Prancha de surfe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Um surfista e sua prancha.

A fabricação de pranchas de surfe pelos famosos shapers (shaper, do inglês shape; "formato": é a pessoa que dá formato à prancha) não é mais o tradicional processo manual, onde se utilizam ferramentas manuais para trabalhar um bloco de espuma até atingir a forma desejada. Hoje em dia a fabricação de pranchas utiliza modernos processos de CAD/CAM/CNC.[carece de fontes?]

Como são feitas as pranchas nas máquinas CNC[editar | editar código-fonte]

Blocos de espumas de poliuretano (conhecidos como blank), são produzidos com uma resina que se expande em uma forma similar a um prancha de surfe com dimensões aumentadas. As dimensões são exageradas para permitir que pranchas de curvatura diferente saiam do mesmo bloco. Retirado da forma, o bloco é cortado ao meio e reforçado com um pedaço de madeira compensada chamada de longarina, para dar estrutura a prancha.

Devido à grande demanda do mercado e o grande esforço para fazer estas pranchas à mão, novos processos foram inventados que garantem a repetibilidade com precisão usando softwares modernos tipo CAD. Estes processos permitem que o shaper continue criando suas pranchas, com a vantagem e a diferença de saber como a prancha irá ficar antes mesmo de colocar as mãos no bloco de espuma.

Nos dias atuais máquinas CNC de shape que fresam o bloco de espuma para pranchas de surfe e repetem o processo à risca são mais comuns do que se pensa.

Estas máquinas trabalham com o auxílio de um computador que coordena toda a movimentação dos três eixos X,Y,Z da máquina para realizar o desejo feito em um programa de desenho 3D, CAD.

Os três eixos X,Y,Z são os eixos delimitam a área de trabalho e são respectivamente: longitudinal ou eixo-X, transversal ou eixo-Y, e vertical ou eixo-Z.

  • Fibra de vidro: é primeiro aplicada uma camada de resina para umedecer toda a superfície da prancha e obter uma melhor aderência com a fibra. Uma vez passada a fibra, estende-se sobre a prancha uma tecido do tamanho da prancha e o pressiona contra a prancha e aplica mais uma camada desta vez considerável, sobre a prancha. Retire o excesso de resina com uma espátula para obter a superfície bem lisa e o mais fina possível diminuindo o peso.
  • Processo de Cura: a resina aplicada na prancha passa por um processo de cura, e terá que esperar algumas horas para poder secar.
  • Repete: os processos de fibra e processo de cura para o outro lado da prancha.
  • Recorte das sobras: após secas são cortadas as sobras ao redor das quilhas, rabeta e bico.
  • Pintura: a maior parte das pranchas são pintadas conforme o design do fabricante que está sujeito às variações da moda. A tinta é aplicada a base de aerossol que permite uma camada fina de tinta e uniformemente espalhada.
  • Secagem da tinta: a prancha fica apoiada para que a pintura seque e não borre.
  • Adesivagem: neste estágio são colocados adesivos do logotipo do shaper ou da marca que irá vender a prancha, pois ao receber uma camada de resina por cima do adesivo estará protegido do contato da mão e da água, não alterando a hidrodinâmica da prancha.
  • Quilha e presilha do strep: Uma vez pintada, a prancha é tracejada simetricamente em local próximo a rabeta para receber a quilha e a presilha do strep. Fazem-se duas ou três marcações para encaixar as quilhas que são fixadas com a própria resina do processo de fibra, assim como a presilha do strep.
  • Polimento: e por último é aplicado um polimento na prancha para ficar lisa e lustrosa.

Ver também[editar | editar código-fonte]

  • Surfe
  • CNC - Controle numérico computadorizado
  • CAD - Desenho com auxílio de computador
  • CAM - Manufatura com auxílio de computador
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Prancha de surfe