Primeira Diretriz (Star Trek)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde julho de 2013).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Emblem-scales.svg
A neutralidade desse artigo (ou seção) foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão.
Justifique o uso dessa marca na página de discussão e tente torná-lo mais imparcial.
Ambox question.svg
Esta página ou seção carece de contexto (desde julho de 2013).

Este artigo (ou seção) não possui um contexto definido, ou seja, não explica de forma clara e dire(c)ta o tema que aborda. Se souber algo sobre o assunto edite a página/seção e explique de forma mais clara e objetiva o tema abordado.

Pode ser definida como a forma de conduta principal de todos os oficiais da Frota Estelar e por conseqüência, de todos os cidadãos da Federação.

Primeira Diretriz / Primeira Directiva (português europeu)[editar | editar código-fonte]

É proíbido a todas as naves e membros da Frota Estelar interferir com o desenvolvimento normal de uma cultura ou sociedade. Essa diretiva é mais importantes do que a proteção das naves ou membros da Frota Estelar. Perdas são toleradas ao longo forem necessárias para a observação dessa diretiva. [1]

Premissa principal da Frota Estelar, na qual todo e qualquer oficial da Frota está proibido de descumprir, mesmo ao custo de sua nave ou mesmo de suas vidas. O descumprimento dessa norma só é admitido para corrigir uma violação maior dessa diretriz.

Primórdios[editar | editar código-fonte]

No início de suas explorações espaciais, graças ao motor de dobra 5 da NX-01, a humanidade sentiu a necessidade de criar normas específicas quanto a fazer ou não o Primeiro Contato:

"Someday my people are going to come up with some sort of a doctrine, something that tells us what we can and can't do out here, should and shouldn't do. But until somebody tells me that they've drafted that directive I'm going to have to remind myself every day that we didn't come out here to play God."[2]

Tradução - Algum dia meu povo vai ter que inventar alguma espécie de uma doutrina, algo que nos diga o que nós podemos e não podemos fazer. Mas até que alguém me diga que esboçaram essa diretriz, vamos ter que lembrar diariamente que nós não estamos aqui para brincar de Deus - Capitão Archer.

Nesse epsódio, fica claro que a humanidade enfrentará vários dilemas ao fazer contatos com espécies tecnologicamente inferiores. Neste caso, tem que decidir entre a compaixão humana e a razão vulcana.

No epsódio O Comunicador [3] na tentativa de recuperar um comunicador perdido, em uma civilização que ainda não tinha dividido o átomo, acaba por Contaminar culturalmente essa civilização, fazendo acredita-los que uma facção deste planeta, que está em situação pré-bélica, possuia tecnologia de camuflagem e armas de fase.

Encontro com os Klingons[editar | editar código-fonte]

Depois do encontro, ou reencontro com os Klingons, em 2218, que levou a quase um século de hostilidades, ficou provado que a federação precisava de regras claras quanto ao primeiro contato com outras espécies. A pura e simples admissão de tecnologia de dobra era insuficiente para tal.

No final do século XXIV as principais características que uma civilização deveria ter para fazer parte da federação eram:

  1. Ter conseguido, por seus próprios meios, a capacidade de dobra.
  2. Governo centralizado

Mesmo assim essa civilização teria que aceitar integralmente Constituição e ter um nível tecnológico próximo ao da federação. Geralmente, quando um planeta almeja fazer parte da federação, passa por um período de quarentena até que possa ser considerado integrante da federação de fato.

Notas