Praça da Bandeira (Campina Grande)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Vista da Praça da Bandeira. Casa de pombos à direita

A Praça da Bandeira é uma importante praça da cidade brasileira de Campina Grande. Fica no Centro da cidade.

História[editar | editar código-fonte]

A praça possui uma área de 3.550 m² e seu nome foi dado em homenagem a um dos símbolos nacionais: a Bandeira. O prefeito campinense Vergniaud Wanderley (18/12/1935 - 01/03/1938 e 20/08/1940 - 01/03/1945) fez uma série de reformas na cidade de modo a desobstruir a região central e para acomoder o hotel que queria inaugurar, o Grande Hotel. Construíu o edifício da Prefeitura Municipal e outros edifícios públicos; indenizou e mandou derrubar várias casas, criando assim ruas hoje importantes no centro da cidade e abrindo o caminho para o oeste. Essas alterações terminaram por destruir o Largo da Matriz (praça vizinha à atual catedral) e o Largo do Rosário (praça vizinha à Igreja Nossa Senhora do Rosário). O Largo da Matriz foi realmente destruído, sobrando apenas a matriz (catedral, que era vizinha à praça) no lugar, com um espaço vazio ao lado. Já a Igreja Nossa Senhora do Rosário foi indenizada e destruída, ampliando a perspectiva de crescimento da avenida. A Rua Visconde de Pelotas, que dava no largo, também foi destruída. Assim, o Largo do Rosário foi modificado, adicionando-se cafés e confeiterias, transformando-se na Praça Índios Cariris, mas tarde rebatizada de Praça da Bandeira, um novo espaço de lazer e descanso. A Praça Clementino Procópio foi construída quando a Praça da Brandeira ainda era chamada por este outro nome.

Importância[editar | editar código-fonte]

Praça da Bandeira no início do Século XX.

Atualmente, a praça serve de área de lazer e para eventos políticos e sociais. Durante O Maior São João do Mundo e o Festival de Inverno de Campina Grande, a Praça da Brandeira é utilizada como mais um local para shows e eventos.

É conhecida como "praça dos pombos" devido a grande quantidade de pombos que vivem no lugar. São tantos pombos que a prefeitura construíu várias casinhas para as aves, durante a construção da praça. É um costume local de pais e mães comprarem milho para jogar aos pombos, deixando seus filhos animados ao ver o voo de dezenas de pombos em direção à comida.

O lugar é também um ponto comum de encontro entre os estudantes dos diversos colégios que ficam no centro da cidade. Todos os dias, após o meio-dia, quando os alunos normalmente saem do colégio, a praça lota completamente.

Na Praça da Bandeira ficam três bancas de revistas e uma espécie de prédio onde antigamente se concentravam engraxates, em um secção específica do prédio. Atalmente, alguns estabelecimentos como lugares de venda de café, discos/CDs/DVDs e outras lojinhas. Há também um pequeno sebo de livros nesta praça.

Galeria de imagens[editar | editar código-fonte]