Press TV

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde maio de 2013).
Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Press TV
País Irã Irã
Fundação 2 de julho de 2007
Pertence a Islamic Republic of Iran Broadcasting [1] [2]
Cidade de origem Teerã, Irã
Cobertura Mundo
Página oficial http://www.presstv.ir/

Press TV é um canal televisivo de notícias internacional, em inglês, financiado pelo Governo do Irã. Seus estúdios centrais estão em Teerã. O canal conta com 26 correspondentes internacionais e emprega mais de 500 pessoas em todo o mundo.

História[editar | editar código-fonte]

O website do canal foi lançado no final de janeiro de 2007.[3] As primeiras experiências de uso de satélites foram realizadas no final de abril de 2007. O canal foi lançado em 3 de julho de 2007.[4] Em 18 de março de 2009, a Press TV lançou um novo site com nova interface gráfica.[5] O novo site ficou disponível em um endereço alternativo (www.presstv.ir/new) até 31 de março de 2009, quando o sítio web anterior foi completamente substituído. Em 5 de abril, Press TV colocou à disposição dos seus usuários seu sitio web em duas versões - uma "clássica", com menos gráficos, e a versão regular.

Visão[editar | editar código-fonte]

Os responsáveis pela Press TV manifestaram, desde o início das transmissões, sua intenção de cobrir as notícias de maneira distinta dos meios anglófonos tradicionais, tais como BBC World News e CNN International e afirmam que a linha editorial do canal não depende de diretrizes de nenhuma organização comercial ou governamental, nem sofre pressões internas que possam afetar sua independência. A Press TV compete com canais de notícias via satélite como Al Jazeera English, France 24 e Russia Today, os quais já estavam estabelecidos antes de seu lançamento.[6]

Segundo a Press TV, após os ataques de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos, os meios de comunicação mundiais têm feito uma cobertura muito limitada dos acontecimentos mundiais. Press TV tem como missão declarada oferecer um olhar alternativo e independente das notícias emitidas pela BBC, CNN ou Al Jazeera, particularmente no que concerne ao Oriente Médio.[7] [8]

Críticas e controvérsias[editar | editar código-fonte]

O periódico israelense The Jerusalem Post,[9] reproduzido pelo site oficial da Christian Broadcasting Network,[10] criticou a Press TV por publicar, em seu sítio web, um artigo do historiador britânico Nicholas Kollerstrom,[11] que foi descrito por alguns como um negacionista do Holocausto judeu.[12] O periódico inglês The Guardian também noticiou que "o site da Press TV publicou um artigo no qual se afirmava que o Holocausto é científicamente impossível."[13]

O semanário canadense conservador Maclean's assinala que "a maioria dos informes noticiosos da Press TV tem base em fatos verídicos". No entanto, ainda segundo a Maclean's, a Press TV comete "erros intencionais" - por exemplo, ao noticiar no seu site, sem citar fontes, que o governo do Líbano estaria convertendo o campo de refugiados palestinos Nahr al-Bared em base militar norte-americana. Maclean's, entretanto assinala que "a maioria dos informes noticiosos da Press TV se baseia em fatos verídicos"[14]

Nick Ferrari, um prominente jornalista britânico negou-se a moderar un programa da Press TV em 30 de junho de 2009, depois de saber como o governo iraniano lidou com a crise que se seguiu às eleições presidenciais. Ferrari comentou no jornal The Times que a cobertura da Press TV havia sido "razoavelmente equilibrada" até as eleições".[15]

Os usuários do site da Press TV acusaram reiteradamente os administradores de remover ou editar comentários que fossem conflitantes com a agenda política do governo iraniano. A página não contém uma política de manejo dos comentários de usuários mas o link para o correio eletrônico e demais endereços funciona.[16]

Em 9 de julho de 2009, a Press TV reportou que sua licença de operação na Jordânia fora revogada. O governo jordano, segundo Press TV, não informou as razões da revogação.[17]

Em 15 de outubro de 2012 a Press TV noticiou que a Comissão Europeia baniu a Press TV da transmissão por satélite para a Europa, pelo que a Eutelsat interrompeu a transmissão. [18] [19] [20] [21]

Referências

  1. BBC News / Country Profile: Iran (em inglês)
  2. About Us Site oficial IRIB (em inglês)
  3. Iranian Students' News Agency - ISNA (2007-01-24). IRIB-Iran launches Press TV website. Asia-Pacific Broadcasting Union. Página visitada em 2007-06-27.
  4. The Associated Press (2007-06-26). Iran Launches English Satellite Channel. The Washington Post. Página visitada em 2007-06-27.
  5. Press TV launches new website | Press TV
  6. Press TV Vision (em inglês)
  7. Iran launches English TV channel. bbc.co.uk (02-07-2007). Página visitada em 06-08-2007.
  8. Yahoo News Article on Press TV accessed 08-02-2007 (en inglés)
  9. Iranian website promotes Holocaust denial. The Jerusalem Post (em inglês)
  10. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas cbn.com
  11. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas presstv.ir
  12. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas guardian.co.uk
  13. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas Interview_with_Yvonne_Ridley
  14. Iran: Not the most reliable source
  15. Presenter Nick Ferrari quits Iran Press TV over ‘bias’ after election, The Times, 1 de julho de 2009
  16. Press TV Contact Us Page
  17. Jordan urged to let reopen Iran TV stations. Press TV. July 7, 2009
  18. EU bans broadcast of Iranian TV channels on Hot Bird. Press TV. 15 Oct, 2012
  19. Eutelsat set to take Iran satellite channels off air. Press TV. 14 Oct, 2012
  20. EU denies ordering satellite companies to take Iran channels off air. Press TV. 17 Oct, 2012
  21. Ban on Iranian channels exposes EU duplicity toward Iran. Press TV. 18 Oct, 2012

Ligações externas[editar | editar código-fonte]