Prisioneiro da Grade de Ferro (Autorretratos)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Prisioneiro da Grade de Ferro (Autorretratos)
2003

Prisioneiro da Grade de Ferro (Auto-retratos) é um filme documentário brasileiro de 2003, dirigido por Paulo Sacramento

Sinopse[editar | editar código-fonte]

O documentário retrata a ineficácia do sistema carcerário brasileiro, sobretudo sua falha no processo de ressocialização. As lentes de Paulo Sacramento conseguem captar a desobediência a vários princípios constitucionais, principalmente em relação à dignidade do apenado.

Apesar de mostrar assassinos, estupradores, ladrões, entre outros, o filme expõe a maneira - muitas vezes inusitada e criativa - que os presos encontram para (sobre)viver no cárcere, numa tentativa de diminuir o tempo que sempre insiste em correr mais vagarosamente quando se está cerrado dentro das gaiolas de ferro. Por outro lado, o documentário revela as condições sub-humanas a que os apenados estão submetidos no cárcere, confirmando o descaso Estatal que impera no Sistema Penal brasileiro.

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

31º Festival de Gramado

  • Recebeu o "Prêmio da Crítica como Documentário Longa Metragem em 35mm", em 2003.

Festival É Tudo Verdade

  • Recebeu os prêmios de "Melhor Documentário - Competição Nacional" e "Melhor Documentário - Competição Internacional".

Festival do Rio

  • Recebeu o "Prêmio Especial do Júri", em 2003.

Festival do Uruguai

  • Recebeu "Menção Honrosa" por parte do júri, em 2004.

7º Festival de Málaga (Espanha)

  • Recebeu o prêmio de "Melhor Documentário", recebendo o troféu Biznaga de Plata e um prêmio de 12 mil euros.

8º Festival Internacional Latino-Americano de Cinema de Los Angeles

  • Venceu o prêmio de "Melhor Documentário - Opera Prima".

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • O documentário foi rodado durante sete meses no presídio do Carandiru.
  • O diretor entregou a posse das câmeras aos próprios presos, para que eles filmassem seu dia-a- dia e para dar veracidade à situação em que vivem.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]