Prótese dentária removível

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
  • Prótese Dentária, a Prótese dentária removível é destinada à reposição de dentes perdidos e tecidos adjacentes através de uma prótese planejada para ser removida pelo usuário.

Classificação[editar | editar código-fonte]

:

Termos relacionados[editar | editar código-fonte]

Pilar e retentor[editar | editar código-fonte]

Os termos pilar e retentor são fundamentais para discutir prótese dentária. Pilar é qualquer dente que suporta uma prótese dentária, enquanto retentor é a porção da prótese parcial fixa ou removível que prende a prótese ao pilar. Consequentemente, o pilar é a parte da cavidade oral do paciente (p. ex., um dente ou implante), enquanto o retentor é parte de uma prótese.

Tradicionalmente, as próteses parciais fixas têm sido fixada aos pilares utilizando cimentos dentários, enquanto as próteses parciais removíveis têm sido retidas aos pilares por outros meios. Nas próteses parciais removíveis, existem dois tipos principais de retentores, chamados de retentores extracoronários e intracoronários.

Retentores extracoronários[editar | editar código-fonte]

Os retentores consistem em linguetas de metal (isto é, grampos) que se posicionam sobre a superfície de uma coroa clínica. Enquanto uma lingueta de metal é chamada de grampo de oposição. O grampo de retenção está localizado em uma área retentiva da coroa clínica e resiste ao deslocamento da prótese em direção oposta aos tecidos subjacentes mole e duro. Já o grampo de oposição está localizado em uma área não retentiva e serve como abraçamento ou elemento de estabilização para a prótese. O sistema resultante é denominado de retenção e oposição que se posiciona sobre a superfície externa do pilar.

Retentores intracoronários[editar | editar código-fonte]

Ao contrário dos retentores extracoronários, os intracoronários estão contidos inteiramente dentro dos contornos da coroa clínica. Portanto, o uso de retentores intracoronários geralmente requer a fabricação de duas ou mais coroas totais especialmente planejadas. Na maioria dos casos, a retenção intracoronária das próteses parciais removíveis depende de um exato paralelismo dos sistemas de retenção. Cada sistema consiste e duas partes, geralmente denominadas "femea" e "macho". Quando uma força de deslocamento é aplicada na prótese parcial removível, ocorre um atrito entre as paredes externas do componente fêmea. Esse atrito resulta na retenção da prótese.

Categoria[editar | editar código-fonte]

Prótese parcial removível dentosuportada[editar | editar código-fonte]

Outro método de classificação das próteses parciais removíveis relaciona-se ao tipo de suporte, que recebem suporte de dentes naturais nas extremidades do(s) espaço(s) edêntulo(s) são denominadas próteses parciais removíveis dentosuportadas. Embora a base da prótese toque os tecidos mole adjacentes, a prótese não recebe suporte vertical significante do rebordo residual.

Próteses parciais removíeis com base em extensão[editar | editar código-fonte]

A segunda categoria das prótese parciais removíveis abrange aquelas que se estendem anteriormente ou posteriormente e são suportadas por dentes apenas de um lado. Estas são chamadas próteses parciais removíeis com base em extensão o próteses parciais removíveis dentomucossuportadas. A maioria dessas são próteses parciais removíveis com extensão distal. Estas são sustentadas pelos dentes do lado anterior do espaço edêntulo e, posteriormente, pelos tecidos do rebordo edêntulo.

Provisória, transitório e de tratamento[editar | editar código-fonte]

São aplicados a tipos específicos de próteses parciais removíveis.

Provisória[editar | editar código-fonte]

Prótese parcial removível provisória é aquela planejada para melhorar a função e a estética até que uma forma definitiva de tratamento possa ser conferida.

Transitória[editar | editar código-fonte]

A prótese parcial removível transitória pode ser utilizada quando a perda de dentes adicionais é inevitável, porém a extração imediata não é conveniente ou desejável. Dentes artificiais podem ser anexados a ela assim que dentes naturais forem extraídos. Essa prótese pode ser utilizada durante o período de cicatrização e substituída por uma prótese definitiva quando as áreas de extração estivem estabilizadas.

Tratamento[editar | editar código-fonte]

Já a prótese de tratamento pode ser empregada como portadora para o material de tratamento, como revestimento de proteção para uma área cirúrgica ou como matriz para a cicatrização do tecido mole. Em alguns casos, são utilizadas em conjunto com condicionadores teciduais resilientes.

Tratamento dos pacientes parcialmente edêntulos[editar | editar código-fonte]

Quando tudo é favorável, o tratamento de escolha para um paciente parcialmente edêntulo é a inserção de uma prótese parcial fixa, enquanto o advento de implantes dentários tem proporcionado novas opções para essa modalidade de tratamento. Contudo, nem todos os pacientes são canditados a tratamento com implantes dentários. Contra-indicações dessa terapia incluem anatomia local desfavorável, doença sistêmica descontrolada, alta dose de radiação em cabeça e pescoço e risco cirúrgico extremo.

Sistema de classificação de Kennedy[editar | editar código-fonte]

O método mais amplamente usado para classificação das arcadas dentárias parcialmente edêntulas foi proposto pelo Dr. Edward Kennedy em Nova York, 1925. Embora relativamente simples, o sistema pode ser facilmenete aplicado a quase todas as condições de semi-edentulismo.

O sistema de Classificação de Kennedy é composto por quatro categorias principais, denominadas Classes I até IV. A sequencia numérica do sistema de classificação foi baseada em parte pela frequencia da ocorrência, sendo as arcadas Classe I as mais comuns e de Classe IV as mais raras.

Classe I :desdentado posterior bilateral(extremo livre) obs.:a partir dos caninos os dentes sçao chamados posteriores. Classe II:desdentado posterior unilateral. Classe III:desdentado unilateral porem com um dente posterior ao espaço desdentado. Classe IV:ausência dos dentes anteriores.

Subclasse ou Modificação[editar | editar código-fonte]

Determinada pelo numero de espaços restantes na arcada dentaria após a classificação.EX.:1 espaço (modificação ou subclasse 1),2 espaços (modificação ou subclasse 2) A classe IV é a unica que não aceita modificação. O terçeiro molar ou ciso entra na classificação somente se ele participar da prótese,servindo como pilar para a retenção de um grampo.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Prótese Parcial Removível; Rodney Phoenix, David Cagna, Charles DeFreest; Quintessence; 3ª edição; 2007.
Ícone de esboço Este artigo sobre Odontologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.