Processos da gerência de projetos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Segundo o guia PMBOK - 4ª Edição, um processo é um conjunto de ações e atividades inter-relacionadas, que são executadas para alcançar um produto, resultado ou serviço predefinido. Cada processo é caracterizado por suas entradas, as ferramentas e as técnicas que podem ser aplicadas e as saídas resultantes. Projeto é um esforço temporário empreendido para criar um produto, serviço ou resultado exclusivo.

Processos se enquadram em duas categorias:

  1. Processos da gerência de projetos : se relacionam com a descrição, a organização e a conclusão do trabalho do projeto. São universais a todos os projetos, pois controlam o ciclo de vida do gerenciamento de projetos.
  2. Processos orientados ao produto : se relacionam com a especificação e a criação do produto do projeto, sendo exclusivos a cada produto. São definidos pelo ciclo de vida do projeto, e variam de acordo com a área de aplicação.

Grupos de processos[editar | editar código-fonte]

De acordo com o PMBOK, os processos de gerenciamento de projetos podem ser organizados em cinco grupos de processos:

  1. Processos de Iniciação – autorização do projeto ou fase
  2. Processos de Planejamento – são processos iterativos de definição e refinamento de objetivos e seleção dos melhores caminhos para atingir os objetivos.
  3. Processos de Execução – execução dos planos do projeto: coordenação de pessoas e outros recursos para executar o plano
  4. Processos de Monitoramento e Controle – medição e monitoramento do desempenho do projeto. Garantem que os objetivos do projeto são alcançados através do monitoramento e medição regular do progresso, de modo que ações corretivas possam ser tomadas quando necessário.
  5. Processos de Encerramento – aceitação formal do projeto (com verificação de escopo) ou fase para a sua finalização.

Os grupos de processo são ligados pelos resultados que produzem: o resultado de um processo frequentemente é a entrada de outro. Os cinco grupos de processos possuem conjuntos de ações que levam o projeto adiante, em direção ao seu término.

Dentro dos cinco grupos de processos existiam duas categorias de processos: básicos e facilitadores. Esses termos foram eliminados para garantir que todos os processos de gerenciamento de projetos nos grupos de processos de gerenciamento de projetos tenham o mesmo nível de importância.

As atividades no caminho crítico são monitoradas ativamente quanto a deslizes, enquanto os deslizes nas atividades do caminho não crítico são verificados periodicamente.

Repetir os processos de iniciação antes da execução de cada fase é uma maneira de se avaliar se o projeto continua cumprindo as necessidades de negócio. Envolver as partes interessadas no projeto em cada uma das fases é uma maneira de aumentar as probabilidades de satisfação dos requisitos do cliente, além de servir para fazê-los sentirem-se envolvidos no projeto – o que muitas vezes é essencial para o sucesso do mesmo.

O gerente de projetos precisa monitorar e comunicar o desempenho do projeto. Os resultados do trabalho que estiverem abaixo de um nível de desempenho aceitável precisam ser ajustados com ações corretivas para que o projeto volte a estar em conformidade com as linhas de base de custo, prazo e escopo. A comunicação do desempenho do projeto é um dos principais elementos para o gerenciamento de projetos bem sucedido.

Interações de Processos[editar | editar código-fonte]

Dentro de cada grupo de processos, os processos individuais podem ser ligados pelas suas entradas (inputs) e saídas (outputs). Focando nessas ligações, podemos descrever cada processo nos termos de seus:

  1. Entradas (inputs)– documentos ou itens que serão trabalhados pelo processo
  2. Ferramentas e técnicas – mecanismos aplicados aos inputs para criar os outputs
  3. Saídas (outputs)– documentos ou itens que serão o resultado final do processo.

Esses três componentes de processo transformam decisões, condições, planos e reações em condições e progresso. A saída de um processo geralmente é a entrada para outro. Dentro de cada processo, as ferramentas e técnicas usadas num processo orientam e influenciam a sua saída. Uma saída com falhas pode comprometer a entrada de processos dependentes.

Os processos podem ser, até certo ponto, customizáveis (personalizados) a cada projeto. Podem ser modificados, ou até excluídos, para melhor atender as particularidades de dado projeto. No entanto, essas modificações devem ser feitas criteriosamente.

