Praça do Marquês de Pombal (Lisboa)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Praça do Marquês de Pombal
Freguesia(s): Santo António
Lugar, Bairro: Coração de Jesus
Ruas Afluentes: Avenida da Liberdade, Avenida Fontes Pereira de Melo, Avenida Joaquim António de Aguiar, Avenida Duque de Loulé, Alameda Edgar Cardoso, Parque Eduardo VII de Inglaterra, Rua Rodrigues Sampaio e Rua Braamcamp.
Área: 30 000 m2
Abertura: 1882
Nomeação: 6 de maio de 1882
Homenageado(s): Sebastião José de Carvalho e Melo, Marquês de Pombal
Designação anterior: Rotunda
Lisboa June 2013-9.jpg
Vista da Praça do Marquês de Pombal.
Toponímia de Lisboa

A Praça Marquês de Pombal situa-se entre a Avenida da Liberdade e o Parque Eduardo VII. No centro ergue-se o monumento a Marquês de Pombal, inaugurado em 1934.

Sob a praça passa o Túnel do Marquês, extenso túnel rodoviário que liga o eixo da Avenida Fontes Pereira de Melo com a auto-estrada A5 e que se destina a servir os automobilistas dos concelhos a oeste de Lisboa.

História[editar | editar código-fonte]

Outrora chamada de Rotunda, foi aqui que tiveram lugar os acontecimentos decisivos que levaram à Proclamação da República Portuguesa em 5 de Outubro de 1910.

Homenageado[editar | editar código-fonte]

A praça presta homenagem a Sebastião José de Carvalho e Melo, marquês de Pombal, estadista, que conduziu o país para a era do iluminismo, tendo governado entre 1750-77. A sua imagem, está no alto da coluna, com a mão pousada num leão (símbolo de poder), com os olhos virados para a Baixa, o centro da cidade de Lisboa que Pombal reconstruiu depois do Terramoto de 1755.

Monumento ao Marquês de Pombal[editar | editar código-fonte]

O concurso para o monumento (1915), foi ganho por uma equipa constituída pelos arquitetos Adães Bermudes e António do Couto (1874-1946) e escultor Francisco dos Santos (este último falecido 4 anos antes da inauguração). O monumento teve ainda a intervenção dos escultores Simões de Almeida (sobrinho) e Leopoldo de Almeida.

Inaugurado a 13 de Maio de 1934, o Monumento ao Marquês de Pombal é constituído por um pedestal em pedra trabalhada, com 40 metros de altura, onde assenta a estátua, em bronze. Este pedestal ostenta, na parte superior, quatro medalhões onde figuram os principais colaboradores do Marquês de Pombal. A parte inferior da base encontra-se rodeada por diversas figuras alegóricas, "nomeadamente a figura feminina simbolizando «Lisboa reedificada» e três grupos escultóricos evocando as reformas levadas a cabo por Sebastião Carvalho e Melo. No cimo, a estátua do Marquês de Pombal, de corpo inteiro, assenta o braço sobre o dorso de um leão, que simboliza a força, a determinação e a própria realeza"[1] . A calçada em volta da rotunda está decorada com as armas de Lisboa.

Placa Intermodal[editar | editar código-fonte]

A praça é um importante nó da rede do metropolitano de Lisboa, com o cruzamento das linhas azul e amarela. Neste nó estabelece-se, ao longo de várias paragens situadas nas artérias afluentes à praça, uma importante placa intermodal dos vários transportes que servem a região de Lisboa, com os serviços regulares da Carris, da Vimeca e da TST. que permitem a ligação directa desta praça com a maior parte dos locais da cidade de Lisboa, assim como aos concelhos de Oeiras, Amadora, Sintra, Odivelas, Loures e Almada.

Sistema de circulação automóvel[editar | editar código-fonte]

Desde Setembro de 2012 que a circulação nesta praça se faz, não apenas pela rotunda principal, mas sim também por uma rotunda secundária que, se destina aos automobiistas que pertendem entrar e sair das avenidas Duque de Loulé e, Alexandre Herculano. Isto ocorre porque estes arruamentos estão demasiadamente próximos a outros que confluem na mesma praça, facilitando e tornando mais seguro o acesso aos mesmos, pois a distância a precorrer é substancialmente menor. A rotunda secundária é concentrica à principal e, foi criada a partir de zonas de parágem de autocarros que, foram unidas entre sí, suprimindo ilhéus de passeio, substituindo-os por alcatrão.

Carris[editar | editar código-fonte]

No Marquês de Pombal fazem terminal as seguintes carreiras da Carris:

Carreira Destino
702 Bairro da Serafina
732 Caselas, via Cais do Sodré
744 Moscavide, via Aeroporto
746 Santa Cruz-Damaia, via Sete Rios
748 Linda-a-Velha

Marquês de Pombal é ponto de passagem das seguintes carreiras da Carris:

Carreira Percurso
91 Cais do Sodré ⇄ Aeroporto
207 Cais do Sodré ⇄ Fetais
711 Sul e Sueste ⇄ Alto da Damaia
712 Santa Apolónia ⇄ Alcântara Mar
720 Alcântara ⇄ Picheleira
723 Campo dos Mártires da Pátria ⇄ Alges
727 Estação Roma Areeiro ⇄ Restelo
736 Cais do Sodré ⇄ Odivelas
738 Alto de Santo Amaro ⇄ Quinta dos Barros
753 Praça José Fontana ⇄ Centro Sul
783 Amoreiras ⇄ Portela/Prior Velho

A Rua Alexandre Herculano, com ligação à Praça do Marquês de Pombal é ponto de passagem das seguintes carreiras da Carris:

Carreira Percurso
706 Cais do Sodré ⇄ Santa Apolónia
709 Restauradores ⇄ Campo de Ourique
774 Gomes Freire ⇄ Campo de Ourique

Vimeca[editar | editar código-fonte]

No Marquês de Pombal fazem terminal as seguintes carreiras da Vimeca:

Carreira Destino
7 Carnaxide
11 Linda-a-Velha
13 Queijas, via Carnaxide
13D Queijas
15 Universidade Católica via Porto Salvo / S. Marcos / Taguspark
107 Idanha - Campinas, via Amadora e Belas
185 Hospital Fernando da Fonseca, via Alfragide e Damaia

TST[editar | editar código-fonte]

No Marquês de Pombal fazem terminal as seguintes carreiras da TST:

Carreira Destino
151 Charneca de Caparica
155 Costa de Caparica (brevemente)
169 Corroios (Santa Marta do Pinhal)

Metropolitano[editar | editar código-fonte]

Esta placa intermodal conta com acesso ao Metropolitano de Lisboa desde 1959, desde o primeiro dia deste meio de transporte.

No Marquês de Pombal há ligação com as seguintes linhas do Metropolitano de Lisboa:

Linha Estação Percurso
MetroLisboa-linha-amarela.png

Girassol

Marquês de Pombal Largo do Rato ⇄ Odivelas
MetroLisboa-linha-azul.png

Gaivota

Marquês de Pombal Santa Apolónia ⇄ Falagueira

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Toponímia de Lisboa (consultado em 29 de Outubro de 200)

Referências

  1. Monumento ao Marquês de Pombal. REVELAR LX. Página visitada em 29-06-2014.