Processo dos 50

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Foi designado “Processo dos 50” a um conjunto de três processos políticos que se iniciaram a 29 de Março de 1959 com as prisões de vários nacionalistas Angolanos, terminando em 24 de Agosto do mesmo ano com a última prisão. Deve-se esse nome ao facto de Joaquim Pinto de Andrade ter enviado para o seu irmão que vivia no exterior, Mário Pinto de Andrade, um folheto denunciando a prisão de 50 nacionalistas. A denúncia internacional destas prisões, deu a conhecer ao mundo o que se passava em Angola, desmascarando as verdadeiras intenções da PIDE (Policia Internacional e de Defesa do Estado), que eram abafar e impedir que as prisões fossem de conhecimento internacional, evitando explicações pouco abonatórias ao regime de Salazar. O conhecimento das prisões dos 50 nacionalistas, alertou varias pessoas ligadas ao movimento pela independência para a necessidade de agir, evitando a sua captura e iniciando as bases para o início da Luta Armada no dia 4 de Fevereiro de 1961, quando um conjunto de patriotas angolanos tomou de assalto as cadeias onde estavam os presos políticos .

- “Sem receio de exagerar, podemos adiantar que esses acontecimentos que assinalaram o reafirmar da consciência do povo angolano para a necessidade de encetar uma luta organizada pela independência, produziram um abalo estrutural que se iria reflectir na própria essência da sociedade colonial e em nosso entender foram a causa detonante da reacção em cadeia dos acontecimentos históricos que se lhe seguiram.” - Citação no Livro de Medina, Maria do Carmo. Angola - Processos Políticos da Luta pela Independência. ed. Coimbra: Almedina, 2005. p.79.). Na realidade o processo dos 50 repartido, ficaria assim:
1º processo ( Processo nº 22/59) “Grupo ELA” As primeiras prisões datam de 28 de Março de 1959, José Manuel Lisboa, Lucrécio da Silva Mangueira, depois Agostinho Mendes de Carvalho, André Mingas, Belarmino Van Dunem, José Diogo Ventura, Noé Saúde...

2º processo (Processo nº 40/59) “MIA” A primeira prisão data de 27 de Maio de 1959, Ilídio Machado, Higino Aires, André Franco de Sousa, depois, Carlos Alberto Van-Dúnem, Luís Rafael, António Marques Monteiro, Miguel Fernandes, Amadeu Amorim, Gabriel Leitão, Liceu Vieira Dias...

3º processo (Processo nº 47/59) ”MLNA” A primeira prisão data de 14 de Julho de 1959, Mário Guerra depois Hélder Neto, Calazans Duarte, José Meireles...

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Medina, Maria do Carmo. Angola - Processos Políticos da Luta pela Independência. ed. Coimbra: Almedina, 2005. 389 p.
  • ANTT

Ligações externas[editar | editar código-fonte]