Profecia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.
Emblem-scales.svg
A neutralidade desse artigo (ou seção) foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão.
Justifique o uso dessa marca na página de discussão e tente torná-lo mais imparcial.
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde abril de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Profecia é um relato, religioso ou não, no qual se afirma prever acontecimentos futuros.

Quando tem origem religiosa, tais relatos afirmam que a origem da previsão pode ser visões, sonhos ou até mesmo encontros com um ser sobrenatural, sendo considerados como mensagens divinas. Aqueles que afirmam obter as revelações são, muitas vezes, chamados de profetas. A maior parte das grandes religiões tem relatos de profecias.

Tradição cristã[editar | editar código-fonte]

Pintura do profeta Moisés

A maioria das religiões cristãs acredita que somente Deus pode ver o futuro e muitas vezes é o desejo de Deus revelar fatos futuros ao homem. Para isso, Deus usava e ainda usa até hoje homens que recebem as suas revelações e as transmite por forma oral e/ou escrita. A crença que Deus fala aos homens sobre fatos vindouros está fundamentada em muitos textos da Bíblia tais como:

  • Lembrem do que aconteceu no passado e reconheçam que só eu sou Deus, que não há nenhum outro como eu. Desde o princípio, anunciei as coisas do futuro; há muito tempo, eu disse o que ia acontecer. Afirmei que o meu plano seria cumprido, que eu faria tudo o que havia resolvido fazer.[1]
  • Por acaso, o SENHOR Deus faz alguma coisa sem revelar aos seus servos, os profetas?[2]
  • Na manhã seguinte, todos se levantaram cedo e foram para o deserto de Tecoa. Ao saírem, Josafá ficou de pé e disse: - Povo de Judá e moradores de Jerusalém, escutem! Confiem no SENHOR, seu Deus, e estarão seguros; confiem nos profetas dele, e tudo o que vocês fizerem dará certo.[3]
  • Deus diz ao seu povo: "As coisas que prometi no passado já se cumpriram, e agora vou lhes anunciar coisas novas, para que vocês as saibam antes mesmo que elas aconteçam."[4]
  • Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação; porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo.[5]

Muitas profecias bíblicas estão no passado e já são tomadas pelos cristãos como cumpridas. Segundo os cristãos, nenhuma profecia da Bíblia falhou, mas existem algumas que ainda estão por se realizar. Entre as profecias bíblicas já cumpridas podemos citar:

Profecia Texto Bíblico
Destruição do Mundo com o Dilúvio Deus disse a Noé: - Resolvi acabar com todos os seres humanos. Eu os destruirei completamente e destruirei também a terra, pois está cheia de violência.. - Gênesis 6:13[6]
Destruição de Sodoma e Gomorra Aí o SENHOR disse a Abraão: - Há terríveis acusações contra Sodoma e Gomorra, e o pecado dos seus moradores é muito grave. Preciso descer até lá para ver se as acusações que tenho ouvido são verdadeiras ou não... - Gênesis 18:20-21[7]
Destruição de Jerusalém e do seu Templo Algumas pessoas estavam falando de como o Templo era enfeitado com bonitas pedras e com as coisas que tinham sido dadas como ofertas. Então Jesus disse: -Chegará o dia em que tudo isso que vocês estão vendo será destruído. E não ficará uma pedra em cima da outra. - Lucas 21:5 e 6[8]

Algumas vertentes cristãs acreditam que nem todos os livros da Bíblia estão escritos de maneira literal. Segundo estas, alguns livros apresentam textos que usam uma linguagem simbólica para apresentar profecias que seriam cumpridas muito tempo depois do livro ser escrito. Um dos maiores profetas da Bíblia foi Daniel. O livro de Daniel apresenta relatos sobre o fim do mundo, monstros e também anjos. Segundo algumas denominações cristãs, certas partes deste livro foram escritas com uma linguagem propositalmente simbólica e que requer uma maior busca para sua compreensão. Muitos estudiosos e teólogos defendem a idéia de que os profetas, inspirados por Deus, escreveram estes textos de maneira figurada, pois não era o desejo de Deus que fossem entendidos naquele tempo. Esta tese é baseada em textos bíblicos como abaixo:

  • Para que, vendo, vejam, e não percebam; e, ouvindo, ouçam, e não entendam; para que não se convertam, e lhes sejam perdoados os pecados.[9]
  • E ele respondeu: - Agora, Daniel, você pode ir embora, pois tudo isso deve ficar em segredo até o fim. Muitos serão postos à prova, e com isso se purificarão, e se aperfeiçoarão. Os maus continuarão na sua maldade, e nenhum deles entenderá o que está acontecendo, mas os sábios entenderão[10]

Os mesmos estudiosos defendem a ideia de que a própria Bíblia pode ser usada para compreender as profecias nela contidas. Existem 3 distintas linhas na interpretação de profecias bíblicas, a Interpretação Preterista, Interpretação Futurista e a Interpretação Historicista. Os historicistas acreditam que existem algumas profecias, como as escritas por Daniel (Profecia da Estátua de Nabucodonosor e a Profecia dos 4 animais) que são profecias parcialmente cumpridas e que em breve estarão totalmente realizadas. Ou seja, estas profecias estão sendo cumpridas durante a história da humanidade, chegando até mesmo aos nossos dias e nos remetem a fatos futuros que ainda não aconteceram.

