Príncipe do senado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Princeps senatus)
Ir para: navegação, pesquisa
Roma Antiga
Roman SPQR banner.svg

Este artigo é parte da série:
Política e governo da
Roma Antiga


Períodos
Reino de Roma
753 a.C.509 a.C.

República Romana
508 a.C.27 a.C.
Império Romano
27 a.C.1453

Constituição romana

Constituição do Reino
Constituição da República
Constituição do Império
Constituição do Dominato
Senado
Assembleias Legislativas
Magistrados Executivos

Magistrados ordinários
Magistrados extraordinários
Títulos e Honras
Imperador
Precedente e Lei

Outros países · Atlas

Príncipe do senado[1] [2] (em latim: princeps senatus) era um título da República Romana aplicado a aquele que aparecia primeiro na lista do senado romano compilada pelos censores.[3] Era conferido a um homem de origem patrícia e membro do senado, que se distinguisse e cuja vida e moral fossem incorruptíveis. Podia ser vitalício e era reconsiderado na ocasião da posse de novos censores, ou seja, de cinco em cinco anos. O título podia ser meramente honorífico e não oficial, sendo atribuído a um homem de destaque no seio da política ou bravura.[4]

Além de grande dignidade, o posto conferia ao titular o privilégio de falar primeiro em qualquer moção no senado e, uma vez que havia pouco debate, o príncipe do senado moveu todas as consultas senatoriais (senatus consulta) costumeiras e influenciou muitos debates. Foi abolido durante a ditadura Sula, pois o mesmo não queria um senador com tal poder, e revivido sob Augusto em 28 a.C., que atribuiu a si mesmo quando revisou a lista de senadores. Os sucessores de Augusto tomaram-o como uma questão de curso.[3] O título foi abandonado durante o reinado de Diocleciano (r. 284–305) e foi revivido durante o Império Carolíngio, que passou a ser conferido quando se pretendia honrar e destacar algum personagem.[4]

Referências

  1. Silva 2006, p. 44
  2. Aguiar 1995, p. 149
  3. a b Princeps senatus (em inglês). Página visitada em 14-08-2014.
  4. a b Princeps Senatus (em inglês). Página visitada em 14-08-2014.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Aguiar, José. A Hora de Sertório. [S.l.]: Edições ASA, 1995. ISBN 9724115380
  • Silva, Gilvan Ventura da; Norma Musco Mendes. Repensando o Império Romano: perspectiva socioeconômica, política e cultural. [S.l.]: Mauad Editora Ltda, 2006. ISBN 8574781819

Ver também[editar | editar código-fonte]