Praça da República (Recife)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Vista aérea da Praça da República, Recife.

A Praça da República é uma importante praça situada no bairro de Santo Antônio, no Recife, Pernambuco, Brasil.

Localiza-se no extremo norte do bairro, na Ilha de Antônio Vaz, sendo margeada noroeste, norte e nordeste pelo ponto de junção dos rios Capibaribe e Beberibe.

Na Praça da República estão edificados:[1]

Belas estátuas de Deusas ali estão como guardiãs do lugar.[2] São elas:

  • Ceres, a Deusa da fertilidade;
  • Diana, Deusa da Caça;
  • Flora, Deusa das Flores;
  • Juno, rainha dos deuses do Olimpo, protetora das mulheres e o casamento;
  • Minerva, Deusa das artes e Ciências;
  • Níobe, Vesta e Têmis, que são consideradas as Deusas da justiça.

Ali também se encontra um centenário baobá que - acredita-se - foi fonte de inspiração a Antoine de Saint-Exupéry, ao escrever O pequeno príncipe.[3]

História[editar | editar código-fonte]

Baobá da Praça da República.
Ao fundo, vê-se o Palácio do Campo das Princesas.
A Praça da República está localizada na Ilha de Antônio Vaz (foto).

A Praça da república já teve várias denominações.

O conde Maurício de Nassau construiu ali o Palácio de Friburgo, ou Palácio das Torres.[4] Com sua destruição, no século XVIII, o local passou a ser denominado:

  • Campo do Palácio Velho.

Depois, quando a tesouraria da Capitania de Pernambuco ali se instala, onde antes era o Palácio das Torres, passou a ser chamado:

  • Campo do Erário.

Durante a Revolução de 1817, passou a ser denominado:

  • Campo da Honra.
Foi ali, sob esta denominação, que foram executados:[2]

Com a construção do Palácio do Governo, mudou a denominação para:

  • Largo do Palácio.

Esta denominação mudou, com a visita de Dom Pedro II, para

  • Campo das Pincesas.

Finalmente, com a Proclamação da República, tomou a atual denominação.

Referências

  1. Overmundo
  2. a b FRANCA, Rubem. Monumentos do Recife. Recife: Governo do Estado de Pernambuco - Secretaria de Educação e Cultura, 1977. Il.
  3. Saint-Exupéry
  4. Fundação Joaquim Nabuco