A interpretação preterista entende que todas as profecias descritas já ocorreram, não restando nenhum resquício para ser cumprido posteriormente ao fechamento do relato bíblico. A interpretação futurista defende que, alem da situação local a que a profecia se referia, ainda que já cumprida historicamente, há conteúdo místico e intertemporal nela, podendo sugerir que os mesmos fatos descritos se refeririam a acontecimentos localizados no futuro, sendo que se diferenciam dos historicistas justamente por afirmarem que todas as profecias ainda podem ser projetadas para o futuro e não apenas algumas.

Para um católico, especialmente se for carismático, a profecia é vista como sendo um dom do Espírito Santo.

Budismo[editar | editar código-fonte]

O Haedong Kosung-jon (Biografias de Monges de Alta classe) registra que o rei de Silla Beopheung tinha desejado a promulgar o budismo como religião do Estado. No entanto, os oficiais de sua corte se opunham a ele. No décimo quarto ano do seu reinado,o"Secretario" de Beopheung , Ichadon, concebeu uma estratégia para superar a oposição do tribunal. Ichadon planejou com o rei, convencendo-o a fazer uma proclamação garantindo o budismo como religião oficial do estado com o selo real. Ichadon disse o rei a negar que tenha feito tal proclamação, quando os oficias opositores a receberam e exigiram uma explicação. Em vez disso, Ichadon iria confessar e aceitar a punição de execução, pelo que rapidamente seria visto como uma falsificação. Ichadon profetizou ao rei que em sua execução um milagre maravilhoso iria convencer o tribunal da facção adversária do poder do budismo. Esquema de Ichadon saiu como o planejado, e os oficiais opositores morderam a isca. Quando Ichadon foi executado no dia 15 do mês 9, em 527, sua profecia foi cumprida, a terra tremeu, o sol escureceu, belas flores choveram do céu, sua cabeça decepada foi para as montanhas sagradas Geumgang, e leite em vez de sangue pulverizado foi espirrado a 100 pés no ar do seu cadáver decapitado. O presságio foi aceito pelos oficias judiciais opostos como uma manifestação de aprovação dos ceus, e o budismo foi feita a religião do estado em 527 d.c

Profecias nativo americanas[editar | editar código-fonte]

Inúmeros casos de profecia existem entre as populações nativas da América. O Onandaga e o Hopi, entre outros, têm profecias que aparecem para se relacionar com os tempos que estamos entrando agora.Por exemplo, Onandaga fala de um tempo quando a água não será boa para beber dos córregos. Isso, dizem eles, vai significar o início de um período que eles chamam de grande purificação, onde os povos irão passar por provações imensas para se purificarem da influência corruptora que os cercam. Isso, dizem eles, será visto como um período de alegria para aqueles que entendem o que está acontecendo e se engajar nesse período como um tempo de purificação, mas será um período de imenso sofrimento para aqueles que se agarram a sua visão de mundo corrompido e estilos de vida. O Livro do Hopi pode ser visto como uma obra de profecia -. Discute tanto a história antiga das idades que vieram antes, a idade atual, e os tempos que virão

Existe um problema em verificar a maioria das profecias nativo americanas, na medida em que permanecem primordialmente em uma tradição oral, e, portanto, não há como citar referências de onde foram escritos no papel. Em seu sistema, a melhor referência é uma pessoa idosa, que atua como um repositório da sabedoria acumulada de sua tradição.

Em outro tipo de exemplo, está registrado que há três profetas dogrib que alegou ter sido divinamente inspirada para levar a mensagem de Deus do Cristianismo ao seu povo. Esta profecia entre os dogrib envolve elementos como danças e transe como estados.

Ceticismo[editar | editar código-fonte]

De acordo com os céticos, muitas das profecias aparentemente cumpridas podem ser explicadas como coincidências (possivelmente auxiliadas por imprecisão e vagueza da própria profecia), ou que algumas profecias foram realmente inventadas após o fato ocorrido para combinar com as circunstâncias de um evento passado ("pós-dicção").Bill Whitcomb observa em seu livro "The Magician's Companion",

"Um ponto a lembrar é que a probabilidade de um evento se alterar logo que uma profecia (ou adivinhação) é feita. . . . A precisão ou resultado de qualquer profecia é alterada pelo desejos e apegos do vidente e aqueles que ouvem a profecia."

Profetas famosos[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre Teologia ou sobre um teólogo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.