Preservativo feminino antiviolação

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O preservativo feminino antiviolação, nomeado inicialmente como rapex,[1] é um preservativo feminino antiviolação desenvolvido em 2005 pela médica sul-africana Sonette Ehlers. Ele pode ser inserido no canal vaginal tal como um diafragma. O produto apresenta minúsculas farpas que atacam o pênis do violador e que só podem ser removidos cirurgicamente. Num artigo sobre o rapex, Ehlers comentou que foi inspirada a inventar o aparelho depois de um encontro com uma vítima que lhe disse: "Se eu tivesse dentes aqui embaixo..."[2]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Rapex é uma referência ao termo inglês para "estupro": rape.[3]

Referências

  1. Rapex
  2. Dixon, Robyn (September 2 2005). Controversy in South Africa over device to snare rapists. Visitado em 16 de março de 2006.
  3. Google tradutor. Disponível em https://translate.google.com.br/#en/pt/rape. Acesso em 9 de outubro de 2014.

Ver também[editar | editar código-fonte]