Prionosuchus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaPrionossuco
Ocorrência: Permiano superior
Prionosuchus DB.jpg

Estado de conservação
Extinta (fóssil)
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Amphibia
Ordem: Temnospondyli
Família: Archegosauridae
Género: Prionosuchus
Espécie: P. plummeri
Nome binomial
Prionosuchus plummeri

O prionossuco (Prionosuchus plummeri) foi o maior anfíbio que já existiu na Terra. Trata-se de um anfíbio pré-histórico da ordem extinta dos temnospondyli. Viveu no período Permiano, no local onde hoje fica o Brasil. Os fósseis do animal foram descobertos na Formação Pedra do Fogo, em Parnaíba, em 1948.[1]

Proporção do Prionosuchus plummeri em relação ao homem

O prionossuco tinha nove metros de comprimento, e sua aparência lembrava a de um crocodilo, mas sem escamas, é claro, devido à sua natureza anfíbia. Era uma criatura aquática e carnívora, e é provável que se alimentasse de peixes e outros anfíbios. Seu habitat era provavelmente uma floresta tropical úmida.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. L.I. Price, 1948, Um anfibio Labirinthodonte da formacao Pedra de Fogo, Estado do Maranhao: Ministerio da Agricultura, Departamento Nacional da Producao ineral Divisao de Geologia e Mineralogia, Boletim n. 124, p. 7-32.
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Prionosuchus
Ícone de esboço Este artigo sobre anfíbios é um esboço relacionado ao Projeto Anfíbios e Répteis. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.