Áreas de Conhecimento da Gerência de Projetos: Processos[editar | editar código-fonte]

As nove áreas de conhecimento são compostas por 42 (quarenta e dois) processos de gerenciamento de projetos. O Guia de Conhecimentos em Gerenciamento de Projetos (PMBOK 2004, 4ª Edição) descreve as áreas de conhecimento em capítulos, listados a seguir:

  1. Introdução
  2. Ciclo de vida e organização do projeto
  3. Processos de gerenciamento de projetos de um projeto
  4. Gerenciamento de integração do projeto – descreve os processos requeridos para certificar-se que os vários elementos do projeto estão propriamente coordenados. Consiste em:
    1. Desenvolver o termo de abertura do projeto (In.)
    2. Desenvolver o plano de gerenciamento do projeto (Pl.)
    3. Orientar e gerenciar a execução projeto (Ex.)
    4. Monitorar e controlar o trabalho do projeto (Mo.)
    5. Executar o controle integrado de mudanças (Mo.)
    6. Encerrar o projeto ou fase. (En.)
  5. Gerenciamento do escopo do projeto – descreve os processos requeridos para garantir que o projeto inclui todo o trabalho requerido (requisitos), e somente o trabalho requerido, para completar o processo com sucesso. Consiste em:
    1. Coletar requisitos (Pl.)
    2. Definir o escopo (Pl.)
    3. Criar a Estrutura Analítica de Processo (EAP) (Pl.)
    4. Verificar o escopo (Mo.)
    5. Controlar do escopo (Mo.)
  6. Gerenciamento de tempo de projeto – descreve os processos requeridos para garantir que o projeto seja completado dentro do prazo. Consiste em:
    1. Definir atividades (Pl.)
    2. Sequenciar atividades (Pl.)
    3. Estimar de recursos da atividade (Pl.)
    4. Estimar de duração da atividade (Pl.)
    5. Desenvolver do cronograma (Pl.)
    6. Controlar do cronograma (Mo.)
  7. Gerenciamento de custos do projeto – descreve os processos requeridos para que o projeto seja completado dentro do orçamento aprovado. Consiste em:
    1. Estimar de custos (Pl.)
    2. Determinar o orçamento (Pl.)
    3. Controlar custos (Mo.)
  8. Gerenciamento da qualidade do projeto – descreve os processos requeridos para garantir que o projeto vai satisfazer as necessidades pelas quais ele foi feito. Consiste em:
    1. Planejar a qualidade (Pl.)
    2. Realizar a garantia da qualidade (Ex.)
    3. Realizar o controle da qualidade (Mo.)
  9. Gerenciamento de recursos humanos do projeto – descreve os processos requeridos para fazer o uso mais efetivo das pessoas envolvidas no projeto. Consiste em:
    1. Desenvolver o plano de recursos humanos (Pl.)
    2. Contratar ou mobilizar a equipe do projeto (Ex.)
    3. Desenvolver a equipe de projeto (Ex.)
    4. Gerenciar a equipe de projeto (Ex.)
  10. Gerenciamento das comunicações do projeto – descreve os processos requeridos para garantir rápida e adequada geração, coleção, disseminação, armazenamento e disposição final das informações do projeto. Consiste em:
    1. Identificar as partes interessadas (In.)
    2. Planejar as comunicações (Pl.)
    3. Distribuir as informações (Ex.)
    4. Gerenciar as expectativas das partes interessadas (Ex.)
    5. Relatar desempenho (Mo.)
  11. Gerenciamento de riscos do projeto – descreve os processos relacionados a identificar, analisar e responder aos riscos do projeto. Consiste em:
    1. Planejar o gerenciamento de riscos (Pl.)
    2. Identificar riscos (Pl.)
    3. Realizar a análise qualitativa de riscos (Pl.)
    4. Realizar a análise quantitativa de riscos (Pl.)
    5. Planejar respostas aos riscos (Pl.)
    6. Monitorar e controlar riscos (Mo.)
  12. Gerenciamento de aquisições do projeto – descreve os processos requeridos para adquirir bens e serviços de fora da organização "dona" do projeto. Consiste em:
    1. Planejar aquisições (Pl.)
    2. Conduzir aquisições (Ex.)
    3. Administrar aquisições (Mo.)
    4. Encerrar aquisições (En.)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências gerais[editar | editar código-fonte]

  • Barros, Carlos. "Gestão de Projectos": Editora Sílabo, 1ª Edição, 1994 ISBN 9726180864
  • Heizer, Jay; Render Barry. "Operations Management": Prentice-Hall Edition, 6ª Edição, ISBN 13018604