Presidente do Quirguistão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto.
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Presidente da República Quirguiz
No cargo
Almazbek Atambaiev

desde 1 de dezembro de 2011
Inaugurado por Askar Akayev
Criado em 27 de outubro de 1990
Website President of Kyrgyz Republic

O Presidente do Quirguistão é o chefe de Estado e o funcionário a ocupar o mais alto cargo público daquele país. De acordo com a constituição local "é o símbolo da união do povo e do poder do Estado, responsável por garantir a Constituição da República Quirguiz, e de cada indivíduo e cidadão."

O presidente é eleito diretamente para um máximo de dois mandatos de cinco anos pelo eleitorado quirguiz. O cargo foi criado em 1990, substituindo o cargo de Presidente do Conselho Supremo, que existia desde 1936, quando o país era conhecido como República Socialista Soviética Quirguiz.

O primeiro responsável a ser eleito pelo voto popular a ocupar o cargo foi Askar Akayev, que renunciou em 24 de março de 2005. Novas eleições realizadas em julho daquele ano deram um mandato de cinco anos a Kurmanbek Bakiev, criando assim a primeira sucessão presidencial na história da Ásia Central.

Eleição[editar | editar código-fonte]

Qualificações[editar | editar código-fonte]

O cargo de presidente está aberto a todos os cidadãos do Quirguistão que tenham entre 35 e 65 anos de idade. O candidato deve dominar a língua estatal, e ter vivido na República por não menos que 15 anos antes da sua candidatura. O presidente não pode ser um deputado do Jogorku Kenesh (Parlamento Quirguiz), nem ocupar outros cargos políticos ou realizar quaisquer atividades empresariais, e deve suspender todas suas atividades em partidos políticos e organizações durante seu período no cargo.

Ao tomar posse o presidente deve pronunciar o seguinte juramento, estipulado pelo artigo 45 da constituição, num período de 30 dias ou menos desde sua eleição, para os membros reunidos da câmara legislativa:

"Eu, ..., ao assumir o cargo de Presidente da República Quirguiz, diante de meu Povo e da terra sagrada de Ala-Tu, juro:

cumprir e defender sagradamente a Constituição e as leis da República Quirguiz; defender a soberania e a independência do Estado Quirguiz;

respeitar e garantir os direitos e liberdades de todos os cidadãos da República Quirguiz; executar honrada e incansavelmente a grande responsabilidade do cargo da Presidência da República Quirguiz, entegue a mim através da confiança de todo o Povo!"[1]

Lei eleitoral[editar | editar código-fonte]

O presidente é eleito pelos cidadãos do Quirguistão pela maioria de votos; estas eleições são realizadas com base no sufrágio universal, e através do voto secreto. Para se tornar um candidato a pessoa deve obter as assinaturas de cinquenta mil eleitores registrados.

Para que uma eleição seja considerada válida a taxa de abstenção deve ser menor que 50% do total de eleitores. O candidato que conseguir o apoio de pelo menos 50% destes eleitores é declarado o vencedor; se nenhum candidato obtiver uma maioria no primeiro turno, os dois candidatos com o maior número de votos disputam um eventual segundo turno.

Deveres e funções[editar | editar código-fonte]

O chefe de Estado detém um poder significativo no Quirguistão, outorgado pela constituição, que declara sua autoridade para:

Impeachment[editar | editar código-fonte]

O presidente pode ser removido do cargo através apenas do parlamento, com base numa acusação feita pela Assembleia Legislativa de traição ao Estado ou algum outro crime hediondo, e com apoio de um decreto do Tribunal Constitucional. Tal decisão exige o apoio de dois terços do Jogorku Kenesh - que por sua vez é imediatamente dissolvido se o presidente for considerado inocente.

Sucessão[editar | editar código-fonte]

Se o presidente não puder realizar mais suas funções por motivos de doença ou impeachment, ou se vier a falecer no cargo, o primeiro-ministro deverá realizar suas funções até a realização de uma nova eleição para chefe de Estado, a ser realizada num período de três meses a partir do fim da presidência anterior.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]