Princípio de realidade

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Princípio da realidade)
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde setembro de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Na psicanálise de Sigmund Freud, o princípio de realidade caracteriza-se pelo adiamento da gratificação. Tal princípio opõe-se ao princípio de prazer, o qual conduz o indivíduo a buscar o prazer e evitar a dor sem restrições. Faz parte do amadurecimento normal do indivíduo aprender a suportar a dor e adiar a gratificação. Ao fazer isso, o indivíduo passa a reger-se menos pelo princípio de prazer e mais pelo princípio de realidade.[1]

Respeitar o princípio de realidade consiste em dar conta das exigências do mundo real e das consequências dos próprios atos. O homem entra em contato com a realidade física e social, com deficiência de bens e cheia de normas e regras sociais. Essa realidade é dominada pela necessidade, escassez e forçosamento pela luta da vida. Assim ele tem que viver sob o princípio da realidade que leva em consideração uma série de elementos antagônicos: ele e os outros, a vida indivídual e a vida coletiva, o prazer e o trabalho, a escassez e a saciedade, a espontaneidade e a dominação social etc. Através do princípio da realidade, o homem deve encontrar seu caminho para a sobrevivência.[1]

Notas e Referências

  1. a b Gay, Peter. FREUD - UMA VIDA PARA O NOSSO TEMPO. Visitado em 05/10/2012.
Ícone de esboço Este artigo sobre psicologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.