompa mágica que Susana havia recebido, e também com a ajuda do leão Aslam.

Os telmarinos não pertencem ao mundo de Nárnia. Eles são, na verdade, piratas do nosso mundo que se perderam em uma ilha, e nesta ilha encontraram uma caverna mágica que levava ao mundo de Nárnia. Telmar fica ao Oeste de Nárnia, e os telmarinos só invadem esta última quando Telmar passa por uma grande escassez de alimentos.

Apesar de também ser telmarino, o príncipe Caspian gostava muito de ouvir histórias sobre a antiga Nárnia da época de ouro. Naqueles dias seu tio Miraz era rei por ter deposto o pai de Caspian, o rei Caspian IX, através de manobras políticas e golpes planejados. Como Miraz não tinha filhos, ele se cuidava para que o príncipe Caspian não o sucedesse no trono.

Certo dia Miraz conseguiu ter um filho legítimo, o que obrigou o príncipe Caspian a fugir, levando ele de encontro aos antigos habitantes de Nárnia, que vêem nele a figura do verdadeiro rei. Organizam então uma batalha contra os telmarinos, mas só vencem quando chega a ajuda dos antigos reis e rainhas de Nárnia, e do próprio Aslam. A guerra entre telmarinos e narnianos dura vários dias, até que os antigos reis chegam para ajudar.

Mesmo assim, os telmarinos, que têm medo de árvores, só concordam em deixar Nárnia depois de ver um batalhão de espíritos de árvores despertas marchando na direção deles. Então o príncipe Caspian assume o trono como rei. Aslam diz então que Susana e Pedro já estão grandes demais para voltar à Nárnia, mas Edmundo e Lúcia ainda voltariam mais uma vez conforme é relatado em A Viagem do Peregrino da Alvorada.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Capítulos[editar | editar código-fonte]

Brasil - Editora Martins Fontes Ltda.
  • 01 - A Ilha
  • 02 - A Casa do Tesouro
  • 03 - O Anão
  • 04 - O Anão Conta a História do Príncipe Caspian
  • 05 - As Aventuras de Caspian nas Montanhas
  • 06 - O Esconderijo dos Antigos Narnianos
  • 07 - A Antiga Nárnia em Perigo
  • 08 - A Partida da Ilha
  • 09 - O Que Lúcia Viu
  • 10 - O Retorno do Leão
  • 11 - O Leão Ruge
  • 12 - Magia Negra e Repentina Vingança
  • 13 - O Grande Rei Assume o Comando
  • 14 - Confusão Geral
  • 15 - Aslam Abre uma Porta no Ar
Inglaterra - HarperCollins Publishers Ltd.
  • 01 - The Island
  • 02 - The Ancient Treasure House
  • 03 - The Dwarf
  • 04 - The Dwarf Tells of Prince Caspian
  • 05 - Caspian's Adventure in the Mountains
  • 06 - The People That Lived in Hiding
  • 07 - Old Narnia in Danger
  • 08 - How They Left the Island
  • 09 - What Lucy Saw
  • 10 - The Return of the Lion
  • 11 - The Lion Roars
  • 12 - Sorcery and Sudden Vengeance
  • 13 - The High King in Command
  • 14 - How All Were Very Busy
  • 15 - Aslan Makes a Door in the Air

Filme[editar | editar código-fonte]

Uma adaptação cinematográfica do livro foi produzida pela Disney e Walden Media nos moldes do filme adaptado do livro Príncipe Caspian. Isso dá cotinuidade para a série de filmes The Chronicles of Narnia, baseada na série de livros. A direção do filme é de Andrew Adamson como no anterior, e a estréia no Brasil ocorreu em 30 de maio de 2008.

Temas cristãos[editar | editar código-fonte]

Assim como nos outros livros da série As Crônicas de Nárnia, há temas cristãos emprestados pelo autor e ilustrados no decorrer da narrativa.

Um dos temas abordados neste livro é a apostasia na forma dos telmarinos conquistadores que tentam eliminar os narnianos originais e seus costumes, além de viverem sob o medo do mar pois é dele que Aslam aparece. Outro tema abordado é a fé em um Deus que é invisível, pois as crianças (exceto Lúcia) inicialmente não conseguem ver Aslam quando ele faz a sua primeira aparição, mas conseguem vê-lo depois quando acreditam que Lúcia o está vendo.

Outro dos temas centrais do livro diz respeito à fé e às atitudes dos narnianos, principalmente do Príncipe Caspian, o qual, não crendo/dependendo do auxílio de Aslam (que no livro aparece como um mito, como muitos entendem o Deus cristão hoje), busca libertar Nárnia por suas próprias mãos. Falhando sempre, só vence quando reconhece sua incapacidade de fazê-lo, e quando admite a sua necessidade de Aslam, já que é por ele e a serviço dele que devem lutar (e não por Nárnia).

No filme adaptado por Andrew Adamson, a Feiticeira Branca reaparece e diz que para reviver seu corpo e espírito, precisa de uma gota de sangue do filho de Adão. Segundo a visão cristã, isso seria uma alusão a um pacto com o diabo.

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Príncipe Caspian
Ícone de esboço Este artigo sobre um livro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.